Sarampo afeta cenário futebolístico na Oceania
19 de novembro de 2019
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Internacional

 

A Oceania está enfrentando um terrível surto de sarampo, que teve início na Nova Zelândia no começo deste ano. Mesmo com a disponibilidade de vacinas, milhares de pessoas já foram infectadas e já houve mortes relacionadas à doença e um dos principais transmissores do vírus do sarampo na região, são os esportistas.

Em Tonga, um pequeno país localizado no Oceano Pacífico, a doença só chegou porque um time de rugby foi jogar na Nova Zelândia e os jogadores foram infectados. Ao retornarem para casa, eles transmitiram a doença para outras pessoas, espalhando o sarampo no país.

O futebol também está sofrendo reflexos deste surto. O torneio feminino sub-16 da Oceania estava inicialmente marcado para ser realizado na Nova Zelândia entre os meses de setembro em outubro, mas foi transferido para o Taiti e ocorrerá no mês de dezembro.

Outro torneio que também foi diretamente afetado por estas circunstâncias foi a Copa das Nações de Futsal da Oceania, realizada na Nova Caledônia entre os dias 27 de outubro e 2 de novembro. A delegação de Tonga fez sua preparação em Auckland, Nova Zelândia, e alguns jogadores acabaram sendo infectados. No dia primeiro de novembro vários membros da delegação tonganesa adoeceram, sendo impedidos de jogar contra Vanuatu (1º de novembro) e Samoa Americana (2 de novembro), resultando em duas derrotas por WO. “Os médicos disseram que nós não poderíamos jogar o restante da competição” disse Timote Fakasiieiki, um dos jogadores da seleção de Tonga.

Seleção de futsal tonga

A contaminação dos jogadores tonganeses acendeu uma luz amarela na Nova Caledônia, que colocou outras seleções em isolamento pois os mesmos corriam riscos de estarem infectados. Desta forma, algumas delegações foram mantidas no país para evitar o risco de disseminação da doença. Uma das seleções que ficaram retidas no país foi a seleção de Fiji, que só retornou para casa 15 dias após o final do torneio. “Nós estávamos confinados no hotel e fomos monitorados por uma semana. Também fomos vacinados” disse o treinador de Fiji, Mira Sahib.

Outro país que está sendo imensamente afetado é a Samoa. O país, que possui cerca de 200 mil habitantes, declarou situação de emergência. Escolas e comércio estão com as portas fechadas. A federação de futebol local também emitiu uma nota anunciando que todas as atividades futebolísticas estão suspensas até segunda ordem. Um jogador Samoano faleceu na última semana e a razão da sua morte ainda é desconhecida, podendo ter sido relacionada ao sarampo, Siloata Lomani tinha 20 anos e jogava no Kiwi, atual campeão nacional.

O comunicado da federação de Samoa.

Outra competição que pode ser afetada por este surto de sarampo é a Liga dos Campeões da Oceania. A fase preliminar está programada para iniciar no mês que vem envolvendo os campeões das Ilhas Cook, Samoa, Samoa Americana e Tonga. Porém, com a suspensão das atividades futebolísticas na Samoa e o surto de sarampo no continente, é bem provável que a competição sofra alterações, uma vez que existe a possibilidade do representante samoano não ser definido pois ainda faltam seis rodadas para o término do campeonato local.

Com exceção da Austrália, que está filiada a Confederação Asiática, a Oceania parece ser uma região esquecida pelo mundo do futebol. O continente mais subdesenvolvido a nível futebolístico sofre com o sarampo e o silêncio da mídia esportiva internacional a respeito disso é inquietante.

Postado por Pedro Amadeu 20 anos, estudante de engenharia, apaixonado por futebol. Nas horas vagas, pesquisa e escreve sobre futebol, contribuindo para o Blog 4-3-3.