Rubro-negra do Funk – Valesca Popozuda
13 de outubro de 2017
Categoria: Entrevistas
Imagem relacionada

 

O funk é frequentemente ligado a futebol, seja com cânticos de torcida adaptados de hits do ritmo, seja com referências da própria letra original. Valesca Popozuda é uma das principais estrelas do gênero no Rio de Janeiro e traz consigo uma alma rubro-negra, marcando presença constante em estádios e em jogos do seu time do coração. Batemos um papo rápido com ela sobre o esporte e outras diversas questões ligadas a futebol. Confira na íntegra:

1- Você é torcedora do Flamengo assumida. Como surgiu o amor pelo clube carioca?

Desde quando me entendo por gente, sou flamenguista. Cresci torcendo pelo Flamengo e não me vejo torcendo por outro time.

2- Muitas mulheres ainda relatam o ambiente de arquibancada um tanto quanto hostil pelo fato de ser um lugar predominantemente masculino. Você costuma frequentar o estádio? Como vê essa questão?

Sempre frequentei e foi tranquilo, dei sorte de nunca passar por um problema maior, acho que hoje em dia melhorou muito. Precisamos, claro, sempre ter cuidado, pois ainda existem pessoas que vão ao estádio apenas para fazer bagunça.

3- Como uma cantora de sucesso, você faz muitos shows pelo Brasil e pelo mundo. Alguns desses duram a noite inteira. É mesmo comum a presença de jogadores conhecidos nestes lugares?

Eu vejo apenas quando eles estão de folga, nunca presenciei ninguém curtindo uma noitada enquanto na verdade deveria estar na concentração.

4- Pouco tempo atrás, em turnê pela Europa, você visitou o plantel do Anderlecht, uma presença um tanto quanto incomum. Como surgiu a oportunidade de visitar o clube? Você já o conhecia?

Não conhecia, quando disse ao meu filho que estaria na cidade próxima ao clube ele disse “Mãe, vai lá visitar e tira bastante foto”, acabei indo.

Resultado de imagem para valesca popozuda anderlecht

A cantora bateu uma bola com os jogadores do time Belga.

5- No Rio de Janeiro é muito comum o Funk usar o futebol como inspiração. Hits como “É o Pet”, “Bonde do Mengão sem freio” e “É o Trem Bala da Colina” emplacaram facilmente por aqui. Por que acha que essa aderência entre os meios acontece de uma maneira tão natural no estado carioca? Já pensou em lançar uma música com o tema futebol?

Minhas musicas já viraram paródia e eu acho o máximo. Nunca pensei em fazer pois geralmente alguém já usa alguma música minha pra fazer refrão de torcida, eu adoro.

Leia também: Uma febre que veio para ficar – FutParódias

6- Quais são seus melhores amigos dentro do esporte?

Não tenho amigos, mas sempre que encontro o Neymar e o Léo Moura sou muito bem tratada por eles, assim como sou por outros jogadores. Recentemente ganhei uma camisa (a nova do Flamengo) enviada pelo clube e pelo Diego (meio campista do rubro-negro.

7- Há uma foto sua com uma camisa do Manchester United ao lado do Fábio, que na época defendia o QPR. Você se interessa por futebol europeu também? Costuma acompanhar?

Vejo mais as finais dos campeonatos, como meu filho acompanha muito, eu acabo assistindo junto com ele!

Resultado de imagem para valesca popozuda anderlecht

Valesca já posou com a camisa do gigante inglês de Manchester.

8- Qual é o jogo mais emocionante que acompanhou? Porque?

Flamengo x Fluminense sempre é uma emoção. Sempre me arrepio com esse clássico histórico.

9- Como uma personalidade famosa e, acima de tudo, mulher, como você enxerga o atual panorama do futebol feminino?

Eu acho pouco valorizado, adoraria ver um campeonato feminino ser transmitido por algum canal da TV aberta aqui no Brasil.

10- Foi um prazer concluir essa entrevista, faça suas considerações finais e mande um recado para os seus fãs. Grande abraço!

Obrigada pelo carinho. Que o futebol seja sinônimo de paz nos campos e na arquibancada, com todas as torcidas se respeitando.

Postado por Renan Castro 23 anos, administrador, torcedor do Flamengo, natural de Nova Iguaçu - RJ, fã de aviação e dono de três quadros: Vestindo o Futebol, Ícones Alternativos e Memória FC.