Olhar 4-3-3: Obrigado, Chape!
1 de dezembro de 2016
Categoria: 4-3-3 e Olhar 4-3-3

O Olhar 4-3-3 surgiu com o intuito de ser um meio de mostrar novos jogadores e contar um pouco da trajetória deles. No entanto, em meio à esse momento de comoção mundial, acreditamos no poder de cada mensagem e, por isso, esta edição será especial.

Era madrugada, o silêncio tomava conta das cidades ao redor do Brasil. No entanto, um barulho nos trouxe o sinal de alerta. As emissoras televisivas colocaram no ar os seus plantões informativos, aqueles que sempre nos deixam em alerta, faz o coração bater mais forte e a ansiedade aflorar. Nossa torcida? Sempre pelo melhor, independente de com quem ou para quem.

No entanto, dessa vez a nossa torcida não adiantou. Um avião havia sumido do radar na Colômbia, não se sabia ao certo o motivo, nem o paradeiro. Mas, sabíamos quem estava à bordo, eles, os nossos heróis, os jogadores do verdão do oeste catarinense. As primeiras notícias não nos animaram, pelo contrário, trouxeram as lágrimas aos nossos olhos.

A cada minuto que passava, tudo piorava e o mundo perdia, mesmo que por algumas horas, o seu brilho. Nada desta magnitude acontecera em nosso território, não desejaríamos que acontecesse com ninguém, mas… logo com você Chape?

O clube mais simpático do nosso futebol, chegou aos poucos, desacreditado, desbancou os gigantes, se impôs. Nos comoveu com sua bravura e cativou milhões, que torceram pelo seu título sul-americano. Sim, nos arrependemos muito de termos comemorado a defesa de São Danilo que, com sua perna direita, fez mais um de seus milagres em seu templo preferido, a Arena Condá.

De Danilo até Bruno Rangel, de Santa Catarina até a Colômbia. Todas as distâncias tornam-se pequenas quando acreditamos no poder do futebol, quando acreditamos no amor que nos faz viver em torno deste esporte. E o mundo da bola nos mostrou isso, o Atlético Nacional, o Real Madrid, o Barcelona, o PSG, o Copenhague, o mundo.

A cada passe dado, a cada finalização em gol, a cada defesa feita em nosso território, lembraremos de vocês e do que fizeram em busca de um sonho. Obrigado por tudo Chapecoense, jamais lhe esqueceremos.

“Que lo escuchen, en todo el continente, siempre recordaremos, campeón al Chapecoense”

PS: Deixo aqui, de modo pessoal, meus pêsames à todos os parentes e familiares de toda e qualquer pessoa afetada pela tragédia e aproveito para ressaltar a importância dos jornalistas que lá estavam e que nos deixaram. Victorino Chermont, sempre o melhor no que se propunha a realizar, uma de minhas principais referências esportivas. Mário Sérgio, craque com a bola nos pés e com o microfone nas mãos. Guilherme Marques, revelação do jornalismo esportivo carioca. Dentre todos os outros.

Muito obrigado, cultivaremos vossos legados!
Postado por Hugo Alves