Olhar 4-3-3 – Dušan Tadić
24 de outubro de 2016
Categoria: 4-3-3 e Olhar 4-3-3

Canhoto, jogador de lado de campo e sempre preciso nas assistências. Essas são apenas algumas características de Dušan Tadić, meia sérvio do Southampton que tem chamado atenção com sua incrível capacidade de criar oportunidades, além de excelentes atuações com a camisa da sua seleção. Tadić é o cara do Olhar 4-3-3 dessa semana.

Nascido na antiga Iugoslávia, o camisa 11 iniciou sua trajetória nos campos do AIK Backa Topola, clube de sua cidade natal. Após um início de carreira e uma evolução dentro do esporte, chegou ao FK Vojvodina, clube do norte da Sérvia onde assinou o seu primeiro vínculo profissional como jogador de futebol, estreando na primeira divisão do campeonato sérvio.

Visivelmente diferenciado em relação aos demais, Tadić teve sua primeira aparição a nível europeu ainda pelo clube sérvio quando marcou contra o Austria Viena na fase de classificação da Uefa Europa League. Apesar do gol marcado, a sua equipe foi eliminada por 5-3 (agregado). Com sua habilidade já comprovada, passou a ser alvo de clubes de menor expressão na Europa e em meados de 2010 chegou ao Groningen, da Holanda.

(Uma das primeiras aparições de Tadic, ainda pelo FK Vojvodina)

O seu visível potencial de crescimento e uma certa reputação em seu país lhe abriram as portas das grandes ligas europeias de futebol. Logo em sua partida de estreia contra o Ajax, o até então ponta-esquerda colaborou para a vitória com uma assistência, dando indícios do que era capaz de produzir. Ao fim do ano, Tadić contabilizou 7 gols marcados e 22 assistências em 41 partidas. Tais números renderam ao jovem jogador o posto de terceiro melhor ‘garçom’ da Europa, ficando atrás apenas de Messi (25 assistências) e Mesut Ozil (26 assistências).

A rápida adaptação ao futebol holandês e o surpreendente resultado na temporada de estreia chamaram a atenção do Twente, que desembolsou cerca de 7.7 milhões de euros para contar com o sérvio. No novo clube teve sua melhor fase, sendo peça fundamental da equipe e alcançando números surpreendentes, mais uma vez, no âmbito das assistências, quesito que sempre lhe rendeu certo destaque. Na temporada 13/14, por exemplo, foi o líder absoluto de passes importantes na Europa, com 133, ficando na frente de nomes como Hazard e Nasri que não passaram dos 100.

Foto: Whoscored.

Novamente, as boas atuações levaram Tadić a subir mais um degrau em sua carreira. Desta vez, o meia chegaria até o badalado Southampton, que vinha de uma excelente temporada sob o comando de Maurício Pochettino. No entanto, o argentino deixou o clube. Para o seu lugar, Ronald Koeman foi chamado e contratou o meia para suprir a ausência de outra peça importante no time, Adam Lallana.

Conhecido por sua boa técnica e principalmente por sua versatilidade, Adam Lallana sempre foi fundamental para o bom funcionamento do esquema de Pochettino. Entretanto, a saída do meia para o Liverpool provocou um hiato no meio campo dos Saints que – agora sob o comando de Koeman – fora preenchido pelo sérvio, sendo a primeira contratação do treinador holandês na temporada.

Já na sua temporada de estreia em território britânico, veio a titularidade ao lado de Mané e Pellé. O trio foi responsável por grande parte dos gols dos Saints na temporada que por pouco não alcançou a tão sonhada vaga na fase de grupos da Uefa Europa League. Tadić, novamente, figurou entre os três primeiros no quadro de assistências com 7 passes para gol.

A dupla, junto de Mané, fez muito sucesso no litoral da Inglaterra.

Depois de ficar no quase em seu primeiro ano de clube, na temporada seguinte o objetivo finalmente foi alcançado. Com a manutenção do time e a continuidade do projeto de Ronald Koeman, os Saints chegaram até a zona de classificação da Europa League e mais uma vez contaram com a preciosa ajuda de Tadić, que terminou a temporada com 10 assistências, três a mais do que na temporada anterior.

TEMPORADA ATUAL: Mudança de posição


A temporada atual, no entanto, começou de forma conturbada no St. Mary’s Stadium. A onda de transferências que tirou Pochettino, Lallana e Lambert dos Saints voltou a passar e desta vez carregou consigo o treinador Koeman e dois dos três principais jogadores ofensivos da equipe. Mané, negociado com o Liverpool e Pellé, negociado com o futebol chinês. Tadić, no entanto, permaneceu na equipe.

Para o lugar de Koeman foi chamado o treinador francês Claude Puel, até então técnico do Nice, da França. A chegada de Claude à Inglaterra mudou a forma de jogar do meia sérvio, que ao invés de atuar pelos lados, como fez durante grande parte de sua carreira, passou a atuar centralizado, como meia-armador. A função, no entanto, condiz com a sua realidade técnica uma vez que o jogador executa muito bem a função de um meia, dando passes decisivos e sendo fator surpresa. Em sua nova função, Tadić aparenta ter se adaptado rapidamente e segue mantendo a regularidade com boas atuações que lhe renderam o posto de jogador chave e indispensável da equipe.

SELEÇÃO:

Camisa 10 de sua seleção, o meia é decisivo para seu país.



Jogador da seleção sérvia desde 2008, Dušan sempre dividiu as atenções com jogadores de carreiras consolidadas na Europa. No entanto, as passagens em alto nível pelo futebol holandês deram ao jogador mais destaque dentro da equipe. Atualmente, Tadić é peça fundamental dentro do esquema tático da equipe, sendo o jogador crucial para a criação de jogadas e oportunidades de gol, como nos clubes por onde passou.

Postado por Hugo Alves