Olhar 4-3-3: Arkadiusz Milik
19 de dezembro de 2016
Categoria: Olhar 4-3-3

Não tão desconhecido assim, mas importante para o Napoli e sondado pelos gigantes europeus, o atacante polonês Arkadiusz Milik é o cara do Olhar 4-3-3 dessa semana.

Milik começou sua carreira futebolística no modesto futebol polonês, onde defendeu o Rozwój Katowice e o Górnik Zabrze por apenas duas temporadas. Observado desde seu início profissional, não demorou muito até que fosse levado a uma das grandes ligas do futebol internacional, sendo contratado pelo Bayer Leverkusen pela bagatela de 2.6 milhões de euros.

A quantia, modesta para um atacante polonês se formos compará-lo ao principal deles, representava a aposta no potencial de Milik que ainda não havia sido mostrado ao mundo. Porém, estamos falando de Bayer Leverkusen, time que tradicionalmente briga por vagas nas competições europeias e tem como seu principal destaque um atacante, Stefan Kiessling.

Com este detalhe já evidenciado, fica fácil entender o motivo pelo qual Milik pouco atuou com o uniforme rubro-negro e, por isso, foi emprestado ao Augsburg por uma temporada com aquela justificativa padrão de “ganhar experiência”. Uma temporada no Augsburg só serviu para mostrar o seu poder de decisão quando marcou aos 88′ empatando a partida frente ao B. Monchengladbach.

A temporada seguinte, no entanto, fora diferente para o jovem atacante que foi mais uma vez emprestado para adquirir rodagem, desta vez, para o Ajax. Apesar do Ajax ser um time gigante e ter sua história conhecida por todos os amantes do futebol, a Eredivise não é uma das ligas mais fortes da Europa e tem o seu valor associado aos jovens talentos que nela surgem.

Milik demonstrou sua capacidade durante o empréstimo de um ano, marcando 11 gols em 21 partidas o que levou os holandeses a buscarem sua contratação em definitivo. O jogador que antes valia 2.6 milhões de euros já estava valendo 2.8 milhões, um investimento aceitável e necessário para o Ajax que havia perdido seu principal atacante, o islandês Kolbeinn Sigþórsson.

Já adaptado ao futebol holandês e bem quisto bela torcida do Ajax, Milik tinha – pela primeira vez em sua carreira – a oportunidade de ter a continuidade em uma equipe, o que o fez muito bem. Na sua segunda temporada com a camisa mais tradicional da Holanda, o atacante marcou 21 vezes em 31 aparições na liga holandesa, mantendo o mesmo desempenho da temporada anterior.

Com a sua grande capacidade de balançar as redes já comprovada, Milik passou a ser alvo de sondagens dos diversos clubes da Europa, mas foi tentado ao futebol italiano, mais especificamente, o Napoli que estava em busca de um camisa 9 já que Higuaín acabara por assinar com a Juventus. O polonês chegou e logo de cara chamou a atenção com seus gols o que o levou a dividir espaço com Lewandowski na seleção.

Infelizmente, um revés em sua carreira tratou de parar a sua sequência de boas atuações. Um rompimento dos ligamentos do joelho enquanto defendia sua seleção frente a Dinamarca. Justamente no momento em que o atacante já tinha mais gols do que partidas pelo Napoli, um início realmente avassalador.

A sina do atacante de passar pouco tempo por um determinado clube parece não estar em seu final. Seu desempenho inicial na Itália despertou a atenção dos gigantes, que já estudam a sua contratação, em especial, o Real Madrid, ironicamente, adversário do Napoli nas oitavas-de-final da Uefa Champions League.

Milik em estatísticas (Foto: Getty Imagens/Fotomontagem: Hugo Alves)
Avatar
Postado por Hugo Alves