O que esperar do trio de ferro do Recife em 2020?
30 de abril de 2020
Categoria: 4-3-3

 

O futebol recifense está com representantes nas três divisões do país.

O Sport encabeça a lista, sendo o único clube do estado na primeira divisão, o Náutico aparece na segunda e o Santa Cruz na terceira, cada um com a sua particularidade.

Devido a pandemia do Covid-19, o ano futebolístico no Brasil e no mundo está em risco. Risco de não haver futebol por um longo período; risco de alterarem formatos e datas para a realização dos campeonatos; e mais outras incógnitas que só o tempo irá conseguir responder. Portanto, levarei em conta o que se esperar do trio de ferro pernambucano apenas nas competições nacionais.

Santa Cruz

Pipico: artilheiro e ídolo tricolor.

O Santa Cruz Futebol Clube iniciou o ano muito bem, apesar das dificuldades financeiras do clube e de um plantel bastante reduzido.

Sob o comando do técnico catarinense Itamar Schülle, o tricolor do Arruda manteve-se invicto no Campeonato Pernambucano, liderando a primeira fase do torneio com sete vitórias e um empate nos oitos jogos que disputou. O destaque da equipe é o centroavante Pipico, que foi artilheiro da Copa do Brasil em 2019 e logo caiu nas graças da torcida pois, além de ser o grande fazedor de gols, é a referência técnica da equipe. Outro destaque da Cobra Coral é o goleiro Maycon Cleiton que, substituindo o ídolo tricolor Tiago Cardoso, demonstra ser um alicerce forte na defesa do Santinha.

Com o novo formato de disputa da Série C, que é o principal objetivo da equipe, as chances de subir de divisão aumentaram gradativamente. A equipe demonstrou solidez no campeonato supracitado, porém, acabou sendo eliminada no mata-mata e permaneceu na terceira divisão. Agora, com o sistema de quadrangulares, o Santa precisa manter o bom rendimento que demonstrou possuir no Pernambucano.

Apesar de possuir adversários fortes como o Remo, Vila Nova e Paysandu, o tricolor irá estrear na competição como favorito, tendo apoio da sua massiva torcida e de elenco que se demonstrou forte até então. Lembro também que o Santa está vivo na Copa do Nordeste, apenas a um ponto da zona de classificação para a segunda fase. Na Copa do Brasil, a equipe foi até o seu limite. Enfrentando um adversário da série A (Atlético Goianiense), empatou o jogo fora de casa com um jogador a menos e perdeu nos pênaltis (4×3 para o Atlético).

O ano, então, parece promissor para o Santa Cruz no que se refere ao acesso para a segunda divisão. Esperemos para ver se o time demonstrará a regularidade do começo do ano, pois, caso assim o faça, será um grande favorito para conquistar a taça da Série C de 2020 e por conseguinte, o tão sonhado acesso.

Náutico

Jean Carlos é o grande destaque da equipe no ano

O Clube Náutico Capibaribe iniciou o ano em festa. Atual campeão da Série C, o Timbu, sob a gestão do presidente Edno Melo, conquistou o Campeonato Pernambucano de 2018, sanou boa parte das dívidas do clube e conseguiu êxito na campanha de sócio torcedores. Manteve ainda o treinador, também catarinense, Gilmar Dal Pozzo.

A direção do clube trouxe o ídolo Kieza e Eric (que surgiu da base do clube) de volta para a temporada 2020, que tem como destaque, até então, o meia-atacante e camisa 10, Jean Carlos, que é um dos artilheiros da equipe no ano. Jean fez o gol que deu o empate ao Náutico na Copa do Brasil contra o Botafogo, mas a equipe carioca acabou angariando a vaga nos pênaltis (4 a 3 para o Botafogo).

Com o bom goleiro Jefferson e a zaga liderada pela volta do ídolo Ronaldo Alves, o time não vem sofrendo nas partidas, apesar de ter atuações oscilantes, o que preocupa boa parte dos torcedores. Na esperança que o bom meio campo, com nomes fortes como Josa e Jean Carlos, “dê liga” e consiga fazer uma boa parceria com Kieza, Eric e Jorge Henrique para que a equipe encontre um equilíbrio.

Na zona de classificação para a Copa do Nordeste, a equipe alvirrubra, caso consiga encontrar o bom equilíbrio entre o sistema defensivo e ofensivo que ainda não se provou em 2020 como em 2019, possue todas as armas em mãos para disputar o acesso para a primeira divisão.

É difícil imaginar o Náutico com o plantel atual, permanência do treinador e com as boas contratações feitas, não brigando na parte de cima da tabela da Série B. O caminho é mais árduo que o do Santa Cruz para subir de divisão devido aos adversários como: Cruzeiro, CSA, Vitória, América-MG e Chapecoense. Diria que, junto com o Náutico, essas seis equipes serão as favoritas para conseguir o acesso. Assim como os tricolores, os torcedores do Timbu devem sonhar grande nesse ano, já que de fato possui os elementos para ficar e disputar, na parte de cima da tabela.

Sport

Sport vive ano de expectativa pela volta à elite, mas as previsões não são das melhores

O Sport Club do Recife, diferente dos seus rivais locais, possui a pior das expectativas do trio de ferro em competições nacionais.

Com uma nova diretoria, que, mantém os pés no chão e procura equilibrar as contas exageradas que seus antecessores fizeram e levaram o clube a possuir dividas milionárias, o plantel da equipe é limitada para quem almeja grandes conquistas na primeira divisão do nosso futebol.

O Sport perdeu seu maior ídolo, Magrão, que se aposentou no ano passado, marcando de maneira negativa a sua história no Leão da Ilha do Retiro. Além disso, deu adeus também aos destaques da equipe no ano passado: Ezequiel, que foi o melhor jogador do Campeonato Pernambucano de 2019, foi para o Cruzeiro ainda em meados de 2019 e Guilherme, melhor jogador do clube na Série B, acabou sendo vendido e hoje pertence ao Al Faisaly, da Arábia Saudita.

O grande mérito referente ao plantel da equipe foi manter o artilheiro Hernane e o volante Willian Farias, já que ambos demonstram solidez em suas funções com uma regularidade que não é particular dos demais jogadores. O Sport lutou no campeonato estadual para entrar na zona de classificação e após inúmeros empates e derrotas no início de 2020, o técnico paulista Guto Ferreira, acabou sendo demitido do clube, mesmo após subir como o segundo colocado do campeonato nacional no ano anterior.

Outro paulista assumiu o comando técnico do clube. O ídolo do leão, Daniel Paulista, que estava fazendo um bom trabalho na equipe sergipana do Confiança, foi eleito para reinventar a filosofia de jogo do leão rubro-negro. As poucas contratações da diretoria são justificadas pela falta de dinheiro no caixa e um limite pífio de salário para contratar atletas de alto nível, como foi o caso da tentativa de repatriação do ídolo Diego Souza, mas o clube e o jogador não obtiveram um acordo e o jogador carioca acabou indo para o Grêmio.

Como disse, o Sport é o clube do trio de ferro que tem o pior cenário desenhado para o ano de 2020. Com um elenco limitado, técnico inexperiente e com o nível da primeira divisão, o máximo que o clube deve almejar é ficar de fora da zona de rebaixamento, já que, ao iniciar o campeonato, é um dos favoritos ao descenso.

Avatar
Postado por Roberty Vieira 22 anos. Pernambucano. Estudante de filosofia e apaixonado por futebol, estatísticas e história. A melhor analise de um fato é procurar entender o seu antes e projetar o seu depois. Twitter: @robertyvsantos