Longe dos Holofotes #02 – Danilo Soares
15 de abril de 2016

Peneiras, semanas de clube e poucas oportunidades. Essa é uma realidade bastante vivenciada no futebol brasileiro. Garotos de diferentes idades tentam em vários times diferentes, passam em algumas, desistem pela falta de chances e por vezes largam mão do sonho de ser jogador. Porém, alguns continuam tentando até conseguir, outros acham alternativas diferentes. O lateral esquerdo Danilo Soares, por exemplo, resolveu deixar o país ainda com 18 anos, e rumou a Áustria para tentar se profissionalizar de fato na profissão.

Para isso, contou com a ajuda de empresários, e por fruto de seu trabalho, conseguiu as oportunidades que esperava, atuando de 2010 até 2013 no Austria Lustenau. Do clube austríaco rumou ao pouco conhecido Ingolstadt, da segunda divisão alemã. A equipe, muito nova, de 2004, tinha àquela altura o sonho de chegar a elite. Logo na sua segunda temporada com o clube, Danilo conquistou junto de seus companheiros o título de 2.Bundesliga, chegando enfim a tão sonhada primeira divisão alemã.

Foi na Áustria que Danilo recebeu sua primeira oportunidade profissional.

Estavam ali juntos um garoto que começou com 6 anos no Saga Esporte Clube, de Belo Horizonte, e 17 anos depois realizava seu sonho, e seu time, o Ingolstadt, que também realizava um sonho muito rápido. Foram apenas 11 anos entre a fundação e a chegada a elite. Um desses “casamentos perfeitos”. Os dois enfim chegavam a elite do futebol, local que sempre vislumbraram nesse curto tempo de carreira e existência.

Infelizmente uma lesão apareceu, e até aqui o brasileiro entrou apenas uma vez em campo, porém, a equipe está bem tranquila na nona colocação, e oportunidades não vão faltar para que ele enfrente os astros da liga.

“Até o momento joguei apenas 1 jogo na primeira divisão, infelizmente sofri uma lesão no ano passado quando fomos campeões da segunda divisão e ainda não consegui me recuperar 100%. Ainda não realizei meu sonho de jogar diretamente contra os melhores jogadores da liga, gostaria muito de enfrentar os astros do Bayern Munchen”

Por conta de lesão, Danilo ainda não conseguiu uma sequência na elite, mas foi essencial na campanha do acesso.

Se a língua foi problema no começo, o resto foi muito tranquilo para o lateral. Mesmo sem conhecer a estruturas de grandes clubes da terra tupiniquim, o seu conhecimento de causa na Alemanha é suficiente para ressaltar a diferenciação do país no que se refere a formação de atletas.

“Olha, não sei muito dizer sobre a estrutura, não participei de nenhuma categoria de base de time grande no Brasil, o que eu posso lhe falar com propriedade é que aqui na Alemanha eles trabalham desde cedo com formação tática e isso ajuda bastante para o futuro profissional dos garotos”

google_ad_client = “ca-pub-1840200022341496”;
google_ad_slot = “5007518762”;
google_ad_width = 620;
google_ad_height = 60;



Pouco conhecido pelo público do país, Danilo tem o sonho de atuar na sua terra natal, principalmente no Atlético Mineiro, clube do coração por qual ele não esconde carinho. E para aqueles que querem ficar de olho no trabalho do jogador, basta ficar atento ao lado esquerdo do Ingolstadt, é por lá que o lateral, de características defensivas, segundo o próprio, costuma mostrar seu futebol.


“Eu sou um lateral que se preocupa muito com a parte defensiva, dou prioridade primeiro em defender e depois atacar, para mim este é o papel dos laterais”

Lateral de poderio defensivo: algo que falta no futebol atual.

Apesar das negativas em várias categorias de base e de algumas dificuldades que enfrentou até emplacar na carreira, coisas como se ver nos jogos de vídeo game são um sonho realizado e só provam que vale a pena insistir. O lateral ainda tem 24 anos e sonha em alçar voos ainda mais altos já que sua vida lhe provou que sonhar não custa nada.


“Para quem sonha em ser um jogador e futebol, não desista do seu sonho, corra atrás, se dedique. Da mesma forma que eu consegui vocês podem conseguir”


Assim como na vida, encontram-se muitas portas fechadas no futebol e pode demorar para que uma esteja aberta e te receba. Danilo encontrou a sua bem longe do Brasil e na base do trabalho e da perseverança vai abrindo cada vez mais portas. Mais uma dessas histórias que não precisam de holofote nenhum para chamar atenção.


“Um abraço pra galera do 4-3-3 e foi um prazer participar e interagir com vocês. Que deus abençoe a todos.”


Entrevista com colaboração de David Diezo.






Postado por Andrew Sousa Formando em Jornalismo justamente pela paixão pelo esporte, sente enorme prazer em poder escrever sobre o que ama. Apaixonado por um bom domínio e alguns jogadores ruins, vive o futebol desde o primeiro dos seus vinte anos.