Jogo do milhão: por que partida da Segunda Divisão Inglesa é considerada a mais valiosa do mundo?
26 de maio de 2021
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Internacional

Considerada a partida mais valiosa do mundo, final da Championship representa grandes ganhos para clube que disputar a Premier League (Fonte: Bristol Live)

Entenda o contexto e os valores da final dos Playoffs da Championship

O futebol como negócio se apresenta cada vez mais robusto nos valores que envolve. Patrocínios, direitos de televisão e vendas de atletas, entre outros, foram as principais contas infladas com o desenvolvimento do mercado esportivo.

Uma partida que envolva equipes com grande apelo, tende a atrair grande atenção do público e por isso, se torna valiosa. Na temporada 2019/20 por exemplo, a UEFA distribuiu € 2,5 bilhões para os clubes que participaram da Champions League (€ 2 bi) e Europa League (€500 mi). Aquele clube que apenas participa da fase de grupos da principal competição do continente já garante €15,25 mi, mesmo se perder todas as partidas que disputar.

Mas o jogo considerado o mais valioso do mundo não ocorre em nenhuma competição continental… e nem de primeira divisão. O confronto que garante mais dinheiro a um clube, é a final dos Playoffs da Segunda Divisão da Inglaterra, a Championship que nesta temporada será entre Brentford x Swansea City no próximo dia 29.

A alcunha porém, nada tem a ver com a premiação, mas sim por uma composição de receitas garantidas pelo clube que subir à primeira divisão. Vamos aos números (e ao contexto):

*se você já entende com funciona a dinâmica da competição, sinta-se à vontade para pular para o próximo tópico.

Championship para iniciantes

A segunda divisão inglesa é uma das principais ligas do mundo em termos de receita e bate de frente com outras competições nacionais de primeiro escalão. Um clube da Championship arrecada em média € 40 milhões por temporada, mais do que um rival holandês (€ 33 milhões) e português (€24 milhões) de primeira divisão, para exemplificar.

A competição tem 24 equipes, das quais as três últimas são rebaixadas à terceira divisão (chamada de League One) e as duas primeiras têm acesso direto para a Premier League da próxima temporada. A terceira vaga de acesso, porém é disputada em formato diferente: os playoffs são mata matas em que as quatro melhores equipes não classificadas automaticamente (ou seja, 3º, 4º, 5º e 6º colocados) disputam a vaga entre si.

Em confrontos de ida e volta, o 3º colocado enfrenta o 6º, e o 4º joga contra o 5º. Os vencedores deste primeiro duelo se enfrentam tradicionalmente no estádio Wembley, na capital Londres em partida única, a chamada Final dos Playoffs.

Distribuição bolo na Inglaterra

Ao subir para a Premier League, o clube vencedor terá um salto de patamar financeiro (e por consequência, provavelmente esportivo). Isto porque os valores arrecadados pela liga com a venda de transmissão (nacionais e internacionais) das partidas é gigantesca. O acordo que envolvia as temporadas 2017/17, 17/18 e 18/19, foi negociado por £5,1 bi por exemplo (leia mais aqui).

Parte deste dinheiro e das receitas comerciais, são repassados aos clubes da seguinte maneira: do arrecadado com as transmissões nacionais, metade é dividido igualmente entre os clubes (chamado de “Equal Share”). 25% é distribuído baseado na quantidade de vezes que um clube teve sua partida transmitida no Reino Unido (conta chamada de “Facility Fee”); e os 25% restantes estão atrelados à classificação final da equipe (o “Merit Payment”) que paga mais às melhores equipes colocadas (mais ou menos £2 milhões a cada posição na tabela).

Os direitos de transmissão internacionais, por sua vez, são distribuídos igualmente entre os clubes (“International TV”), mesma lógica das receitas comerciais (“Central Commercial”). Na temporada 2018/19 a liga repassou £ 2,45 bilhões aos vinte clubes da primeira divisão, com as contas discriminadas na tabela abaixo.

Distribuição de receitas para os clubes da Premier League na temporada 2018/19 (Fonte: Premier League)

Sistema paraquedas

Além destes repasses para os integrantes da primeira divisão, as equipes rebaixadas também recebem um auxílio financeiro: o sistema paraquedas (ou pagamentos paraquedas, “parachute payments”).

Criada pela Liga na temporada 2006/07 o sistema, como o nome já diz, pretende suavizar durante até três temporadas, a queda de uma equipe da elite para a Championship através de repasses de porcentagens dos direitos de transmissão.

Em sua primeira temporada na segunda divisão o recém-rebaixado recebe 55% dos valores ganhos na primeira divisão pelos direitos de transmissão (nacionais e internacionais). Na segunda temporada ainda embolsa 45% do montante e, caso o clube tenha se mantido na Premier League por no mínimo duas temporadas antes de cair, receberá 20% em seu terceiro ano. Caso retorne à elite durante este triênio, os benefícios cessam.

Estes pagamentos anuais representam uma grande vantagem para àqueles elegíveis a recebe-los. Um clube beneficiado tem receitas quase 250% maiores do que seus rivais de Championship (tabela abaixo), o que oferece grande vantagem na busca por futuros acessos.

Segundo estudo publicado no Journal of Global Sport Management, que levou em conta nove temporadas da Championship, clubes que recebem os pagamentos de paraquedas tem o dobro de chances de retornar à elite e uma chance consideravelmente menor de cair para a League One (leia o estudo completo).

Clube da Championship elegível a receber dinheiro do sistema paraquedas ganha em média quase 250% a mais do que clube que não tem este direito (fonte: Deloitte Annual Review of Football Finance 2020)

Na temporada 2018/19 as principais fontes de receita dos clubes da Championship vieram, em primeiro lugar, dos direitos de transmissão (incluindo sistema paraquedas, 54%), depois das receitas comerciais (25%) e das receitas com matchday (21%). Os pagamentos do sistema paraquedas isolados, contribuíram com 30% do arrecadado, se tornando a principal fonte de receitas da competiçãosegundo relatório da Deloitte.

Como título de curiosidade, a Premier League ainda possui os pagamentos de solidariedade para a Championship, League One (3ª Divisão) e League Two (4ª Divisão). A distribuição consiste em porcentagens do terceiro ano do sistema paraquedas (20% das receitas de transmissão): a 4ª divisão recebe 3% do valor, a 3ª ganha 4,5% e os clubes da Segunda Divisão que não têm o “socorro” do sistema paraquedas, recebem 30% do valor.

Como explicado até aqui, a final do playoff é extremamente valiosa por representar acesso à Premier League e todas as consequências econômicas que isto representa. Peguemos como exemplo o Huddersfield Town da temporada 2019/20, que ficou na última colocação somando apenas 16 pontos e por isso foi rebaixado à Championship.

O clube recebeu 96,2 milhões de libras esterlinas na Primeira Divisão e, na temporada seguinte, já na Championship, recebeu o primeiro ano de pagamento do sistema paraquedas (55% do equal share, que baseado nos valores de sua queda foram de 42,6 milhões de libras) e receberá nas próximas temporadas, algo em torno de 34,8 milhões (correspondente aos 45% do segundo ano) e mais 15,5 mi (no terceiro ano por ter permanecido na Premier League por duas temporadas antes da queda).

Definindo como base estes valores, um clube que suba de divisão e caia na temporada seguinte, seria de 173,6 milhões de libras esterlinas. No caso do Huddersfield o valor seria ainda maior, 189,1 milhões, pelo pagamento do terceiro ano do sistema paraquedas.

Valores comparativos entre finais de diferentes esportes, em dólares, mostram a valorização da final dos Playoffs da Championship (fonte: ESPN FC)

Este valor varia de acordo com os clubes envolvidos na decisão (já que um finalista do Playoff pode estar recebendo pagamentos correspondentes ao sistema paraquedas e por isto esta estimativa seria menor) e com temporada (já que depende das negociações do direitos televisivos).

Nesta temporada a final será entre Brentford x Swansea, clubes que venceram Bournemouth e Barsnley respectivamente. O confronto serve como exemplo prático da variabilidade dos valores: enquanto o primeiro tenta seu primeiro acesso após 74 anos, o clube galês recebe nesta temporada seu terceiro ano de pagamento paraquedas já que permaneceu sete temporadas na Premier League após ser rebaixado em 17/18.

Outras vantagens econômicas indiretas de jogar a Premier League envolvem diversos outros tipos de ganho, como por exemplo aumento de valores relacionados à patrocínio e receitas comerciais. Quando subiu para a Premier League, o Leeds United trocou de fornecedor de material esportivo, da Kappa, para a Adidas, em um acordo “recorde” para o clube. Receitas com bilheteria e transferência de jogadores (uma vez que são valorizados por atuarem na competição), também tem seu aumento influenciado pela participação na Premier League.

Postado por Theodoro Montoto Paulistano de 22 anos, estudante de administração da FAAP-SP que acredita que se a arte imita a vida, viver o futebol seria um bom ponto de partida para começarmos a entender ambas as coisas. Escrevo sobre gestão e marketing esportivo no futebol