ÍCONES ALTERNATIVOS #15 – O subestimado ícone Bósnio
2 de maio de 2017

É assim que devemos tratar Sejad Salihovic, um dos melhores jogadores bósnios da história. Jogador conhecido por seus chutes de longas distancias e suas cobranças de falta, Salihovic foi um dos grandes ícones de seu país. Sejad, nasceu em Gornji Sepak (hoje pertence a Bósnia) na antiga Iugoslávia no dia 8 de outubro de 1984.

Salihovic começou sua carreira nas categorias de base do Minerva Berlim e sucessivamente no modesto Zehlendorf, da Alemanha. Após dois anos sendo o destaque das divisões inferiores da equipe, em 2000 o promissor jogador recebeu uma proposta do tradicional Hertha Berlim, ainda sendo pra permanecer na base, não tinha como o bósnio recusar.

Foram mais três anos nas categorias de base e passagens no time B da capital alemã, até que em 2004 Falko Gotz até então técnico do Hertha sobe o Bósnio ao time principal e Salihovic de fato, começa a escrever a sua história em solos alemães.

Era previsto uma dificuldade grande para tentar uma vaga no time titular da equipe, o meio de campo do time naquela época era composto por bons jogadores, entre eles: o icônico Marcelinho Paraiba, Pal Dardai, Yildirai Basturk, Niko Kovac, além de outros nomes como o do brasileiro Gilberto.

No dia 26 de setembro de 2004, Salihovic entrava em campo pela primeira vez com a camisa do Hertha Berlim, na derrota de 2-1 contra o Hamburgo. Foram dois anos de sem muito destaque na capital alemã, até que em 2006 Salihovic tomaria a decisão que mudaria sua carreira: A ida ao Hoffenheim.

No Hertha, pouco destaque do bósnio que mudaria o rumo da carreira indo para o Hoffenheim.

Ali era o lugar perfeito para o jogador desenvolver seu futebol, time não era forte e precisava de algo inovador, um meia imprevisível e era exatamente isso que Salihovic seria, imprevisível. Hoffenheim estava na segunda divisão e sonhava com o acesso, na temporada 2007/08 ele veio. A revista kicker premiou Salihovic como o melhor jogador da competição, foram seis gols em 27 partidas ajudando o clube a conquistar o acesso.

As temporadas na primeira divisão do clube sempre foram regulares e sempre tendo Salihovic como um dos destaques, metendo golaço aqui, golaço ali. Mas chegou um momento em que o clube não esperava, uma crise inexplicável assombrava o Hoffenheim na temporada 2012/13. No Primeiro Round da DFB-POKAL (copa da Alemanha) o clube tomou incríveis 4-0 do modesto Berliner AK 07 que se situava na quarta divisão do futebol Alemão, essa inclusive foi a maior vitória de um clube da quarta divisão sobre um da Bundesliga.

Após 16 jogos na Bundesliga, o clube colecionava incríveis 11 derrotas, 3 empates e 3 vitorias, o suficiente para a demissão de Markus Babbel. Você deve pensar – “O clube do Hoffenheim deveria ser um dos piores não é ?” Pelo contrário, o clube tinha nomes como Tim Wiese, Gomes, Roberto Firmino, Salihovic, Sebastian Rudy entre outros.

Definitivamente a temporada do Hoffenheim estava indo por agua a baixo, chegou a ultima rodada, o clube precisava vencer o Borussia Dortmund fora de casa pra não ser rebaixado direto e foi exatamente isso que aconteceu. Aquela partida foi uma das mais emocionantes da historia do clube alemão. Logo no Inicio da partida Lewandowski abria o placar para os aurinegros, o desespero no rostos dos torcedores do Hoffenheim era nítido, pensamentos como “Iremos voltar para o velho buraco aonde ficamos por anos”. Até que apareceu a estrela, o ídolo! Com dois gols de pênalti nos últimos treze minutos de partidas, salihovic além de estar marcando mais uma vez seu nome na história do time, botava uma esperança divina nos torcedores do Hoffenheim.

O clube escapou do rebaixamento direto, mas tinha mais uma etapa: os Playoffs contra o terceiro colocado da segunda divisão, o Kaiserslautern. Nas duas partidas foram domínio total dos azuis, em casa vitória de 3-1, fora vitória por 2-1. Destaque para o brasileiro Roberto Firmino, que marcou duas vezes a série. Uma temporada que era pra ser esquecida pelo clube, de um dos melhores times para um quase rebaixamento devastador. Nos momentos de glórias ou de tristeza, Salihovic estava lá, decidindo ou não, mas botando de uma forma bonita seu nome na história do TSG 1899 Hoffenheim. Foram 9 anos, 230 jogos, 62 gols e o mais importante, ídolo e um dos melhores jogadores da história do clube.

Salihovic e o brasileiro Roberto Firmino, grande parceria no clube.

Em 2015, já com uma notável decadência o jogado foi para o milionário futebol chinês aonde jogou por duas temporadas, no começo do ano voltou para a europa, desta vez para atuar no Saint Gallen da suíça.

Carreira na seleção: Ao todo foram 47 jogos e apenas 4 gols, três desses de sua maior especialidade, a cobrança de falta. O momento que mais marcou pela seleção não foi pela principal, mas sim pela SUB-21 em 2006 quando o próprio marcou dois golaços na derrota para a republica tcheca nas eliminiatorias para o Europeu SUB-21 do ano seguinte. Atualmente a bósnia também tem um exímio cobrador de bolas paradas, Pjanic. Mas com certeza parte de seu talento para as cobranças foram apredendo com seu mentor, Salihovic.

Máximo respeito a um ícone de sua geração, um ídolo. Prazer, Sejad Salihovic.

Postado por Zenon Pereira Estudande, fã do futebol mundial, especialmente da Terra da Rainha. Sofredor com o Figueirense e administrador de páginas por aí. Twitter: @Zenon_Pereira11