Guia 4-3-3 do Brasileirão 2018 – Chapecoense
13 de abril de 2017

A Chapecoense chega para o Campeonato Brasileiro como absoluta incógnita. Em números, a Chape vem até razoavelmente bem. Em 21 partidas, foram 12 vitórias, 5 empates e 4 derrotas. O problema é que três das quatro vezes em que foi derrotado, o Verdão d’Oeste foram para o Nacional, do Uruguai e o arquirrival Figueirense. Tropeços que renderam a eliminação na primeira fase da Libertadores e a perda, em casa, do título estadual.

Momento Atual

A situação política da atual Chapecoense foi amenizada com mais de um ano passado a tragédia que matou 71 pessoas em novembro de 2016. Após um ano de reconstrução que rendeu uma inesperada classificação à Libertadores, a Chape entra agora numa etapa ainda mais complicada: se estabilizar novamente entre os times mais fortes fora do G-12.

Calendário

Com a eliminação precoce na Libertadores, a Chapecoense foca apenas nas competições nacionais. Além do Brasileiro, os comandados de Gilson Kleina estreiam na Copa do Brasil a partir das oitavas. Pode ser a oportunidade do clube fazer uma boa campanha: a Chape jamais passou dessa fase.

Início e planejamento

A estreia da equipe será no domingo contra o Atlético-PR, em Curitiba. Pela frente, uma sequência que envolve jogos complicados: nas primeiras dez rodadas a Chape enfrenta Vasco e Flamengo em casa e Palmeiras, Inter, Fluminense e Atlético-MG fora.

Elenco para 2018

A equipe manteve Gilson Kleina, responsável pelo grande trabalho na parte final de 2017, e fez nove contratações para repôr as 18 saídas. Dentre as principais aquisições, está, acredite: Márcio Rodrigues Araújo, o Marcinho, que deixou o Flamengo.

Contratações

• Goleiro: Ivan (Goiás)
• Laterais: Bruno Pacheco (Atlético-PR), Eduardo (Bahia) e Vinícius Freitas (AEK)
• Zagueiros: Nery (Coritiba) e Rafael Thyere (Grêmio)
• Volante: Márcio Araújo (Flamengo)
• Atacantes: Guilherme (Grêmio) e Vinícius (Adanaspor)

Equipe Titular

O time base da Chape vem sendo formado. A equipe joga num 4-3-1-2, que tem "quatro" volantes no meio, com o argentino Canteros, outro ex-Flamengo, jogando mais avançado.

• Jandrei; Eduardo (Apodi), Douglas, Rafael Thyere (Fabrício Bruno), Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Amaral (Elicarlos) e Luiz Antônio; Canteros; Wellington Paulista e Guilherme (Arthur);
• Eduardo tem ganhado a posição de Apodi, por ser um lateral com melhor capacidade defensiva.
• Thyere e Fabrício Bruno disputam a vaga ao lado de Douglas na zaga, com o jovem do Grêmio um pouco à frente.
• Arthur começou o ano como titular e perdeu a vaga para Guilherme, jogador que pertence ao Grêmio e jogou pelo Botafogo na temporada passada.

Destaques
• Positivos:
¤ Jandrei: o goleiro continua tendo ótimas atuações e se firmou de vez como titular absoluto
¤ Guilherme: o atacante, que teve passagem razoável pelo Botafogo ano passado, ainda oscila, mas tem sido muito elogiado em Chapecó e ganhou a vaga no time titular
• Negativos:
¤ Apodi: ídolo do clube, começou mal a temporada e perdeu a posição para Eduardo.
¤ Amaral: já vinha abaixo depois da grave lesão em 2017, e apesar de ser titular, é muito criticado.

Folheie o álbum 4-3-3 completo

 

Avatar
Postado por Pedro Guevara