Guia 4-3-3 do Brasileirão 2018 – América Mineiro
14 de abril de 2017

 

O ano até aqui

O decacampeão e tradicional alviverde de Minas vem de um honroso título da Série B, conquistado com bastante solidez e regularidade, o que de início pode animar a torcida. Mas Série A é diferente e a equipe precisa de ajustes. Após um Campeonato Mineiro não muito convincente, há necessidade de se encontrar uma melhora, principalmente na forma de se propor o jogo e atacar. Para isso, o América conta com uma continuidade de trabalho por parte da manutenção de Enderson Moreira.

Expectativa:

A expectativa é a permanência na elite e nenhuma mais. Já são dois anos subindo e descendo em seguida (2011 e 2016) e dessa vez espera-se que o coelho consiga evitar o rebaixamento. O time da capital mineira conta com uma defesa que foi a melhor da Série B – Rafael Lima e Messias sustentam a proteção e prometem uma menor quantidade de gols sofridos, sem contar, claro, o bom goleiro João Ricardo, que há tempos vem demonstrando qualidade embaixo das traves e já salvou o América por várias vezes. Pode-se destacar também a promessa da base, Matheusinho, que infelizmente teve uma lesão grave no ano passado, mas pode retornar bem no presente ano. Dono de muita agilidade e velocidade, o jovem mudou a cara do ataque americano desde que estreou. Destaque também para as expectativas nas contratações, como o ex-cruzeirense Judivan, além do ex-atleticano Leandro Donizete para reforçar a volância e Wesley, ex-São Paulo. As esperanças de gol estão em Rafael Moura, o He-Man que precisa ser bem servido. A briga contra a degola será difícil, e, na melhor das hipóteses, a equipe pode conseguir a Sul-Americana.

Time base:

O América tem como time ideal: João Ricardo, Norberto, Messias, Rafael Lima, Carlinhos, Donizete, Wesley, Judivan, João Pedro, Aylon (Marquinhos ou Matheuzinho) e Rafael Moura (Aylon).

Folheie o álbum 4-3-3 completo

 

Avatar
Postado por Rudsen Lisboa Fotógrafo, bibliotecário, culé e americano, apreciador do futebol com ideias puras