Guardiola finalmente encontrou seu Messi
27 de fevereiro de 2020
Categoria: Futebol e Internacional

De Bruyne teve atuação de gala em um dos grandes palcos do futebol mundial. (Foto por David Ramos/Getty Images)

Sempre que pode, Guardiola fala aos microfones de toda a sua admiração por Lionel Messi, e como o craque argentino é fantástico. Essas declarações vêm acompanhadas daquele sentimento de saudade e vontade de ter o mesmo em suas mãos novamente. Parece que se tivesse Messi em sua equipe para sempre, isso o faria ser quase que imbatível, como foi quando teve o craque argentino à sua disposição na Catalunha.

Depois de sua saída do Barcelona, o treinador catalão se reinventou, e isso fica claro no livro Guardiola Confidencial, de Martin Pernau. Como já não tinha um craque do tamanho de Messi sob seu comando, precisou aderir a novas ideias e conceitos de jogo.

Para muitos não parece, mas Guardiola está sempre em constante evolução. Sem o argentino, então, ele se transformou em uma constante metamorfose, título de seu segundo livro. Pep Guardiola, afinal, é muito mais do que um treinador que gosta de jogar “só no toque de bola”.

Depois de vencer duas UCL com o Barcelona, o treinador nunca mais voltou a repetir tal feito. E lá se passam quase dez anos. Uma das explicações é não ter tido o brilho de alguma estrela nos jogos mais decisivos, como teve quando contava com o craque argentino.

Agora, porém, o treinador catalão pode dizer que tem um Lionel Messi para chamar de seu: o belga Kevin De Bruyne.

Depois de muito tempo, Pep tem seu Messi. (Foto por Matthias Hangst/Getty Images)

Mágico, frio, imponente, com um pé direito avassalador, um esquerdo sensacional, a precisão de poucos e um futebol deslumbrante. Kevin De Bruyne desfilou no Santiago Bernabeu na noite de quarta-feira, assim como Messi fez em 2011, também pela UCL.

Uma partida de gala contra o maior campeão da história em um dos estádios mais emblemáticos do mundo. O belga credencia-se a partir dessa exibição como o cara para que Pep Guardiola volte a vencer uma Orelhuda.

Um jogador inteligente como Messi, que sabe jogar pelas entrelinhas e fazer o adversário ficar perdido diante de seus passes assustadores. É como Guardiola disse há três anos: “Messi esta en la cima, pero Kevin De Bruyne está detrás”.

Como não teve pós-Messi, agora o catalão tem em suas mãos um jogador capaz de fazer com que a taça mais desejada da Europa volte para as suas mãos.

De Bruyne é capaz de decidir jogos e fazer mágica, assim como o argentino.

Postado por Faruk Bakri Brasileiro de origem Palestina, 20 anos de idade, estudante de Engenharia de Petróleo e torcedor do Brasil de Pelotas. Um apaixonado pelo futebol e tudo que o cerca, tem como ídolos Johan Cruyff e Alex Ferguson dentro do esporte.