Entrevista: Meg – a goleira pioneira
2 de maio de 2022

Foto: Arquivo pessoal

Margarete Maria Pioresan, mais conhecida como Meg, a ex-goleira fez história no futebol ao defender a seleção em duas copas do mundo, em 1991 e 1995 (as duas primeiras edições do torneio), e também ao disputar os Jogos Olímpicos de 1996. Conversamos com essa lenda do futebol feminino. Confira na íntegra:

Como foi fazer parte do elenco da seleção brasileira que disputou a primeira Copa do Mundo?

Foi uma honra! Em 1991, na China, demos o pontapé, oficial, para o futebol feminino ser alavancado a nível mundial. Ser escolhida como uma das integrantes da nossa seleção, como goleira, foi uma responsabilidade muito grande. Sabia que aí nós estávamos fazendo história.

Poderia contar alguma história curiosa que você viveu no mundial de 1995, na Suécia?

2° Mundial, Suécia 95. Chaveamento: Brasil, Suécia, Japão e Alemanha. 1° Jogo: Brasil x Suécia (a técnica atual da Seleção principal, Pia Sundhage estava jogando). Elas eram as francas favoritas. Só que nós ganhamos de 1×0! Neste dia eu tive a proteção divina do meu anjo da guarda! Realmente elas não conseguiram marcar gol!
No nosso encontro das Pioneiras, em Dezembro 2021 na Granja Comary, mostrei uma foto minha saindo do gol pelo alto e interceptando o cruzamento. Ela, a Pia, pronta para marcar de cabeça! Eu relatei o jogo atrás da foto, o dia… e dei para ela.

Foto: CBF

Ano que vem teremos a Copa do Mundo Feminina, desde 2007 a seleção brasileira não chega a semifinal, qual a sua expectativa? Acredita que o Brasil pode chegar novamente entre as quatro melhores seleções do mundo ou até mesmo levantar o troféu?

Em 2007 o Brasil chegou a final contra a Alemanha e ficou com a prata. O Mundial foi na China.
Marta, Cristiane, Formiga e outros talentos, em grande fase! Hoje, a Pia está formando uma equipe com atletas mais novas, algumas jogando no Brasil mas a maioria no exterior. Formiga parou, Cristiane não volta mais e a craque Marta, a grande estrela terá que suar a camisa, pois já não tem a mesma resistência. Mas tem liderança, técnica e talento.
Eu acho que pode chegar a uma semifinal, mas o trabalho vai ser árduo. Outros países estão super bem preparados

Esse ano completa 10 anos desde que foi disputado o primeiro campeonato brasileiro, o torneio cada vez mais vem crescendo e ganhando destaque na mídia. Essa melhor organização nos torneios, foi o que mais evoluiu no futebol feminino no Brasil nos últimos anos?

Com certeza! Nunca tivemos está organização como tem agora, feita pela Aline Pelegrino e a ex Diretora Duda. Inclusive com campeonatos de base!

Como foi vestir a camisa do Vasco? Poderia contar alguma história curiosa ou engraçada que você viveu no clube?

Vesti a camisa do C.R. Vasco da Gama, em 91, retornando do 1° Campeonato Mundial de Futebol Feminino, disputado na China. Nestes tempos idos, os alojamentos eram precários. Lembro de um Campeonato Brasileiro, ficamos alojadas numa escola. Por incrível que pareça, a privada era daquelas de agachar rente ao chão…. sabe qual é? Que tem um buraco…. (risos)

Poderia fazer um Top 4 das melhores goleiras que você viu jogar?

Nadine Angerer, Christiane Endler, Hope Solo e Sarah Bouhaddi.

Sobre futebol masculino, qual o seu palpite para a Copa do Mundo desse ano?

Não estou acompanhando de perto. Mas a respeito do Brasil, acho difícil chegar a final.

Obrigado pela disponibilidade, alguma consideração final para os nossos leitores?

Tenham olhos amáveis para o Futebol Feminino brasileiro. Nós precisamos da torcida de vocês para termos visibilidade e podermos trabalhar para alcançar as medalhas em Mundiais e Olimpíadas. Muitas atletas fazem do futebol o seu ofício de trabalho para sua sobrevivência e de seus familiares. As mulheres também tem o direito de fazer o que gostam e sabem! Obrigada.

Postado por Jean Pedro da Silva Estudante de gestão financeira, natural de Minas Gerais, torcedor do Corinthians, e fanático por estatísticas, história e futebol.