Entrevista – Alexandre Gimenes – Jornalista Esportivo
5 de janeiro de 2022
Categoria: 4-3-3 e Entrevistas e Futebol

Jornalista esportivo, ex-apresentador dos canais Esporte Interativo e corintiano fanático, fanatismo esse que o levou a assistir a final da Libertadores de 2012 entre os torcedores do Boca. Conversamos com o incrível Alexandre Gimenes, que falou sobre sua carreira, sobre o clube do coração e também sobre suas previsões para a Copa do Mundo.

Confira a entrevista na íntegra:

  1. Nos conte um pouco sobre seu início de carreira, você sempre quis ser jornalista esportivo ou gostaria de ter ido para outra área do jornalismo? É verdade que quando você entrou no Esporte Interativo, você começou trabalhando nos bastidores?

Fala, família… uma satisfação poder contar um pouco da minha história! De fato, sempre quis trabalhar com esporte, nasci apaixonado por futebol, família 99% corinthiana. Meu pai me levou pra assistir um dérbi com apenas 5 anos de idade, no Morumbi. Aí, já era, né!? Fiquei COMPLETAMENTE FASCINADO com aquele universo, e tinha convicção que, na primeira oportunidade, eu agarraria com unhas e dentes. E essa chance surgiu em forma de estágio, quando eu cursava o 2º ano da faculdade. A vaga era pra editor de vídeo, aprendi muito na função e fui evoluindo, além da edição eu também operava câmera, saía pras externas como cinegrafista, depois passei a video-repórter. E fui desempenhando, passo-a-passo, até chegar a condição de apresentador em estúdio!

  1. Vários jornalistas não revelam o time que torcem, como foi para você revelar o clube do coração?

No E+I isso era rotina, a maioria esmagadora revelava seu clube do coração. Sabia bem dos riscos, mas assumi esse compromisso pra passar ainda mais CREDIBILIDADE e VERDADE acima de tudo. Sempre me incomodava que alguns jornalistas esportivos, por medo ou receio, se escondiam atrás de algum clube pequeno, declaravam torcer para algum clube aleatório. A verdade é que todos tem um clube do coração, quem fala que não, está mentindo. E foi exatamente essa PAIXÃO CLUBÍSTICA que nos conduziu ao jornalismo.

  1. Poderia contar alguma história curiosa/engraçada que você viveu nos bastidores ou em alguma cobertura de jogo?

Uma das histórias mais marcantes foi no meu primeiro ano como profissional de imprensa. O destino, caprichoso como sempre, me reservou uma experiência e tanto na última rodada do Brasileirão daquele ano (2007). Enquanto o meu Corinthians agonizava desesperadamente na luta contra o rebaixamento, eu fui escalado para trabalhar como cinegrafista no estádio Parque Antártica, duelo entre Palmeiras x Atlético-MG. Os palmeirenses celebraram o jogo inteiro. Mesmo perdendo, tiraram a maior onda com o drama do arquirrival. Foi um teste e tanto pra mim, que estava apenas começando. Jamais esquecerei daquele domingo. Se não desisti da profissão depois daquilo, nada mais tiraria a minha coragem e disposição de prosseguir hahaha!

  1. Como foi jogar no Camp Nou?

Foi, certamente, um dos melhores momentos da minha vida. Uma sucessão de acontecimentos fez com que eu fosse escalado para cobrir o evento, uma campanha promocional da Intel, patrocinadora oficial do Barcelona, e que contemplou alguns felizardos para bater uma bolinha no sagrado gramado do Camp Nou. Só que a princípio, eu pensei que fosse apenas realizar as entrevistas, fazer as matérias, etc… no entanto, a diretoria do clube foi MUITO PARCEIRA, e desde o início já me envolveu na peleja, já se comunicou comigo perguntando que número eu gostaria de usar, qual nome gravariam na camisa, deram uniforme de jogo, uniforme de treino, enfim, foi um SONHO REALIZADO. E, graças a Deus, teve gol do GIMA, né?! Pra tornar a experiência ainda mais inesquecível. Oh glória!!!

  1. Neste ano, provavelmente teremos uma das melhores Libertadores. Palmeiras, Flamengo, Atlético e Corinthians com times muito bons, Boca e River sempre são clubes tradicionais, o Peñarol está com um time bom, e o Barcelona vem fazendo boas campanhas. Acredita que o Timão pode ser campeão?

A Libertadores vem se transformando ano após ano, o futebol brasileiro vem ROUBANDO A CENA já há algumas temporadas, das últimas 5 edições, foram quatro títulos do nosso país. Confio muito que o Timão possa fazer um bom papel, o time melhorou demais com a chegada dos reforços. Todo mundo conhece a força da Fiel Torcida e o potencial dessa equipe, especialmente jogando em Itaquera. Enfim, apesar de não ser o principal favorito, boto fé que o Coringão possa surpreender e conquistar o BI!

  1. Como foi assistir a final da Libertadores de 2012, na La Bombonera, e no meio dos torcedores do Boca Juniors?

Foi fantástico. Uma loucura, um delírio. E até uma certa IRRESPONSABILIDADE, né? Quando eu vi, só tinha um único caminho para acompanhar o jogo sem ser dentro da sala de imprensa: no meio da torcida xeneize. Era minha primeira vez naquele estádio MITOLÓGICO, fiquei hipnotizado com a personalidade daquele time, daqueles loucos que não param de cantar o jogo inteiro, a Bombonera inteira pulsando na mesma batida, no mesmo canto, no mesmo grito. Sensacional! Lembra muito a torcida corinthiana, o bando de loucos. De certo modo, sempre me identifiquei com La 12.

E como eu sempre digo, o destino caprichou mais uma vez. Consegui me camuflar bem no meio dos argentinos, quase não abri a boca pra não explanar meu sotaque. Tudo ia muito bem, até sair o INESQUECÍVEL GOL DE ROMARINHO. Minha reação foi instintiva, não podia gritar nem comemorar, logo, me desmanchei em lágrimas. Um choro incontrolável. Lágrimas de alegria, de esperança, do sonho sendo realizado. Para os caras, ficou a sensação de um hincha entristecido com o golpe adversário. Sabe de nada, inocente!!!

  1. O que você achou do trabalho do Sylvinho em seu primeiro ano? Acredita que a diretoria do clube acertou em manter ele no cargo para a próxima temporada?

Sylvinho é um ídolo do clube, com uma história fantástica de títulos, do terrão ao profissional, uma carreira gigantesca, bem-sucedida também na Europa. Tem que respeitar. Dito isso, analisando-o como TREINADOR, não aprovo seu trabalho. Inexperiente, sem convicção, por vezes fanfarrão nas entrevistas. Mesmo tendo um time qualificado, completou UM TURNO INTEIRO sem ganhar de ninguém fora de casa, uma lástima. Não conseguiu me convencer de que tem potencial para dar conta do recado, e treinar um time do tamanho do SCCP. Na minha visão, diretoria errou MUITO ao assegurar sua permanência. Todavia, espero queimar minha língua e que o prof. Sylvio me surpreenda positivamente nessa temporada. Quem viver, verá!

  1. Falta pouco para a próxima Copa do Mundo, quais seleções você acredita que serão favoritas?

Olha, pra mim, temos uma meia-dúzia de seleções em condições de voltar do Catar com o caneco. Minha primeira favorita é a atual campeã FRANÇA. Time tem muita qualidade, teve o retorno do Benzema, que não esteve na última Copa, então vai dar trabalho com certeza. Alemanha, Espanha, Itália (se classificar, né?), Brasil e Argentina não podem ser descartados JAMAIS.

  1. Aqui é o espaço para você escalar a sua seleção. Usando os critérios que quiser, atletas de todos os tempos, só com jogadores que você viu, etc.

Aí sim, vou citar apenas aqueles que eu vi, começando pela minha primeira Copa, a de 1990 na Itália!

Dida; Cafú, Fábio Cannavaro, Sérgio Ramos, Roberto Carlos; Lothar Matthaus, Zinedine Zidane, Ronaldinho Gaúcho; Lionel Messi, Ronaldo Fenômeno e Cristiano Ronaldo.

  1. Obrigado pela disponibilidade, alguma consideração final para os nossos leitores?

Só agradecer, família. Humildade sempre, um 2022 beeeem melhor pra todos, que seja um ano abençoado. Forte abraço!!!

Postado por Jean Pedro da Silva Estudante de gestão financeira, natural de Minas Gerais, torcedor do Corinthians, e fanático por estatísticas, história e futebol.