Conhecido pelo apelido e pelos gols – Pipico
26 de março de 2018
Categoria: Entrevistas

Pipico, de 32 anos, marcou seis vezes na atual edição do Campeonato Carioca.

Anos atrás, a avó de Wesley Henrique Lima nem imaginava que o apelido que dera ao neto ficaria tão conhecido. Artilheiro por vocação, o atacante se acostumou a aparecer no topo das listas de goleadores de competições pelo Brasil. Em 2018, o Campeonato Carioca foi palco de seus gols. Com seis, ainda lidera a estatística, empatado com Pedro e Marcos Júnior, que seguem vivos na competição com o Fluminense. Com o Macaé eliminado, resta a ele ficar na torcida.

Sou artilheiro do Campeonato ainda e espero continuar, mesmo não jogando“, brincou, antes de destacar o sentimento de dever cumprido com o clube carioca.

Conseguimos fazer um bom início da Taça Guanabara. Depois o time teve uma queda de rendimento, mas é normal. Na Taça Rio, terminamos com nosso objetivo alcançado. Foram sete pontos em três jogos e isso nos garantiu uma tranquilidade para permanecer na elite do futebol carioca“, disse.

A felicidade por manter o Macaé na primeira divisão é ainda maior pela história do atleta no clube. Essa foi sua terceira passagem na equipe, onde tem a confiança da diretoria e a idolatria da torcida. Tudo isso colabora com o bom desempenho dentro de campo: “Fico feliz com esse reconhecimento dado pelo clube. Sempre que joguei aqui eu ajudei o Macaé a chegar no objetivo principal. Tiramos o clube da seletiva, colocamos na elite e mantivemos no lugar que ele nunca deveria ter saído, a Série A do Campeonato Carioca“.

Pipico foi bem em sua terceira passagem pelo Macaé, onde é ídolo da torcida.

Com o primeiro objetivo de 2018 já concluído, Pipico agora olha para frente. Para o segundo semestre, segue analisando a melhor proposta e, mesmo sem destino definido, já sabe o que quer para o restante dessa temporada: artilharia, é claro.

Espero poder fazer um bom contrato e conseguir um objetivo pessoal, que é ser artilheiro de uma das competições nacionais que vão começar. Estou muito esperançoso de fazer um grande segundo semestre para almejar algo ainda maior“.

Apesar da vontade de fazer sucesso no Brasil e da falta de propostas do exterior, Pipico não descarta uma nova aventura fora do Brasil. O atacante, vale lembrar, vestiu a camisa do FC Dallas, nos Estados Unidos, em 2012 – após deixar o Vasco sem tantas oportunidades. A passagem pelo clube estrangeiro foi boa e deixou saudades no jogador, que admite que o nível de estrutura norte-americana está bem a frente do Campeonato Carioca.

Não tem nem comparação. País do primeiro mundo e você disputar uma liga americana ao invés do Carioca não tem comparação. Futebol hoje nos Estados Unidos vem crescendo muito e melhorando muito o nível técnico“, concluiu.

Avatar
Postado por Andrew Sousa Formado em Jornalismo justamente pela paixão pelo esporte, sente enorme prazer em poder escrever sobre o que ama. Apaixonado por um bom domínio e alguns jogadores ruins, vive o futebol desde o primeiro dos seus 23 anos.