Balanço da Premier League 2019/2020 – Parte 2: Melhores e piores
11 de setembro de 2020
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Internacional

(Foto por PHIL NOBLE/POOL/AFP via Getty Images)

Com a temporada 2020/2021 batendo na porta, o Blog 4-3-3 resolve fazer um aquecimento trazendo os destaques da última temporada, que assim como todos os outros campeonatos mundo afora, teve um hiato por conta da pandemia do COVID-19 e terminou no mês de julho. A temporada 2019/2020 da Premier League foi ótima e tivemos muitos destaques, tanto positivos como negativos. Tivemos um Liverpool campeão que dominou o campeonato do começo ao fim, equipes que surpreenderam positivamente, como Sheffield United e Leicester e times que ficaram aquém das expectativas como West Ham e Tottenham. Nessa segunda parte trazemos um panorama geral dos melhores jogadores, piores técnicos e melhores e piores contratações. Se você não viu ainda, a primeira parte trouxe a seleção do campeonato, confira clicando aqui

MELHORES JOGADORES

Kevin De Bruyne

Foi uma temporada espetacular do meia belga. O camisa 17 do City igualou o recorde de Henry de maior número de assistências numa única edição de Premier League, ao realizar 20 passes para gol. Ele ainda marcou 13 tentos no campeonato, terminando assim com 33 participações diretas em gols, ou seja, ele foi o jogador que participou de mais gols nessa Premier League. De Bruyne alcançou um nível de envolvimento no jogo altíssimo que aliado à sua enorme qualidade técnica permitia a ele criar muitas chances para os Citizens ao longo dos jogos. Foi disparadamente o jogador com mais grandes chances criadas nessa edição do campeonato, com 33 grandes chances, e também ficou em primeiro, com grande distância para o segundo colocado em passes decisivos, foram 137 desses passes, com uma média de quase 4 passes decisivos por partida. Foi um desempenho espetacular do belga.

Jordan Henderson

GW26 Differentials: Jordan Henderson

O capitão do Liverpool fez uma temporada de excelente nível. Em Henderson, Klopp tinha alguém influente em todos os momentos do jogo, tanto que quando Fabinho ficou fora de algumas rodadas por conta de uma lesão, foi Henderson que o substituiu e muito bem. O meia inglês facilita demais a progressão do Liverpool em direção ao ataque, por conta da sua qualidade no passe como pode ser visto por suas estatísticas na imagem abaixo. Com Fabinho jogando como primeiro volante Henderson pode voltar atuar com regularidade como interior, que é onde ele mais gosta de atuar, pois permite que ele esteja envolvido mais diretamente nos ataques da equipe, tanto que ele participou de 9 gols no campeonato, foram 4 gols e 5 assistências, criando um total de 9 grandes chances. O camisa 14 dos Reds também é importante para a marcação pressão que a equipe faz e ele teve bons números defensivos no campeonato, foram, em média, 2.1 desarmes e 1.0 interceptação por partida. Foi uma temporada ótima e muito consistente do capitão do Liverpool.

Mohamed Salah

Salah deixa dúvidas sobre futuro no Liverpool e diz querer 'aproveitar o momento'

Pode não ter sido tão dominante como em sua temporada de estreia, mas, sem sombra de dúvidas, Salah é o jogador de frente mais importante do Liverpool e o que mais preocupa os adversários. Com sua ótima finalização, velocidade, força, agilidade e desenvolvendo cada vez mais sua visão de jogo e influência na partida como um todo, o egípcio terminou o campeonato com 19 gols e 10 assistências, sendo o artilheiro dos Reds no campeonato e o 3º maior assistente. Desde que chegou ao Liverpool, Salah se consolidou como um dos melhores na posição do mundo e, constantemente se desenvolvendo e melhorando sua qualidade de jogo, tende a alcançar níveis ainda maiores, o que, por consequência, ajuda o Liverpool a entrar forte na disputa de todos os títulos, e, muito graças a Salah, os Reds venceram a Champions League em 2018/2019 e, depois de 30 anos, venceram novamente o Campeonato Inglês (sendo a primeira Premier League).

Trent Alexander-Arnold 

Alexander-Arnold: instinto brasileiro e nível para ganhar Bola de Ouro, opina Cafu | Goal.com

Consolidando-se cada vez mais como um dos melhores laterais direitos da atualidade, Alexander Arnold fez mais uma Premier League de altíssimo nível, terminando não só como o melhor lateral direito do campeonato, mas também como um dos melhores jogadores da competição. O camisa 66 do Liverpool quebrou o recorde, que já era dele, de defensor com maior número de assistências numa única edição de campeonato inglês, realizando 13 passes para gols e ficando atrás apenas de De Bruyne na edição. O papel dos laterais no ataque no Liverpool de Klopp é cada vez mais importante, tanto que Robertson foi o terceiro jogador com mais assistências na liga, e a qualidade técnica de Arnold ajuda a entender o motivo. O camisa 66 foi o segundo jogador, ao lado de Mhrez, que mais criou grandes chances na liga (18) e o terceiro com mais passes decisivos (87). As estatísticas de passes do lateral direito dos Reds foram excelentes, como pode ser visto na imagem abaixo. E além de ter se tornado um ótimo criador de jogadas, Arnold parece estar aprimorando cada vez mais sua qualidade nas cobranças de falta, foram dois gols dessa forma nessa Premier League. Arnold parece estar cada vez melhor também na defesa, terminando o campeonato com médias de 1.4 desarmes, 1.2 interceptações e 1.8 cortes por partida. Demonstrando ser um jogador cada vez mais completo, Arnold está se tornando cada vez mais importante e decisivo para a equipe.

Ricardo Pereira

Leicester's Ricardo Pereira upbeat on injury recovery and hails boss Brendan Rodgers | Football News | Sky Sports

Se os laterais são muito importantes para o estilo de jogo de Klopp no Liverpool, no Leicester do técnico Brendan Rodgers não é diferente, tanto que a equipe caiu muito seu desempenho quando os dois se lesionaram. E Ricardo Pereira, que já havia se destacado na temporada anterior, fez mais uma Premier League ótima e cresceu ainda mais o nível do seu futebol, à medida que a equipe também melhorou nessa temporada. O português é um lateral muito completo, consegue apoiar com muita qualidade o ataque, contribuindo com 6 gols no campeonato, realizando 1.0 passe decisivo por partida. Entretanto, mesmo sendo um lateral que participa muito no ataque, o camisa 21 também é excelente na defesa, ele tem uma qualidade espetacular para realizar desarmes, terminando a Premier League com a melhor média de desarmes, 4.3 por partida, mesmo ficando de fora de 10 rodadas e mesmo se pegarmos o total de desarmes realizados ele fica atrás apenas de Ndidi (129) e Wan-Bissaka (128), tendo realizado um total de 119 desarmes. O lateral dos Foxes ainda realizou 1.8 interceptações e 2.6 cortes por partida. Foi uma temporada de afirmação para Ricardo Pereira.

PIORES TÉCNICOS

Marco Silva

Com Bruno Lage em xeque, nome de Marco Silva ganha força no Benfica | Goal.com

É o técnico do “quase”. Quase salvou o Hull City do rebaixamento, quase fez uma campanha de parte de cima da tabela com o Watford, quase classificou o Everton para uma competição europeia e quase deu a subida de patamar que precisava. Nenhuma dessas coisas ocorreram então, além de outros fatores, parecia questão de tempo até o português ser demitido do Everton, fato esse que ocorreu na 16ª rodada.

A trajetória de Marco Silva é curiosa. Tirando o Everton, que ficou com o técnico por quase um ano e meio, a última vez que Marco Silva ficou mais de uma temporada em um clube foi no Estoril. Fez ótima campanha no clube português e no Olympiacos, faturando o título grego naquela temporada, e pode-se dizer que o trabalho no Hull City foi positivo. Porém, seu trabalho no Watford já dava mostras que não seria capaz de entregar ao Everton o que diretoria e torcedores queriam, e foi o que ocorreu.

Apesar de uma digna 8ª colocação na temporada 2018/2019, os torcedores ficaram frustrados por ficarem atrás do Wolverhampton, que subira da 2ª divisão na temporada. O time investiu em reforços, esperava-se que a tão sonhada subida de patamar fosse ocorrer, e não aconteceu. Um time confuso, difuso, sem ter nenhuma proposta de jogo e que ainda conseguiu frequentar a zona de rebaixamento. Tudo isso custou o emprego de Marco Silva.

Manuel Pellegrini

mustread #PremierLeagueStories on Dec 22 2019 – West Ham's Manuel Pellegrini will get one more chance against Crystal Palace ?? – Premier League Museum

Chegou com pompa a um West Ham com um projeto ousado. O time recém havia construído um estádio de elite, investiu pesado em reforços e viu no técnico chileno o nome certo para comandar o time. Técnico campeão de Premier League e com DNA ofensivo e vistoso, tudo que a diretoria e os torcedores dos Hammers queriam. O que poderia dar errado? Bom, muita coisa.

Sua temporada de estreia não foi aquelas coisas, apenas um 10º lugar, pouco para as pretensões do clube. Foi dado mais um voto de confiança em Pellegrini para a última temporada, mais reforços de peso foram contratados, e o resultado foi o pior possível. Muitas lesões, um time sem nenhum padrão de jogo, defesa absurdamente frágil e ataque que pouco assustava os adversários.

Com uma sequência de apenas duas vitórias nos meses de novembro e dezembro, a gota d´água foi a derrota para um Leicester recheado de reservas. Nem o estofo e a grife de ter treinado Real Madrid e Manchester City foram o bastante para sustentar Manuel Pellegrini no cargo, demitido logo após essa partida com apenas 43% de aproveitamento no comando do clube londrino e a apenas 1 ponto da zona de rebaixamento. No desespero, a diretoria buscou novamente David Moyes para o lugar do chileno, um membro da “Escola Tony Pulis” de técnicos ingleses.

Dean Smith

Dean Smith's father, 79, dies from coronavirus as Aston Villa pay tribute to the 'lifelong fan' | Daily Mail Online

Depois de uma emocionante final de playoffs, o Aston Villa conseguiu o acesso a Premier League. Clube grande e de tradição, o time de Birmingham investiu muito em contratações e apostou que o técnico Dean Smith seria capaz de manter o time e fincar raízes novamente na Premier League. O time se salvou do rebaixamento, mas a impressão que ficou foi a pior possível.

Durante todo o campeonato, era impossível saber qual era a proposta de jogo do Villa. O time tentou encaixar um jogo de posse de bola no começo do campeonato e falhou, tentou ser mais agressivo e ofensivo depois e também falhou, sem nunca engrenar. O time tinha material humano para mais do que apenas brigar para não cair durante todo o campeonato, flertando sempre com o rebaixamento, chegando a frequentar a 19ª colocação e sendo sempre um fortíssimo candidato ao descenso.

Restou a Dean Smith fechar a casinha na parte final do campeonato e jogar sempre por uma bola, sendo essa a única vez que o Villa manteve um padrão mínimo de jogo. Se salvou do rebaixamento apenas na ultima rodada mais por incompetência dos seus adversários, que tiveram a faca e o queijo na mão para permanecerem no lugar do Villa e falharam, do que mérito próprio. A diretoria do clube de Birmingham se mostrou satisfeita com o trabalho e manteve o treinador para a próxima temporada, e apenas o tempo irá dizer se Smith foi capaz de colocar o time nos trilhos ou se a tônica de um time mal treinado e mal montado se manteve.

 

Quique Flores

Watford demite Quique Sánchez Flores

Após uma decisão pra lá de questionável da diretoria do Watford em demitir o então técnico Javi Gracia, que na temporada anterior apresentou um bom futebol, chegou na final da FA Cup e terminou numa digna 11ª colocação, após perder 3 dos primeiros 4 jogos do campeonato, o técnico Quique Sanchez Flores, que já havia treinado o clube na temporada 2015/2016, foi recontratado. Esperava-se que o novo técnico fosse injetar ânimo na equipe, mas parece ter surtido o efeito inverso.

Como dito, o Watford começou mal o campeonato, mas Quique Flores conseguiu piorar o que já estava ruim. Comandou o time em apenas 10 jogos e teve apenas 1 vitória, sendo essa contra o Norwich. O time simples mas eficiente da temporada anterior não existia mais e não dava esboço de que sairia do buraco.

Após esse aproveitamento pífio, que ainda teve no caminho uma derrota lendária de 8×0 para o Manchester City, o espanhol foi demitido. Para seu lugar foi contratado Nigel Pearson que já tinha fugido epicamente do rebaixamento com o Leicester na temporada 2014/2015 que, por mais que tenha sido demitido quase no fim do campeonato, manteve o Watford com chances de sobrevivência até a última rodada, coisa que Quique Flores passou longe de proporcionar.

Mauricio Pochettino

Pochettino não se preocupa com demissão no Tottenham após semana de goleadas | Goal.com

Talvez o nome mais surpreendente de toda a nossa lista. O porquê? Ninguém esperava que o técnico que trouxe o Tottenham de volta à briga pelas cabeças e na final de uma Champions League após duelos épicos contra Manchester City e Ajax, pudesse figurar numa lista de piores técnicos, e foi o que aconteceu.

Como dito por Leo Escudeiro em texto publicado no Trivela: “Pochettino foi vítima de seu próprio sucesso”. É inegável o bem e as qualidades que o argentino trouxe ao Tottenham desde sua chegada, e o ápice disso foi a final da Champions League, contudo, a derrota escancarou a necessidade de uma reformulação. O chairman Daniel Levy decidiu manter o treinador, novos jogadores foram contratados, mas o desempenho caiu e caiu muito, parecia que Pochettino não sabia como motivar e encaixar o time.

O time não engrenava e os resultados não apareciam, e após uma sequência de 5 jogos sem vencer e bem distante da zona de classificação para competições europeias, Pochettino foi demitido, dando fim a uma trajetória de mais 5 anos no comando do Tottenham.

MELHORES CONTRATAÇÕES

Danny Ings

A história do atacante que não brilhou no Liverpool de Klopp, mas mudou vida de jovem com paralisia cerebral com um beijo

Já falamos sobre ele na primeira parte de nosso balanço, confira aqui

Bruno Fernandes

O efeito Bruno Fernandes no United | Futebol na Veia

Já falamos sobre ele na primeira parte de nosso balanço, confira aqui

Wan-Bissaka

Wan-Bissaka is the best one-v-one defender in the world' - Shaw hails Man Utd's 'player of the season' | Goal.com

Já falamos sobre ele na primeira parte de nosso balanço, confira aqui

Raul Jiménez

FPL transfer targets: Raul Jimenez

Já falamos sobre ele na primeira parte de nosso balanço, confira aqui

Youri Tielemans

Setback' – Youri Tielemans gives honest assessment of his Leicester City performances - Leicestershire Live

Já falamos sobre ele na primeira parte de nosso balanço, confira aqui

Dean Henderson

FPL Value picks: Dean Henderson

Já falamos sobre ele na primeira parte de nosso balanço, confira aqui

Harry Maguire

Harry Maguire: Manchester United captain 'co-operating' with police after incident - CNN

Já falamos sobre ele na primeira parte de nosso balanço, confira aqui

Ayoze Pérez

Español Ayoze Pérez mantiene al Leicester en la caza de la Champions - Latin Goles

Já falamos sobre ele na primeira parte de nosso balanço, confira aqui

Allan Saint-Maximin

Steve Bruce: Allan Saint-Maximin will be Newcastle crowd-pleaser | Sport | The Times

Um dos melhores 25 milhões de euros gastos do Newcastle. Com um ataque bem questionável e ineficiente, os Magpies investiram altas quantias em reforços, e o francês foi um deles, e que reforço!

Muito rápido, extremamente ágil e com um dos melhores dribles de todo o campeonato, Saint-Maximin foi um dos nomes mais regulares do time na temporada e, mesmo com números modestos (3 gols e 4 assistências), mostrou um ótimo futebol e contribuiu e muito para uma campanha segura do Newcastle na competição.

Matteo Kovacic

Kovacic Chelsea POTY | Chelsea Fans Brasil

Teve um começo decepcionante na sua temporada de chegada, mesmo assim (e com uma punição para não contratação), o Chelsea resolveu investir em sua contratação (a punição não se aplicava a jogadores com emprestados com cláusula de compra). O preço foi relativamente alto, 35 milhões de euros, mas o croata mostrou a que veio.

Com um técnico novo e outro esquema de jogo, suas principais qualidades foram potencializadas, como a condução de bola da defesa ao ataque, seu vigor físico e bom toque de bola, mostrando um futebol de bom nível e formando uma boa dupla de meio-campo tanto com Kanté quanto com Jorginho.

PIORES CONTRATAÇÕES

Danny Drinkwater

The Ballad of Danny Drinkwater - The New York Times

Na campanha do título do Leicester, além dos destaques Vardy, Kanté e Mahrez, Drinkwater era figurinha carimbada no time titular e era extremamente importante para a equipe. Aproveitou o sucesso e foi vendido para o Chelsea por 35 milhões de euros, e, sofrendo com muitas lesões, sua carreira degringolou.

Foi emprestado ao Burnley na última temporada para adquirir mais tempo e ritmo de jogo e ficou marcado pelo episódio em que foi espancado na saída de uma casa noturna, sofrendo mais uma lesão. Jogou apenas um jogo pelo Burnley e o clube decidiu por encerrar o empréstimo. O Aston Villa mostrou interesse no jogador e o Chelsea o emprestou ao time de Birmingham. Novamente se envolveu em polêmicas após uma briga no treinamento e, tendo feito apenas 4 partidas pelo clube, não se destacou e o clube não deve fazer esforços para mantê-lo no elenco.

João Cancelo

João Cancelo volta ao radar blaugrana onde já esteve em 2017

Depois de se destacar pela Juventus, o City, que envolveu o brasileiro Danilo na negociação, trouxe o português. Com altíssima capacidade ofensiva, técnico e veloz, esperava-se que Cancelo fosse assumir a titularidade com folga. E não foi o que aconteceu.

Fez apenas 17 jogos na Premier League e foi banco durante boa parte da temporada de Kyle Walker, mesmo o último bem contestado por alguns. Adquiriu um pouco mais de espaço no fim da temporada jogando pela lateral-esquerda, mas ainda longe do ideal. A capacidade técnica do português é bem alta e ainda pode agregar mais aos Citizens, mas sua temporada de estreia foi bem decepcionante e espera-se mais do mesmo.

Patrick Cutrone

Patrick Cutrone pulls Wolves within two v. Chelsea | NBC Sports

O italiano surgiu como um fenômeno no Milan. Na época com 19 anos e com o Milan tendo muitos problemas no seu comando de ataque, Cutrone surgiu mostrando alto poder de finalização e qualidade técnica. Mesmo com boas atuações, os Rossoneri buscavam outros nomes para o comando de ataque e com o ótimo desempenho de Krzysztof Piatek, Cutrone foi ficando escanteado no elenco e viu com bons olhos uma ida para o Wolverhampton para ter mais tempo de jogo.

Sua chegada foi carregada com certa expectativa, porém, durante a temporada, percebeu-se que Nuno Espírito Santo o via apenas como uma opção para o elenco. Raul Jimenez permaneceu intocável e, mesmo com certo tempo de jogo no começo da temporada, Cutrone não deixou boa impressão. Em 24 partidas pelo Wolves, marcou 3 gols e deu 4 assistências, e o time da Inglaterra encerrou o empréstimo no meio da temporada, fazendo com que Cutrone fosse emprestado novamente à Fiorentina. Sua passagem não deixará saudades.

Ralf Fahrmann

Ralf Fährmann leaves Norwich City - News - Norwich City

Após renovar contrato com o Schalke 04, o goleiro percebeu que, com a ascensão de Alexander Nubel, não teria tanto espaço no elenco. Com isso, o time de Gelsenkirchen viu com bons olhos o empréstimo do goleiro e o recém promovido Norwich apostou em seu futebol, e não deu nem um pouco certo.

O alemão falhou em tomar o posto de titular de Tim Krul, não parece ter impressionado nos treinos e ocupou o banco de reservas praticamente por toda a sua passagem, jogando apenas 22 minutos da Premier League contra o Crystal Palace. Vendo que sua permanência no clube não era vantajosa, o Norwich rescindiu o empréstimo e o goleiro foi parar no SK Brann, da Noruega. Outro exemplo de contratação que chegou com pompa à Premier League e durou muito pouco.

Jesús Vallejo

Visto como um zagueiro com bastante potencial e por não ter tantas experiências num time cheio de estrelas como o Real Madrid, Vallejo rumou ao Wolverhampton na esperança de se consolidar como um zagueiro titular, evoluir e retornar à Espanha com mais estofo. Contudo, sua trajetória nos Wolves foi semelhante ao do também contratado pelo time, Cutrone.

Fez sua estreia pelo clube na Europa League e sua estreia na Premier League foi no trágico 5×2 para o Chelsea. Após isso, Vallejo praticamente não teve mais chances e disputou apenas mais uma única partida pelo clube na competição. Com isso, assim como Cutrone, seu contrato de empréstimo foi rescindido e Vallejo retornou ao Real Madrid, que o emprestou novamente ao Granada, da própria Espanha.

Alex Iwobi

Everton midfielder Iwobi suffers hamstring injury against Arsenal | Goal.com

O nigeriano já foi visto com enorme potencial, e durante muitos anos, foi presença constante nas escalações do Arsenal. Deu uma estagnada, foi perdendo espaço no elenco dos Gunners e sua saída já via sendo bastante especulada. Visto isso, o Everton, que procurava jogadores para as pontas, fez um investimento de 30 milhões de euros em Iwobi.

Sua temporada de estreia no clube azul de Liverpool foi, digamos, discreta. Não fez a diferença, não se destacou em campo quanto era imaginado no momento de sua contratação e não se firmou. Em 28 jogos pelo Everton, marcou apenas 1 gol e não deu nenhuma assistência. Iwobi ainda é jovem e pode superar as dificuldades, mas, até agora, sem sombra de dúvidas, sua chegada no Everton foi extremamente decepcionante.

Arnaut Danjuma-Groenenveld

(Foto por Nathan Stirk/Getty Images)

O holandês faz parte de um pequeno movimento nos últimos anos de valorização da liga belga pelos clubes ingleses. Diversos clubes fazem várias contratações na liga e Danjuma, após se destacar tanto na segunda divisão quanto na primeira, foi contratado por 12 milhões de euros pelo Bournemouth.

Com as ausências de David Brooks e Ryan Fraser, esperava-se que Danjuma fosse ocupar com qualidade a meia esquerda e que participasse de uma campanha segura do Bournemouth como vinha sendo. Mas seus problemas físicos minaram seu desempenho pelos Cherries e fez apenas 14 jogos na temporada, sem gols e sem assistências.

Pablo Fornals

Pablo Fornals: Life in London, the Premier League and West Ham United's team spirit | West Ham United

Chegou por 27 milhões de euros e com pompa a um projeto ambicioso do West Ham. Com sua chegada e a de Haller, além da manutenção de nomes como Felipe Anderson, Rice, Diop e a consolidação do trabalho de Manuel Pellegrini, esperava-se que o clube londrino fosse até mesmo disputar vaga em competição europeia.

Como visto, não deu certo, o time foi absurdamente difuso, irregular e quase sem nenhuma qualidade. Sejamos justos e pode-se dizer que Fornals foi atrapalhado por essa desorganização, mas seu desempenho também não agradou totalmente. Amargando bastante o banco de reservas na temporada, o espanhol disputou 36 jogos, com 2 gols e 5 assistências. 

Joelinton

Will be gone once the Saudis takeover' - Many NUFC fans slam player's 'rubbish' words on Bruce | thisisfutbol.com

A pressão e expectativa no brasileiro foi alta. Maior contratação da história do clube, com 45 milhões de euros e substituto de um querido da torcida como Salomon Rondón, Joelinton não impressionou na sua chegada à Inglaterra.

Acostumado a jogar na companhia de outro atacante, Joelinton não funcionou como referência no ataque e, mesmo sendo bastante voluntarioso e jogando em um time que pouco fazia gols, não performou da forma desejada. Revezando entre banco e titularidade, disputou todos os jogos do campeonato, marcou apenas 2 gols e deu 2 assistências, pouco para a maior contratação da história do clube.

Che Adams

Looks gutted', 'Looks miserable' - Che Adams image has many Southampton fans cracking jokes | thisisfutbol.com

Após marcar 22 gols pelo Birmingham na Championship 2018/2019, o Southampton pagou 7 milhões de euros para assegurar a sua contratação. Ainda é jovem e tem potencial para performar bem, mas sua primeira temporada na Premier League foi bem discreta e longe da sua anterior.

Jogando em uma dupla de ataque com o avassalador Danny Ings, Adams não tinha a função de ser o principal atacante, mas seu desempenho e números não foram bons. Disputou 30 jogos, apenas 12 como titular, marcou 4 gols e 2 assistências. Seu, talvez, único destaque na competição foi o belo gol que fez contra o Manchester City, e só.

Matéria feita em colaboração com Wallas Vieira.

Avatar
Postado por Thiago Zumpichiate 22 anos, formando-se em engenharia. A habilidade com a bola nos pés não acompanha a paixão pelo futebol.