Baiano – Jacobina
27 de janeiro de 2013
Categoria: 4-3-3

O Jacobina Esporte Clube vem para se consolidar
no futebol do interior. Conhecido como Jegue da Chapada o time tem 23 anos e fez
muito boa campanha no ano passado no Baiano e foi vice-campeão da Copa
Governador do Estado. O time que teve rápida história na década de 90
ao subir no ano de criação (1993) e cair no ano seguinte, logo depois se
afastou do futebol, só voltando as atividades 20 anos depois em 2014 quando
novamente conseguiu uma vaga sendo vice campeão da segunda divisão, mas
diferente da primeira vez o time conseguiu se manter na elite do futebol baiano
e com as alterações na série D, já tem vaga garantida para o campeonato desse
ano.

Com problemas financeiros, inclusive com
desabafos e ameaça de abandono pelo seu presidente Rafael Damasceno, a equipe
perdeu um dos seus destaques do fim de ano, o meia Dinda que acabou acertando
com o Vitória da Conquista. Além disso, acabou sendo surpreendido com a
saída do seu treinador Paulo Sales que foi para o Paraíba faltando uma semana
para estreia do campeonato e acabou acertando na quarta-feira com Ricardo
Silva, ex-treinador do Vitória.

Elenco para o início do Campeonato Baiano (Reprodução: Redes Sociais do Jacobina)
Apesar disso a equipe manteve a base do time
vice campeão da Copa do Governador com alguns dos seus destaques, o lateral
Caíque, o atacante Mateus Pinho e contratou o já conhecido zagueiro Allyson que foi capitão da
equipe no último baiano e o volante Marconi ex-Vitória e que jogava no Águia de
Marabá.

O time que não tem nem 5 anos de vida, juntando suas duas aparições no futebol profissional, busca ao menos repetir a campanha de 2016, quando chegou às quartas de final. Além disso, tem como objetivo preparar o time para a disputa de seu primeiro campeonato brasileiro, a Série D, buscando fazer bonito em sua primeira aparição no âmbito nacional

A equipe do Jacobina fará sua estreia dia 29 de janeiro as
18h30 fora de casa em Pituaçu contra o Bahia.
Postado por Earvin Caetano 23 anos, baiano de Bom Jesus da Lapa oeste do estado da Bahia, começou a olhar o futebol e refletir sobre ele quando viu que sozinho não ganharia no grito.