Afinal, qual a verdadeira faceta de David Luiz?
25 de julho de 2020
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Internacional

(Foto por ADAM DAVY/POOL/AFP via Getty Images)

 

O quanto um único jogo pode impactar na carreira inteira de um jogador? E quanto dois, três, quatro, ou 5% das partidas de sua carreira podem fazer isso? Fiz essa reflexão após o jogo entre Arsenal e Manchester City pelas semifinais da FA Cup, onde David Luiz foi o Man of the Match, e cheguei à conclusão de que a resposta é: depende! Você está falando de um defensor ou de um meia e/ou atacante?

Peguemos o caso Gabigol e Pinola, em uma das partidas mais emblemáticas da história do futebol sul-americano, a final da Libertadores 2019. O zagueiro argentino vinha fazendo uma partida absolutamente perfeita, sem nenhum erro, enquanto Gabigol (e isso todo flamenguista concorda), foi praticamente nulo o jogo inteiro – principalmente por culpa do zagueiro. Os últimos lances da partida, que já se encaminhavam para um bicampeonato das gallinas, escaparam da cabeça de Pinola e foram parar nos pés de Gabigol, que iluminado e após uma das temporadas mais brilhantes de um jogador no futebol brasileiro, marcou um dos gols mais icônicos da história do Flamengo. Qual lição se tira disso? Dois minutos ótimos de um atacante, dentro de 90 quase nulos, são suficientes para torna-lo um herói. Por outro lado, dois minutos ruins em 90 quase perfeitos de um zagueiro, são suficientes para torna-lo um vilão.

Mas o que isso tem a ver com David Luiz? Bem, muita coisa. A principal delas é que uma partida absolutamente horrorosa do mesmo contra a Alemanha, em um dos jogos mais absurdos da história do futebol foi suficiente para “acabar” com a sua carreira. Depois disso, teve a caneta do Suarez, foi deixado para trás por Salah, expulsão e falha no primeiro jogo da volta pós-pandemia contra o City, entre outras partidas contestáveis do zagueiro brasileiro. E é exatamente por isso que todos esperam depois daquele 7×1, uma falha dele para encher as redes sociais de memes e gabar-se de como é ruim David Luiz, que ficou marcado pois “só queria dar alegria para seu povo”.

Mas e a passagem extraordinária em um dos grandes times do Benfica, sendo considerado o jogador do ano no país (junto com Bruno Alves são os únicos defensores a conquistar o prêmio)? E a atuação naquele Chelsea campeão da UCL pela primeira vez na história? E sua passagem pela seleção brasileira até o fatídico 7×1? Alguém contestava tanto? A atuação na Copa das Confederações foi simplesmente perfeita! E a volta ao Chelsea fundamental para o esquema com 3 zagueiros de Antonio Conte que o levaria a campeão da Premier League? David Luiz ganhou tudo na Europa! Champions League, Europa League e Campeonatos e Copas Nacionais em todos os países que jogou, coisa que pouquíssimos zagueiros brasileiros conseguiram em suas carreiras – se considerarmos a Europa League, nenhum outro conseguiu. Mas o que isso vale perto das partidas desastrosas que ele fez? É aí que voltamos ao caso Gabigol e Pinola.

Um ano antes do fatídico 7×1, David fazia grande partida na final da Copa das Confederações (Foto por Jasper Juinen/Getty Images)

Algumas atuações ruins de David Luiz com falhas marcantes são o suficiente para torna-lo um vilão, a ponto de esquecer todo o restante de grandes atuações que ele teve no mais alto nível do futebol mundial. A intenção é vir aqui e tratar o David Luiz como vítima? Não, é apenas mostrar que a verdadeira faceta do zagueiro brasileiro é muito mais do que aquele zagueiro estabanado e completamente perdido no 7×1. Obviamente que aquela semifinal tem um peso muito grande por ser o jogo mais emblemático da história, mas será que ele merece ser realmente marcado apenas por isso? São mais de 600 jogos na carreira, e como já foi comentado, inúmeros títulos e grandes atuações, assim como está tendo agora no Arsenal, sendo um dos homens de confiança do ótimo Arteta.

Voltando agora ao início da reflexão, quais momentos ficarão mais marcados na carreira de David Luiz? A atuação pós volta da pandemia contra o City, ou a partida pelas semifinais da FA Cup? A conquista de todos os títulos possíveis na Europa ou o 7×1? A atuação impecável contra o Bayern na final da UCL ou a caneta que levou de Suarez? Agora faça essa reflexão ao contrário, tratando-se de um atacante. Percebeu? A vida de um defensor é complicada… Mas afinal, após esse texto, qual você acha ser a verdadeira faceta de David Luiz e que você contará aos seus filhos e netos? Não estou querendo dizer para apagar o 7×1 da carreira dele, mas será que é só isso que merece ser falado a seu respeito? Fica a reflexão.

Avatar
Postado por Faruk Bakri Brasileiro de origem Palestina, 20 anos de idade, estudante de Engenharia de Petróleo e torcedor do Brasil de Pelotas. Um apaixonado pelo futebol e tudo que o cerca, tem como ídolos Johan Cruyff e Alex Ferguson dentro do esporte.