A esperança entre os modestos – Parte 2
16 de julho de 2020
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Internacional

 

O campeonato italiano voltou da quarentena e alguns clubes chamaram muita atenção na terra da bota, a Juventus com Cristiano Ronaldo e Dybala super entrosados, a Atalanta e seu futebol envolvente. Porém, pouco se olha para a metade de baixo da tabela do Calcio, e nós resolvemos analisar os clubes que ocupam do décimo primeiro ao vigésimo lugar e trazer aqui os principais valores desses elencos. Dividimos o texto em duas partes para melhor compreensão, ontem trouxemos os destaques do 11º ao 15º, e hoje apresentamos o restante – para provar que mesmo nos times que serão rebaixados, existem destaques! Temos desde promessa de grande potencial a veterano gastando os últimos cartuchos, vamos nessa?

 

Spal (20°)

Kevin Bonifazi

(Foto por Alessandro Sabattini/Getty Images)

Jovem zagueiro formado no Torino, Bonifazi demorou a ter suas características devidamente aproveitadas. Utilizado muitas vezes pelos lados em sistemas de 3 zagueiros, agora ele ocupa o lado esquerdo de uma linha de 4 defensores. A situação da Spal pode não ser das melhores, mas hoje Bonifazi tem o domínio da grande área. Pelo alto é quase imbatível e seus 74% de aproveitamento nesse tipo de disputa comprovam isso.

Etrit Berisha

(Foto por Alessandro Sabattini/Getty Images)

Depois de perder espaço para Gollini na Atalanta, muitos poderiam apontar uma clara decadência do goleiro albanês. Apesar disso, ele parece determinado a mostrar seu valor aos 31 anos e vem sendo um dos poucos destaques na quase perdida batalha contra o rebaixamento.

Andrea Petagna

(Foto por Maurizio Lagana/Getty Images)

A Spal marcou 23 gols nessa Serie A. 13 vieram diretamente de Petagna. Um guerreiro dentro de campo, Petagna é inquieto, briga por cada bola, oferece jogadas de pivô, chama faltas, arremata de dentro ou de fora da área. Já havia marcado bastante ano passado, mas dessa vez parece que não será suficiente pra livrar seu clube do rebaixamento. Já negociado com o Napoli, o centroavante faz bem o estilo Gennnaro Gattuso dentro de campo.

Brescia (19°)

Sandro Tonali

(Foto por Emilio Andreoli/Getty Images)

O tão falado novo Pirlo, embora pra esse que vos escreve não é bem assim. Um jogador com gana de resolver e mudar a situação do próprio clube. Recebe pressionado, tenta driblar, aciona passes em profundidade ou quebrando linhas, domina toda bola parada e cria muito em cima disso. Tonali me parece ter mais características de um “mezzala” como chamam os meias centrais italianos, mas vem sendo alocado mais recuado como um regista propriamente dito. Não é um jogador pronto, mas é talvez a joia mais disputada do futebol italiano.

Stefano Sabelli

(Foto por Enrico Locci/Getty Images)

O Brescia tem em Tonali sua melhor válvula de escape. A segunda opção é o lateral direito Sabelli. Firme defensivamente e correto com a bola, ele oferece um respiro em um time que talvez mais tenha sido o que mais foi colocado contra as cordas nessa Serie A.

Alfredo Donnarumma

 (Foto por Gabriele Maltinti/Getty Images)

O goleador solitário, poucos jogadores tiveram condições piores para atuar nessa serie A. Dentro do possível, Donnarumma entregou 7 gols e o mínimo de retenção no ataque. Quando esteve na Serie B os gols vieram em fartura e seus 25 tentos ajudaram o Brescia a ser campeão e estar onde está.

Lecce (18°)

Filippo Falco

(Foto por Maurizio Lagana/Getty Images)

Habilidade, criatividade que não se esperam ver em quem está na zona de rebaixamento. O Lecce aos trancos e barrancos tenta jogar, e se o time foi pedra no sapato dos grandes nessa temporada, a melhor arma está no ponta direita Falco, um dos melhores dribladores dessa edição da Serie A.

Gabriel

(Foto por Enrico Locci/Getty Images)

Sim, eu estou colocando o goleiro mais vazado da liga. Se olharmos de forma mais generosa, pela métrica dos Expected Goals quando contrastada com os gols sofridos, ele é quem tem a melhor performance geral, tendo evitado que a catastrófica defesa do Lecce fosse ainda pior. Se Gabriel não vingou como se esperava ao sair do Brasil, hoje é um goleiro de valor para equipes menores e com protagonismo em momentos interessantes, como na memorável vitória contra a Lazio.

Jacopo Petriccione

(Foto por Maurizio Lagana/Getty Images)

O “Modriccione” como alguns compararam pela aparência é o dono do meio campo do Lecce. Como regista, ou mezzala, traz uma saída limpa desde a defesa, bons lançamentos e razoável suporte defensivo, embora ainda possa melhorar nisso. 9 cartões amarelos não deixam dúvidas que nesse aspecto ele precisa ser mais criterioso.

Genoa (17°)

Domenico Criscito

(Foto por Paolo Rattini/Getty Images)

Lateral ou preferencialmente ala esquerdo, Criscito é protagonista na saída de bola do Genoa, importante defensivamente, além de uma liderança dentro do elenco. Como complemento seus 7 gols de pênalti vieram bem a calhar e ele é um dos escassos destaques.

Mattia Perin

(Foto por Gabriele Maltinti/Getty Images)

Não é novidade que o futebol italiano é recheado de bons goleiros e Perin não foge à regra. Jogador com passagens pela seleção, Perin é um goleiro ágil, de bons reflexos e que hoje está de volta a um posto aonde talvez nunca devesse ter deixado. Se o Genoa não está em situação pior, deve muito a ele.

Cristian Romero

(Foto por Paolo Rattini/Getty Images)

A temporada de Romero chega a ser decepcionante em comparação a anterior que levou a Juventus a comprá-lo. Mostrou algumas falhas de concentração e muitos cartões. Mas ainda que as expectativas não sejam mais as mesmas, o zagueiro argentino é imponente pelo alto, firme no 1 x 1 e tem números expressivos de interceptações. Sendo tão exigido, mostra que é o principal nome da defesa. Romero é disputado e especula-se que a Juve possa envolve-lo em alguma troca nesse mercado.

Torino (16°)

Andrea Belotti

(Foto por Valerio Pennicino/Getty Images)

Belotti ainda segue em busca de repetir o desempenho que teve na temporada 16/17 que lhe projetou para o cenário europeu. O centroavante foi ficando, sofreu com lesões e com equipes nada criativas no lado mais pobre de Turim. De qualquer forma, Belotti retoma números importantes. É alvo para algumas ligações diretas, dá suporte importante com o pivô e entrega gols em boa quantidade. 15 para ser exato. Quem sabe agora chega de fato a oportunidade em um grande centro…

Daniele Baselli

(Foto por Alessandro Sabattini/Getty Images)

Até se lesionar era o dono do meio campo do Torino, sendo crucial com roubadas de bola e qualidade na saída de jogo. Embora a equipe já viesse numa trágica sequência de 7 derrotas seguidas, a lesão de Baselli só serviu para piorar a situação e hoje o Torino se aproxima perigosamente da zona de rebaixamento.

Ola Aina

(Foto por Valerio Pennicino/Getty Images)

Dribles, velocidade, resistência física, Aina agrega tanto ofensiva quanto defensivamente. O ala nigeriano que tem passagem pelo Chelsea pode jogar tanto no lado direito como pela esquerda (vem sendo mais utilizado aí) e é uma válvula de escape que agrega bastante em verticalidade no jogo da equipe.

 

Para finalizar, resolvemos fazer uma seleção com esses destaques mostrados nos dois textos, e ficou assim:

Gabriel (Lecce); Aina (Torino), Colley (Sampdoria), Bruno Alves (Parma), Criscito (Genoa); Pulgar (Fiorentina), De Paul (Udinese), Nainggolan (Cagliari), Kulusevski (Parma), Ribery (Fiorentina); Belotti (Torino).

 

Avatar
Postado por Osório Lopes Universitário, torcedor da seleção argentina, viciado em poker, Rock and roll e futebol.