Uma convocação muito merecida
6 de março de 2019
Categoria: 4-3-3 e Internacional

Dentre muitas contratações interessantes que ocorreram no início dessa temporada nos clubes ingleses, uma muito atrativa foi a chegada do brasileiro Felipe Anderson ao West Ham. Em sua sua primeira temporada na terra da rainha, o meia já conseguiu causar impacto imediato. Felipe Anderson está entre os melhores meias da Premier League e merecidamente foi chamado pelo técnico Tite para os próximos dois amistosos.

Com a contratação de Manuel Pellegrini para o comandar o time londrino, a diretoria deixou clara a sua intenção de fazer com que os Hammers tivessem um estilo de jogo mais ofensivo. E para que o técnico chileno conseguisse implantar esse estilo seria preciso contratar jogadores com qualidades e características que se adequassem ao sistema, Por isso muitos jogadores chegaram, dentre eles Felipe Anderson, vindo da Lazio como o reforço mais caro da história do West Ham tendo custado €38 milhões. O camisa 8 chegou com a responsabilidade de adicionar ainda mais qualidade e criatividade ao setor ofensivo do time londrino, que já contava com jogadores como Yarmolenko, Snodgrass e Lanzini, porém, com os dois primeiro em baixa e o argentino lesionado.

Com um técnico novo e muitos jogadores recém-contratados, esse início de temporada foi difícil para o West Ham e os resultados demoraram para aparecer no London Stadium. Nos 10 primeiro jogos na Premier League foram cinco derrotas, porém, já era possível ver bons sinais vindos do brasileiro. Ele era um dos poucos que se destacava positivamente na equipe. Passada a primeira metade do primeiro turno, com os jogadores assimilando melhor as ideias de Pellegrini, os resultados começaram a aparecer, as atuações melhoraram e Felipe Anderson, que já vinha bem, elevou ainda mais o nível de suas apresentações.

Com um melhor nível do futebol coletivo dos Hammers o futebol do meia começou a se refletir em números, mostrando como ele é o principal jogador do time na Premier League: são oito gols no campeonato (artilheiro do West Ham) e três assistências (vice-líder do time); é o jogador do time que mais realiza passes chaves (1.8 por jogo), o terceiro que mais acerta passes curtos da equipe com 31.5 passes certos em média, sendo que no total ele foi que mais acertou, com 913 passes curtos certos e o quarto que mais acertou passes longos com 71 passes precisos.

Felipe Anderson também gera condições de gols para a equipe através dos dribles: é quem mais executa dribles no elenco em média (dois por jogo) e em números totais (foram 59 dribles certos até o momento, sexto melhor jogador da liga no quesito). Pellegrini escala Felipe aberto pelo lado esquerdo, como meia esquerda ou ponta, por isso o brasileiro tem obrigações defensivas e sua entrega, disciplina e capacidade defensiva são elogiáveis, ainda mais considerando ser a sua primeira temporada numa liga que é destacada pela intensidade e exigência física. O camisa 8 é o terceiro jogador da equipe com a melhor média de desarmes (2.3) e o segundo em números totais com 67 desarmes (está entre os 15 melhores do campeonato, sendo que todos os demais jogadores são jogadores de defesa ou meias mais defensivos).

Felipe Anderson é um jogador que pode agregar muito à Seleção tanto pela qualidade quanto pela entrega e disciplina em campo, mas além disso a convocação de Felipe Anderson é importante porque, apesar de estar jogando pelo lado esquerdo nessa temporada, na Lazio ele atuou muito mais pelo lado direito e indo muito bem (por exemplo, na temporada 2016/17, segundo o Transfermarkt, foram 22 jogos como ponta direita, marcando 9 gols e dando 4 assistências) e com os principais jogadores de ataque da seleção daquele setor tendo problemas – William em baixa e Douglas Costa machucado – o camisa 8 se torna uma ótima opção para Tite utilizar por aquele lado, até por ter mais experiência e estar mais pronto do que outros nomes que vem ganhando espaço na seleção, como é o caso dos jovens Richarlison e Vinicius Junior.

Postado por Wallas Vieira Técnico em Edificações, cursando Administração. Torcedor de Flamengo e Liverpool. Fã da intensa Premier League e do tático campeonato italiano. Gosta de táticas, crônicas e número sobre o futebol.