Um sábado de Brasileirão…
30 de setembro de 2018
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Nacional

Everton conseguiu um único lance de brilho neste sábado.

Os movimentos são harmonizados. Enquanto artilheiro passa por trás da zaga, o assistente calcula o passe. Com a precisão de um grupo de balé bem ensaiado, tudo acontece na hora certa. Sem impedimento, a bola chega limpa. Toque para o lado. Insuficiente para driblar o goleiro. Mas não há problemas, um sútil toque de calcanhar resolve a jogada. Golaço. A essência do futebol bem jogado resumida em um lance. Ou em um país: o Brasil.

A jogada descrita podia ser, de fato, o resumo de um dia de Brasileirão. Mas passa longe disso. Neste sábado, dia 29 de outubro, o lance acabou sendo, na verdade, o único momento positivo para quem acompanha o torneio. Foram três partidas e apenas um gol marcado. Um gol que, por mais belo que seja, não apaga o sofrimento de quem se propôs a acompanhar todos os embates. 

Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador. Lugares distintos, panoramas parecidos. Nível técnico baixo, poucas oportunidades e um grande desafio para o telespectador: se manter acordado. O primeiro jogo do dia foi no Nilton Santos. Com gramado horroroso, Grêmio e Fluminense se encararam sem um mínimo brilho. O jogo moroso acabou surpreendendo no fim, quando Everton (que entrou na segunda etapa) trouxe a tona uma fagulha de bom futebol. Que logo se apagou. 

Na Arena Independência, alguns minutos empolgaram, mas nada de gols…

Em Minas, o Corinthians até começou bem o jogo contra o América Mineiro. Trocando passes e com time leve, o time alvinegro parecia pronto para marcar gols. As finalizações, porém, fizeram questão de, como um tapa na cara, nos dizer: “amigo, estamos no Brasil”. O nível caiu e, no fim, a vontade era mesmo do juiz apitar o término do jogo.

Chegou a hora de Bahia e Flamengo e… é difícil até comentar. Jogo amarrado, poucas oportunidades e alguns lances dignos de muita risada (vídeo abaixo). Triste para os torcedores das equipes e ainda mais para quem assistiu o jogo “sem obrigação”. Depois do apito final, ficou a sensação de termos desperdiçado preciosos 90 minutos de nossas vidas.

Por mais apaixonados que sejamos pelos torneios do país, tem sido cada vez mais complicado sentar-se em frente a televisão para desfrutar do Brasileirão. Se anos atrás um belíssimo gol de calcanhar podia ser um resumo do que é nosso futebol, hoje caímos na real.

Neste sábado de Campeonato Brasileiro, podemos apagar 269 minutos de jogos sem qualquer culpa.É triste admitir, mas apenas 60 segundos valeram realmente a pena. E esses momentos de brilho, infelizmente, se consolidam cada vez mais como exceção. Não é que os passos de dança descritos no primeiro parágrafo não estejam bem ensaiados. Simplesmente não há mais dança. 

Confira o golaço de Everton que “salvou” o dia de Brasileirão

Postado por Andrew Sousa Formando-se em Jornalismo justamente pela paixão pelo esporte, sente enorme prazer em poder escrever sobre o que ama. Apaixonado por um bom domínio e alguns jogadores ruins, vive o futebol desde o primeiro dos seus vinte anos.