• UFA! Com Firmino e Jesus se pode confiar na 9 do Brasil
    13 de fevereiro de 2018

     

    Há alguns dias eu mesmo publiquei um texto refletindo sobre a falta de “camisa 9” no território nacional – leia o texto “O perfume acabou?“. Mas indo de encontro a tal problemática, os dois donos da posição na amarelinha vêm jogando em alto nível em dois dos times de mais destaque da atual temporada europeia. Gabriel Jesus, o titular, e Firmino, são peças de grande valia para seus respectivos times.

    O titulo desse texto na verdade serve para chamar a atenção do leitor para uma tendência triste que o Brasil sofreu nos dois últimos mundiais. Em 2010, Luís Fabiano fazia grande temporada pelo Sevilla, e fez um digno torneio na África do Sul, porém, seu reserva Grafite já vinha em visível decadência, e foi um dos nomes mais questionados da lista de Dunga. Já em 2014, Fred carimbou sua vaga com uma ótima Copa das Confederações, mas não conseguiu repetir o êxito no mundial, sendo um dos pontos mais fracos do Brasil na Copa. E Jô não era unanimidade nem no Atlético Mineiro. Portanto, ter Firmino e Jesus como bons nomes é um baita upgrade.

    Antes da lesão do dia 31 de dezembro, Jesus não vinha de uma grande fase artilheira, mas tinha a confiança de Pep Guardiola, que o revezava na função com Aguero. Mesmo com um jejum de um mês sem gols, Gabriel mantem números impressionantes pelo time de Manchester, 28 jogos, com 15 gols e seis assistências. Além disso, Tite deposita muita confiança no jovem atacante, que retribuiu tal admiração com a vice artilharia da Seleção no último ano, com sete gols anotados.

    Atacante tem moral no Manchester City.

    Além da venerável e nítida qualidade, o menino do Jardim Peri também apresenta o fator carisma como catalisador de seu sucesso. É talvez o jogador mais adorado pelos torcedores do City, com menos de um ano no clube, já ganhou musica e emplacou uma comemoração característica para seus gols. Todo brasileiro espera que venham muitos “alô mãe” na Rússia.

    Já Roberto Firmino é líder de um dos mais potentes ataques do mundo no momento. Junto com Sadio Mané e Mohammed Salah, forma o segundo melhor ataque da Premier League e também segundo melhor da Champions League. Bobby, como é carinhosamente apelidado pelos adeptos reds, tem uma importância tática absurda para a configuração ofensiva de Jurgen Klopp, tanto fazendo a primeira pressão nos zagueiros, como flutuando na frente da zaga para abrir espaços. E tudo isso levando em conta que sua posição de formação não é a “centroavância”, mas sim o meio de campo.

    Firmino é peça chave do ataque letal do Liverpool.

    Mas não só de movimentação vive Roberto, essa já é sua temporada mais artilheira, 20 gols anotados para o 9 do time do norte da Inglaterra na temporada, sendo 12 na Premier League. Além de 11 assistências, número impressionante para um jogador da posição.

    O fato é: ter confiança nos homens responsáveis por dar números finais ao espetáculo é bom demais. O Brasil chega com Neymar em grande fase, Coutinho com holofotes no Barça, Willian em temporada bem regular no Chelsea, Douglas Costa reencontrando seu futebol na Juve… E esses dois com a “mínima” responsabilidade de colocar a bola na rede. Potência não falta. E expectativas também não.

    Postado por Igor Varejano 17 anos. Do interior de São Paulo. Vivo em ódio por amar o Palmeiras e o Liverpool. Futebol é o que move a humanidade.Bom, pelo menos a minha.