Sem alarde, Digne vai mostrando ser o substituto ideal para Baines
3 de junho de 2019
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Internacional
Leighton Baines é uma verdadeira lenda do time do Everton. É o quarto jogador com mais jogos pela equipe inglesa, com 411 partidas disputadas, apenas oito a menos que o segundo colocado Neville Southall e não muito longe de Leon Osman, que tem 430 jogos pelos Toffees. Durante muitos anos esteve não só dentre os melhores laterais como também dentre os melhores jogadores da Premier League, aparecendo na seleção do campeonato algumas vezes e sendo escolhido o melhor jogador do Everton na temporada 2012/2013. É o quarto defensor com mais gols na Premier League e está no top 3 de defensores com mais assistências na história da competição. Porém, o inglês já tem 34 anos e na temporada passada perdeu uma quantidade considerável de jogos. Por isso ter um reserva para fazer sombra para ele era necessário.
O clube foi buscar Lucas Digne, que estava na reserva de Jordi Alba no Barcelona, pagando 18 milhões de libras pelo francês e o impacto do lateral de 25 anos foi imediato. Digne já iniciou a atual época como titular no time de Marco Silva colocando assim Baines no banco pela primeira vez desde que o inglês chegou no Goodison Park. Dentre as características de Digne que fizeram ele conquistar tão rápido a titularidade, uma das mais importantes foi a sua capacidade física e intensidade. O francês consegue subir ao ataque e voltar para recompor a defesa durante todo o jogo.

Mapa de calor de Digne mostra presença constante do francês de uma ponta à outra do campo.

Sua técnica também chama bastante a atenção. Digne sobe com frequência ao ataque para dar suporte a equipe gerando amplitude e profundidade e faz isso com muita propriedade, seja realizando um cruzamento, um passe ou com ele mesmo à finalizar as jogadas, sendo o sexto jogador dos Toffees que mais finalizou no campeonato inglês. Uma das suas características é ter um ótimo cruzamento, tanto que terminou a Premier League com a melhor média de cruzamentos certos por partida (2.4) dentre todos os jogadores. Outro dado que destaca o quão importante foi o francês para o Everton no setor ofensivo e o quão boa é sua visão de jogo são os passes chaves que ele realizou, foram 71 nessa Premier League, apenas três a menos que Sigurdsson, o melhor do Everton no quesito, o que dá uma média de dois por jogo.
Porém, essa veia ofensiva que ele possui não o torna um lateral que deixe a desejar na defesa, muito pelo contrário, ele recompõe muito bem quando o time perde a bola e também demonstra habilidade para defender, foi o terceiro do time que mais realizou desarmes (2) por partida, o segundo que mais realizou interceptações (1.7) e um dos que mais afastou bolas da defesa, além de ser bom nas jogadas aéreas. E como se não bastasse ser um jogador tão completo por ter tanta qualidade tanto para atacar quanto para defender, o camisa 12 se mostrou ser ótimo na bola parada, característica marcante do anterior dono da lateral esquerda toffee. Dos quatro gols marcados pelo francês dois foram de falta e ele ainda foi um dos responsáveis pelas cobranças dos escanteios nessa temporada.
Em sua primeira participação na Premier League, Lucas Digne já chegou fazendo uma ótima temporada e sendo o segundo melhor lateral dessa edição do campeonato inglês. O Everton encontrou nele um excelente substituto para Baines, inclusive nas faltas, e o francês tendo apenas 25 anos pode construir uma longa e bem sucedida carreira no Goodison Park, assim como fez o lateral inglês. Como o futuro é incerto os torcedores dos Toffees podem ao menos ficar tranquilos quanto uma coisa, enquanto Digne estiver na equipe a lateral esquerda terá um dono que tem futebol para manter o ótimo nível que foi visto enquanto Baines era o titular.
Postado por Wallas Vieira Técnico em Edificações, cursando Administração. Torcedor de Flamengo e Liverpool. Fã da intensa Premier League e do tático campeonato italiano. Gosta de táticas, crônicas e número sobre o futebol.