Para inglês ver #41 – Técnico “tiozão”, bicicletas e jogos decisivos na Inglaterra e na Escócia
27 de maio de 2018
Categoria: Para inglês ver

 

Torcida do Celtic na final da Copa da Escócia

O casamento real britânico ganhou toda a mídia mundial na última semana, porém aqui no quadro a nossa mídia vai pra outra marca registrada dos britânicos: o futebol! E nele rolou muita coisa bacana na última semana, teve playoffs na Inglaterra e na Escócia, muitas invasões de campo, gol e assistência de bicicleta, técnico “tiozão”, finais em Wembley e muito mais. Confira!

♫ ”WE’RE GOING TO WEMBLEY” ♪

Os playoffs da Championship começaram com a semifinal entre o 4° colocado Aston Villa e o 5° colocado Middleabrough. Mais cedo na temporada as equipes haviam empatado em 0-0 na casa do Villa pela liga, o Middlebrough havia vencido fora de casa pela Copa da Liga por 2-0 e o Villa havia vencido por 1-0 fora de casa na outra partida da liga. O palco do jogo de ida da semifinal foi o Riverside Stadium, casa do Middlesbrough, e o resultado foi o mesmo da temporada regular: vitória por 1-0 do Aston Villa com um gol de cabeça do barbudo Mile Jedinak aos 15 minutos do primeiro tempo.

No jogo da volta no Villa Park, grande atuação do time da casa que não permitiu ao Middlesbrough nenhuma finalização no alvo. A partida acabou ficando no 0-0, e a melhor chance de vitória do Middlesbrough veio já nos acréscimos, quando Stuart Downing acertou uma cobrança de falta no travessão. Fim de partida, classificação do Aston Villa para a final e comemoração dentro do gramado da torcida da casa, que foi para o Wemley pela segunda vez em três anos.

REVANCHE 35 ANOS DEPOIS

Já a outra semifinal foi entre Fulham, o 3° colocado que podia ter garantido o acesso direto na última rodada, mas perdeu para o Birmingham City, e o Derby County, 6° colocado que garantiu sua classificação para os playoffs na rodada final do campeonato. Esse confronto estava sendo levado em tom de revanche pela torcida do time de Londres por causa de uma partida lá de 1983, quando o Fulham não conseguiu o acesso para a primeira divisão na última rodada ao perder para o Derby County em uma partida polêmica, que contou com interferência direta da torcida do Derby.

Na partida de ida no Pride Park, estádio do Derby County, vitória dos donos da casa por 1-0 com um gol de Cameron Jerome mesmo com o gigante domínio do Fulham, que teve 74% da posse de bola e 13 finalizações, contra apenas 3 do Derby.

A partida de volta no Craven Cottage prometia muita emoção, e realmente teve. O Fulham novamente dominou a partida, com 64% de posse e 20 finalizações, mas dessa vez o dominio surtiu efeito. Aos 2 minutos do segundo tempo, após passe de Stefan Johansen, o jovem Ryan Sessegnon, ganhador do prêmio de melhor jogador do campeonato, finalizou forte de dentro da área para abrir o placar para o time de Londres. Mais tarde, aos 21 minutos da segunda etapa, o zagueiro Denis Odoi aproveitou o cruzamento de Sessegnon e marcou de cabeça o gol da classificação do Fulham para a final dos playoffs. Será apenas a segunda partida da história do clube no icônico estádio.

No primeiro vídeo, o gol de Denis Odoi que garantiu a passagem para a final (com a música de Titanic, é claro). No segundo, a festa da torcida que comemorou dentro de campo a classificação.

CAVALO PARAGUAIO

Entregar a paçoca na reta final do campeonato parece estar virando rotina para o Derby County, que vem acumulando fracasso após fracasso mas últimas temporadas. Em 2013-14, perdeu a final dos playoffs pro QPR com um gol nos acréscimos. Em 2014-15, saiu da zona dos playoffs na última rodada, mesmo estando lá desde a 9ª rodada. Em 2015-16, perdeu a semifinal dos playoffs para o Hull City. E agora, em 2017-18, perderam para o Fulham.

E aí? Falta de competência ou karma por ter demitido o técnico Paul Clement em 2016 por que ele estava buscando o acesso para a Premier League “cedo demais”?

O capitão Richard Keogh sendo consolado após perder a final em 2014

ASSISTÊNCIA DE BICICLETA

Na League One, a terceira divisão inglesa, os playoffs começaram com o confronto entre o 4° colocado Rotherham e o 5° colocado Scunthorpe. A partida de ida, jogada na casa do Scunthorpe, foi extremamente disputada. Os visitantes saíram na frente do placar aos 17 minutos do primeiro tempo com um gol do ponta Jon Taylor, que aproveitou uma bela bola enfiada por Richie Towell. Logo no minuto seguinte veio o empate do Scunthorpe: após bela jogada de Hakeeb Adelakun pela ponta direita, Duane Holmes encobriu o goleiro e o zagueiro Michael Ihiekwe do Rotherham acabou colocando pro fundo do próprio gol.

Já na segunda etapa, aos 9 minutos, Joe Newell colocou o Rotherham novamente na frente do placar ao aproveitar uma assistência sem querer de bicicleta de Richie Towell, a sua segunda na partida (veja no vídeo). Nos instantes finais da partida, aos 43 do segundo tempo, o Shrewsbury empatou novamente a partida com um gol de Cameron McGeehan após um bate-rebate dentro da pequena área. Empate em 2-2 na partida de ida.

A segunda partida, disputada na casa do Rotherham, foi mais tranquila: vitória dos donos da casa por 2-0. O primeiro gol saiu aos 47 minutos do segundo tempo, quando o zagueirão Richie Wood aproveitou a cobrando de lateral ao melhor estilo “cucabol” de Will Vaulks e marcou de cabeça. Na segunda etapa, aos 18 minutos Vaulks marcou o segundo gol que garantiu o lugar do Rotherham na grande final em Wembley no próximo domingo, dia 27. Foram vendidos cerca de 14,000 ingressos para a torcida do Rotherham.

 

OUCH!

Ainda sobre a partida de ida desse confronto, veja só a bizarra que o goleiro Matt Gilks do Scunthorpe sofreu ao repor a bola em jogo. O goleiro de 35 lesionou o joelho e ficará um bom tempo fora dos gramados

FESTA DENTRO DE CAMPO

A outra semifinal foi disputada entre o 3° colocado Shrewsbury Town e o 6° colocado Charlton Athletic. A primeira partida foi disputada no The Valley, casa do Charlton, e foi bem equilibrada. O único gol da partida só foi sair aos 35 do segundo tempo, quando o meia Jon Nolan do Shrewsbury acertou um lindo chute de fora da área (que você verá no fim dessa página).

O Shrewsbury foi para a segunda partida com a vantagem de 1-0 debaixo dos braços e, mesmo sendo dominado pelo Charlton em boa parte da partida, repetiu o placar do jogo de ida com um gol do atacante Carlton Morris aos 13 minutos do segundo tempo.

Após o fim da partida, invasão dos torcedores do Shrewsbury para comemorar a ida para a final no Wembley. Ao todo foram vendidos cerca de 11,000 ingressos. O clube já jogou quatro partidas no Wembley em sua história e perdeu todas as quatro, inclusive uma nessa temporada quando perdeu a final da EFL Trophy para o Lincoln City.

SAFE STANDING

O Shrewsbury também apareceu na mídia inglesa na última semana ao anunciar a instalação do primeiro setor de “safe standing” do futebol inglês. Safe standing é um modelo de arquibancada onde os torcedores assistem aos jogos de pé, mas com toda a segurança necessária. Esse modelo já funciona muito bem a algum tempo em diversos estadios na  Alemanha, no Celtic Park na Escócia e em alguns estádios da MLS, por exemplo.

A atual legislação inglesa, que entrou em vigor após o desastre de Hillsborough em 1989, prevê que todos os estádios da Premier League e todos os estádios de clubes que estão na Championship a pelo menos 3 temporada devem ser totalmente cobertos por cadeiras. O Shrewsbury está fora dessa regra, então resolveu levar a ideia do safe standing a diante, que está tempo muito apoio de torcedores, clubes e até mesmo da EFL.

GOLAÇO EM DOSE DUPLA

Na League Two, a quarta divisão inglesa, os playoffs começaram com o confronto entre o 4° colocado Exeter City e o 7° colocado Lincoln. Na partida de ida, na casa do Lincoln, empate em 0-0 apesar de ter sido um jogo bem movimentado.

Na segunda partida no St James Park em Exeter, oa donos da casa saíram na frente do placar aos 27 do primeiro tempo com um gol do atacante Jayden Stockley. No segundo tempo, o Exeter ampliou a vantagem para 3-0 com dois belos gols de fora da área de Hiram Boateng e Ryan Harley. O Lincoln ainda diminuiu na reta final com um gol de Matt Green, mas já era tarde demais. Vitória do Exeter por 3-1 e passaporte para o Wembley carimbado!

Cerca de 12,000 ingressos foram vendidos para a torcida do Exeter City. Essa será a segunda temporada seguida em que o clube disputará a final dos playoffs da League Two. Na temporada passada, derrota por 2-1 para o Blackpool em Wembley.

POLÊMICAS E GOLAÇOS

A outra semifinal, disputada entre o 5° colocado Coventry City e o 6° colocado Notts County, foi muito interessante, com golaços e polêmicas. Na primeira partida, disputada no estádio do Coventry, os donos da casa foram melhores e tiveram uma grande chance logo no começo do jogo quando o atacante Mark McNulty acertou a trave. Mas foi o Notts County que saiu na frente do placar: aos 4 minutos do segundo tempo, após grande jogada de Daniel Jones na lateral esquerda, o atacante Jonathan Forte marcou um belo gol de letra! A partida já se encaminhava para o fim quando, aos 42 minutos da segunda etapa, um pênalti muito duvidoso foi marcado para o Coventry. Mark McNulty, artilheiro do time, foi pra bola e converteu: 1-1 na partida de ida.

No segundo jogo, disputado na casa do Notts County, também teve golaço e polêmica. O Coventry saiu na frente do placar logo aos 6 minutos com uma bela bicicleta/puxeta do francês Max Biamou (veja abaixo). Mark McNulty ampliou aos 37 minutos e chegou ao seu 28° gol na temporada, igualando a marca de George Hudson na campanha do título da 3° divisão em 1963-64. O meia Jorge Grant diminuiu para o Notts County pouco antes do intervalo, aos 44 minutos.

Logo no começo da segundo etapa rolou a segunda polêmica do confronto. Quando a partida ainda estava 2-1 para o Coventry, Jonathan Forte marcou o gol de empate do Notts County porém o bandeirinha marcou impedimento, quando o atacante estava em posição legal. Isso parece ter desestabilizado o time da casa, que acabou sofrendo mais dois gols no segundo tempo, um de Tom Bayliss e outro de Max Biamou. Vitória por 4-1 e festa dos 4,500 torcedores visitantes do Coventry, que irão para Wembley pela segunda vez em dois anos. Cerca de 38,000 ingressos foram vendidos para a torcida do Coventry para a grande final.

 

CAMISA ESPECIAL

O Coventry City lançou uma camisa especial que será usada em somente uma partida, na grande final na próxima segunda feira. A camisa teve opiniões divididas entre os torcedores: enquanto alguns acabaram a ideia bacana, outros acreditam que foi só uma ação do clube para vender mais camisas e ganhar mais dinheiro.

FINAL EMOCIONANTE

Tranmere Rovers e Boreham Wood chegaram para a final dos playoffs da National League, a quinta divisão inglesa, com grandes espectativas. O Tranmere não disputava a 4° divisão desde a temporada 2013-14, enquanto o Boreham Wood nunca tinha chegado lá. Toda essa tensão se mostrou clara logo no começo do jogo, quando o lateral Liam Ridehalgh do Tranmere foi expulso com apenas 47 segundos de jogo. Apesar de estar com um jogador a menos, foi o Tranmere que saiu na frente do placar aos 9 minutos com um gol de cabeça do atacante Andy Cook. O gol de empate do Boreham Wood saiu aos 53 minutos do primeiro tempo, com uma bela finalização de chapa do português Bruno Andrade, que já é o novo reforço do Lincoln City.  Ainda antes do fim do primeiro tempo, o Tranmere já havia feito as suas três substituições.

Apesar de todas as variáveis estarem indo contra o Tranmere, o gol do acesso veio: aos 36 minutos do segundo tempo, o atacante James Norwood subiu alto e marcou de cabeça o mais importante dos seus 23 gols na temporada. Fim de jogo e Tranmere promovido para a League Two!

ACESSO NOS PÊNALTIS

Na National League South, uma das ligas da 6° divisão inglesa, a final dos playoffs foi decidida nos pênaltis. Após empate em 1-1 no tempo normal e na prorrogação, o Braintree Town bateu o Hampton & Richmond Borough fora de casa na cobrança de penalidades e conquistou o acesso para a National League logo na temporada seguinte ao seu rebaixamento. Veja no vídeo abaixo a comemoração de jogadores, comissão técnica e torcedores do Braintree com o acesso.

ACESSO TRANQUILO

Já na National League North, a outra liga da 6ª divisão inglesa, a final dos playoffs foi menos emocionante. O Harrogate Town bateu o Brackley Town pelo placar de 3-0 com direito a dois gols do artilheiro Dominic Knowles, que chegou ao seu 17º gol na temporada.

O Harrogate havia terminado a temporada regular na 2 colocação da liga e teve de longe o melhore ataque e o melhor saldo de gols do campeonato. O clube é um dos únicos totalmente profissionais no futebol non-league inglês (abaixo da 4ª divisão).

TÍTULO NA RAÇA

O Brackley Town, porém, não teve muito tempo para ficar lamentando a derrota na final dos playoffs. Uma semana depois, o pequeno clube da cidade de Brackley, de apenas 13,000 habitantes, foi até Wembley para disputar a final da FA Trophy, uma copa nacional inglesa para equipes da 5ª, 6ª, 7ª e 8ª divisões. O adversário era o Bromley, time profissional que está uma divisão acima, então a tarefa não seria nada fácil.

E não foi mesmo. Aos 19 minutos do primeiro tempo, o Bromley abriu o placar com um gol do atacante alemão-libanês Omar Bugiel. O 1-0 ficou no placar até o último lance da partida, quando aos 50 do segundo tempo, após um chute rasteiro de fora da área que acertou a trave, o zagueirão Gareth Dean, que é o capitão do Brackley, colocou a bola pro fundo da rede e levou a partida para a prorrogação. No tempo extra, ambas as equipes tiveram chances de marcar o gol da vitória, porém o placar continuou empatado e a partida foi para a disputa de penalidades. Omar Bugiel, que havia marcado o gol do Bromley no tempo normal, desperdiçou o seu pênalti. A cobrança do título ficou nos pés do atacante Andy Brown, que não desperdiçou o deu o título para o Brackley!

Foi o primeiro título do Brackley na FA Trophy em sua primeira visita ao estádio de Wembley na histtória!

 

Nos pênaltis, o Brackley Town foi campeão da FA Trophy

ARTILHEIRO NATO

Mais cedo, no mesmo dia, também foi disputada outra final em Wembley: a da FA Vase, uma copa nacional inglesa para times da 9ª divisão para baixo. Os finalistas eram o Stockton Town, de uma cidade lá do nordeste da Inglaterra, e o Thatcham Town, de uma cidadezinha perto de Londres.

Com um gol de pênalti do atacante Shane Cooper-Clarke, o título ficou nas mãos do Thatcham Town, que se sagrou campeão da FA Vase pela primeira vez na história! Shane Cooper-Clarke, carpinteiro de 25 anos e autor do gol do título, chegou a marca de 63 gols na temporada, impressionante!

Com o título do Thatcham Town foi quebrada uma sequência de oito títulos seguidos de clubes do nordeste da Inglaterra. O Stockton, que é do nordeste, poderia ter continuado essa grande sequência.

Elenco campeão do Thatcham Town. Cooper-Clark, de pé bem à esquerda, chegou ao seu 63º gol na temporada

JOGO LOUCO

O Campeonato Escocês chegou à sua última rodada com o título já definido, porém a segunda colocação e uma vaga na Europa League ainda estavam em aberto. O Rangers precisava de uma vitória fora de casa em cima do Hibernian e precisava torcer para o rival Celtic bater o Aberdeen para garantir o vice-campeonato. O Hibernian, por outro lado, não precisava de nenhum resultado na rodada final do campeonato para se classificar para a Europa League, porém precisava de uma vitória do Celtic na final da Copa da Escócia (que falaremos depois).

O início do jogo foi dos sonhos para o Hibernian: com 22 minutos do primeiro tempo, os Hibs já venciam o Rangers por 3-0 com gols de Florian Kamberi, Scott Allan e Jamie MacLaren. Mas assim como a vantagem de 3-0 veio rápido, ela foi foi embora: aos 40 minutos do primeiro tempo o Rangers havia empatado a partida em 3-3 com gols de James Tavernier, Jordan Rossiter e Bruno Alves.

Na volta do segundo tempo a reação do Rangers continuou e os Gers marcaram mais dois gols com Jason Holt e Josh Windass para deixar o placar em 5-3. Nesse momento alguns torcedores do Hibernian já começavam a sair do estádio, indignados com a virada levada pela sua equipes, porém a reação começou no minuto seguinte, quando Jamie MacLaren marcou seu segundo gol no jogo. A partida já caminhava para o fim quando, aos 48 do segundo tempo, Jamie MacLaren completou o seu hat-trick ao marcar para o Hibernian o gol de empate em 5-5. Festa da torcida e do técnico Neil Lennon, que comemorou dentro de campo.

O vice-campeonato acabou ficando pela 4ª temporada seguida com o Abeerdeen, que venceu o Celtic fora de casa por 1-0.

DOUBLE-TREBLE

O Celtic chegou para a final da Copa da Escócia contra o Motherwell com a possibilidade de conquistar a sua segunda tríplice coroa seguida, o que seria um feito inédito no futebol escocês. Mais cedo na temporada o Celtic havia batido o Motherwell por 3-0 na final da Copa da Liga, então havia o sentimento de revanche do outro lado. Porém a partida teve domínio total do lado verde de Glasgow e o título veio facilmente por 2-0 com gols de Olivier Ntcham e Callum McGregor (esse último um golaço de fora da área).

O Celtic é o maior campeão da Copa da Escócia com 38 títulos conquistados, cinco a mais que o Rangers.

MONARQUIA? TO FORA. PEGO MINHA TRÍPLICE COROA E VOU EMBORA

A final foi disputada no mesmo horário em que o casamento real acontecia na Inglaterra e a torcida do Celtic aproveitou para alfinetar a torcida do rival Rangers, que tem um histórico de apoio à monarquia, enquanto a do Celtic é republicana. ”Você pode enfiar o casamento real na bunda”, entoava a torcida do Celtic no Hampden Park.

JOGO FESTIVO

No dia seguinte à conquista da segunda tríplice coroa seguida o Celtic disputou um amistoso festivo contra a seleção da Irlanda em homenagem à Scott Brown, ídolo e capitão do Celtic que está chegando a marca de 500 jogos pelo clube. A partida acabou empatada em 2-2.

O jogo festivo contou com a presença de alguns momes conhecidos dentro do futebol britânico, sendo o mais famoso deles Henrik Larsson, atacante sueco de 45 anos que fez 315 partidas pelo Celtic entre 1997 e 2004, marcando 242 gols.

Scott Brown, capitão e ídolo do Celtic

 

Henrik Larsson foi um dos destaques da partida festiva

12 ANOS DEPOIS

Assim como na Inglaterra, na Escócia também rolaram os playoffs na última semana. Mas nos vizinhos do Norte o modelo é diferente: o 11º colocado da 1ª divisão (que tem 12 clubes) enfrenta o vencedor de um pequeno playoffs entre o 2º, 3º e 4º colocados da segunda divisão. Esse modelo se repete nas divisões abaixo.

Nessa temporada, o penúltimo colocado da primeira divisão foi o Partick Thistle, enquanto o vencedor dos playoffs da segunda divisão foi o Livingstone. As duas equipes então se enfrentaram em jogos de ida e volta para decidir quem fica na 1ª e quem fica na 2ª divisão. Na partida de ida, disputada na casa do Livingstone, vitória do time da casa por 2-1 com gols de Keaghan Jacobs e de Scott Pitman.

Podendo até mesmo empatar a partida da volta, o Livingstone não se acomodou e venceu de novo, dessa veza por 1-0, com mais um gol de Keaghan Jacobs. No último minuto da partida o goleiro Neil Alexander do Livingstone ainda defendeu um pênalti. Acesso confirmado para o Livingstone que não disputava a primeira divisão escocesa desde a temporada 2005-06.

Scott Pitman, autor de um dos gols da partida de ida

 

Elenco do Livingstone comemora o acesso para a primeira divisão escocesa

ACESSO SUADO NA PRORROGAÇÃO

O Dumbarton, penúltimo colocado da 2ª divisão, disputou a final dos playoffs contra o Alloa Athletic, que venceu o pequeno playoff da 3° divisão. Na partida de ida, disputada na casa do Alloa, vitória do Dumbarton por 1-0.

Na segunda partida, dessa vez no estadio do Dumbarton, os donos da casa conseguiam segurar o 0-0 até os 48 do segundo tempo, quando Ross Steward II marcou o gol do Alloa que levou a partida para a prorrogação. No tempo extra, mais um gol do Alloa, dessa vez um golaço de Jordan Kirkpatrick que garantiu o acesso para o Alloa Athletic, que tem um dos piores (ou será melhores) escudos do Reino Unido.

TREINADOR ”TIOZÃO”

Martin Allen, o novo treinador do recém-rebaixado para a 5° divisão Chesterfield, está ganhando a atenção da mídia inglesa nas últimas semanas. Allen está encarregado de escrever todas as notas oficiais de contratações que vão para o site do clube, e ele está fazendo de uma maneira um tanto diferente:

Ao anunciar a contração do zagueiro Michael Nelson, o treinador o descreveu como “muito velho e cheio de experiência, ele é durão como o cachorro de um açougueiro”

Em outra tirada de tiozão, Allen, ao anunciar os amistosos que o clube disputará na pré temporada, anunciou que a partida do dia 25 de Julho será uma vitória dentro de casa em cima do Wigan Athletic. Pouca confiança…

Por último, convocou uma entrevista para a próxima terça feira que será aberta para a torcida. Nela, os três torcedores que fizerem as melhores perguntas (a critério do treinador) ganharam prêmios: o primeiro será seu assistente técnico no amistoso contra o Wigan, participando de todo o pré, durante e pós jogo. O segundo terá o mesmo prêmio, mas para uma partida fora de casa contra o um adversário ainda não confirmado. O terceiro irá participar de uma seção de treinos com a equipe no Peak District, um parque montanhoso na região central da Inglaterra, “descendo e subindo as montanhas”, nas palavras do treinador.

TORCIDA DA SEMANA

Cerca de 19,000 torcedores do Bromley foram até Wembley para a final da FA Trophy. Impressionante para um clube da 5ª divisão!

GOLAÇO DA SEMANA

O meia Jon Nolan marcou esse lindo gol de fora da área na vitória do Shrewsbury fora de casa em cima do Charlton. O mais bonito da semana!

JOGADOR DA SEMANA

Dominic Knowles, que já havia marcado cinco gols na partida final do campeonato e dois na partida semifinal dos playoffs da National League North, marcou mais dois e garantiu o acesso do Harrogate para a National League! O melhor jogador da semana!

Postado por Eduardo Werner De São José dos Pinhais - PR, tenho 18 anos e estudo Relações Internacionais. Sou fã do futebol inglês e escocês, torço para Atlético Paranaense, Manchester United, Celtic e South Shields, da 7ª divisão inglesa