Para inglês ver #40 – Fim da espera de 111 anos, rodada final emocionante e polêmica com o hino britânico
14 de maio de 2018
Categoria: Para inglês ver

Festa da torcida que esperou 111 anos pelo acesso

A temporada vai chegando ao fim e vão surgindo aquelas histórias incríveis, que parecem terem saído de um filme. Esse é o caso do Dulwich Hamlet, clube de Londres que passou 111 anos seguidos perambulando pelas ligas amadoras na Inglaterra até conseguir o acesso para a 6° divisão na última semana, coroando com emoção o fim de uma difícil temporada. Mas não foi só isso que aconteceu não, teve a rodada final com muita emoção na Championship, League One e League Two, começo dos playoffs no futebol inglês, polêmica sobre o hino na Irlanda do Norte e muito mais. Confira!

FESTA AZUL

A última rodada da Championship chegou e duas equipes ainda brigavam pela última vaga direta na Premier League: Cardiff City e Fulham. O Cardiff tinha a partida mais fácil, jogava em casa contra o Reading, que já tinha quase se safado do rebaixamento, enquanto o Fulham visitava o Birmingham, que corria mais perigo. Apesar de toda a emoção que essa briga prometia, Cardiff e Reading ficaram no 0-0 (com domínio total do Cardiff) e o Fulham perdeu por 3-1 para o Birmingham com dois gols já no primeiro tempo. Assim, o Cardiff garantiu o acesso para a Premier League após quatro temporada seguidas disputando a Championship, para a alegria de sua torcida que comemorou no gramado após o fim da partida.

Torcida do Cardiff comemora no gramado o acesso para a Premier League

ILUSÃO DE ÓTICA

Cardiff e Reading ficaram só no 0-0, e o lance mais interessante da partida saiu de um lateral. Isso mesmo: veja bem atentamente o vídeo abaixo. O lateral foi cobrado dentro de campo, na marca da sombra e não da linha lateral, certo? Como que ninguém notou isso? Infelizmente, o que poderia ter sido um caso e tanto, na verdade foi só uma ilusão de ótica, que pode ser vista na imagem em seguida.

Apenas uma ilusão de ótica

EMOÇÃO ATÉ O FIM

Na parte de baixo da tabela a briga também estava boa. Só tínhamos um clube já rebaixado, o Sunderland, e outras duas vagas no rebaixamento ainda estavam em aberto. Três times corriam sérios riscos de cair: o Burton, que enfrentou o Preston fora de casa, o Barnsley, que visitou o Derby, e o Bolton, que recebeu o Nottingham Forest. As tarefas mais difíceis eram as de Burton e Barnsley, pois enfrentavam fora de casa equipes que buscavam um lugar nos playoffs, enquanto o Bolton pegava um adversário que já não brigava por mais nada no campeonato.

Ao final do primeiro tempo, o Bolton empatava em 0-0, o Burton perdia por 1-0 e o Barnsley era quem estava se safando mesmo perdendo por 1-0. Foi na segunda etapa que tudo começou a ficar mais interessante. Nos 45 minutos finais foram um total de 7 mudanças em quem estava sendo rebaixado, sendo que todas as combinações possíveis aconteceram pelo menos uma vez. Poderíamos até explicar como estava a situação na zona do rebaixamento a cada gol que saiu, mas seria confuso demais. O que precisamos saber é que o Bolton estava perdendo por 2-1 e sendo rebaixado aos 41 do segundo tempo quando empatou com um gol do zagueiro David Weather. Esse gol ainda não mudava nada, porém dois minutos depois, aos 43 do segundo tempo, o veterano Aaron Wilbraham de 38 anos, um dos jogadores mais criticados do elenco, marcou o gol de cabeça da virada que garantiu a permanência do Bolton e o rebaixamento de Burton e Barnsley. Confira:

ACHADOS E PERDIDOS

A festa da permanência do Bolton foi tão grande que a torcida invadiu o gramado, colocou jogadores e comissão técnica nos ombros e comemorou por minutos e minutos (isso pelo segundo ano consecutivo, já que garantiram o acesso para a Championship em casa na temporada passada). Mark Little, lateral do Bolton, resolveu dar a sua jaqueta para um torcedor que estava comemorando com ele no gramado. Acontece que dentro da jaqueta estavam a carteira e o anel de noivado de Little. Felizmente, o torcedor foi encontrado e os objetos devolvidos para o lateral

AGORA QUE NÃO VALE MAIS NADA…

Talvez a partida menos importante da última rodada da Championship tenha sido uma das mais interessantes. O Sunderland, lanterna e já rebaixado, recebeu o líder e já campeão Wolverhampton e venceu com autoridade por 3-0. Foram gols de Ejaria, Ashley Fletcher e Paddy McNair, esse último um belo gol (veja abaixo). O Wolverhampton, melhor time da Championship por certa distância, não conseguiu vencer o Sunderland na temporada. Foi o único time da liga que não perdeu para o Wolverhampton: 0-0 no primeiro turno e 3-0 agora.

TEMPORADA DOS SONHOS

O Sunderland aproveitou a última rodada para dar chance aos jovens jogadores do elenco. Foram 7 jogadores com menos de 21 anos envolvidos na partida. Desses sete, o que mais chamou a atenção foi o volante Bali Mumba, de 16 anos. Mumba estreou nessa temporada pelo sub-18, pelo sub-23 e contra o Wolverhampton foi a sua estreia pelo profissional do Sunderland. Ele saiu do banco substituindo o veterano John O’Shea, ficando assim com a braçadeira de capitão logo na sua estreia. Mumba, que ainda não tem carteira de motorista, teve que ligar pro seu pai pegar ele no estádio depois da partida. Que domingo e tanto, hein?

Bali Mumba, de 16 anos, foi o capitão do Sunderland por 5 minutos logo na sua estreia

OI SUMIDOS

Já sabemos também os 3 clubes rebaixados da Premier League para a Championship na próxima temporada. Stoke City, West Brom e Swansea foram rebaixados depois de muitas temporada passadas na Premier League. Foram 10 do Stoke, 7 do West Brom e 7 do Swansea. Boa sorte a eles na próxima temporada, vão aparecer muito aqui no quadro!

FESTA FORA DE CASA

Já na League One, a 3ª divisão inglesa, o título ainda estava em aberto na última rodada: o líder Wigan tinha dois pontos de vantagem para o Blackburn, que vinha logo atrás. As duas equipes tinham confrontos relativamente fáceis, o Wigan fora de casa contra o Doncaster e o Blackburn recebia o Oxford United. Por causa do saldo de gols, o Blackburn precisava vencer e torcer por uma derrota do Wigan, mas não foi isso o que aconteceu: os dois candidatos ao título venceram e o campeonato acabou ficando nas mãos do Wigan, que em 46 rodadas conquistou 98 pontos, dois a mais que o Balckburn. As duas equipes conseguiram o acesso para a Championship logo na temporada seguinte ao rebaixamento.

Curiosamente, as duas equipes fizeram a festa no estádio do Doncaster nessa temporada: o Blackburn duas rodadas atrás quando garantiu o acesso matematicamente e o Wigan na última rodada, com a conquista do título.

Jogadores do Wigan comemoram o título da League One

VITÓRIA EM DOSE DUPLA

Na outra ponta da tabela a briga estava melhor ainda. Dos quatro rebaixados, três já estavam definidos (Bury, Northampton Town e MK Dons). O último rebaixado seria ou o Rochdale ou o Oldham Athletic, dois rivais da região metropolitana de Manchester. O Oldham tinha um ponto a mais e precisava vencer o já rebaixado Northampton para não depender do jogo do Rochdale, que recebia o Charlton, que brigava por uma vaga nos playoffs. O Oldham, que em teoria tinha a partida mais fácil, ficou só no 2-2 fora de casa. Esse resultado estava livrando o Oldham do rebaixamento, até que aos 25 do segundo tempo, a 175km de distância, Joe Thompson marcou o gol da vitória por 1-0 do Rochdale sobre o Charlton, gol que garantiu a permanência do Rochdale e rebaixou o rival Oldham para a 4ª divisão. O Oldham estava a 21 anos seguidos na League One, sem ser promovido ou rebaixado.

Joe Thompson, meia do Rochdale, foi diagnosticado com um tipo raro de câncer, o Linfoma de Hodgkin, em outubro de 2013. Ele foi curado em junho de 2014 após seis meses de quimioterapia, porém o câncer voltou em março de 2017. Foram 8 meses de recuperação até ele voltar a entrar em campo, em dezembro do ano passado. Esse foi o gol marcado por ele que salvou seu time do rebaixamento:

VITÓRIA COM GOSTO DE DERROTA

Na League Two, a 4ª divisão, título e acesso já estavam definidos, só restava a definição do segundo clube rebaixado. Barnet e Morecambe eram os dois times que ainda corriam riscos. O Morecambe tinha dois pontos a mais, porém jogava fora de casa contra o Coventry, da parte de cima da tabela, enquanto o Barnet jogava em casa contra o já rebaixado Chesterfield. Apenas uma derrota do Morecambe combinado com uma vitória do Barnet mudaria a situação do rebaixamento. O Barnet fez a sua parte, venceu por 3-0, porém o Morecambe conseguiu segurar o 0-0 fora de casa com o Coventry, se salvando e decretando o rebaixamento do Barnet. Veja abaixo o belo terceiro gol do Barnet na partida

COMO UM GATO

O Coventry só precisava de um ponto para garantir o seu lugar nos playoffs, enquanto o Morecambe só precisava de um empate para se safar do rebaixamento. Muita gente acusou as duas equipes de fazer um ”jogo de compadres” para conquistarem os seus objetivos. Porém, se olharmos os melhores momentos da partida, veremos que o goleiro Barry Roche do Morecambe fez importante defesas. Veja abaixo:

A BASE VEM FORTE

Sem brigar por mais nada no campeonato, o Crewe Alexandra foi a campo com um time formado totalmente por jogadores formados na base do clube. Foi uma mistura de jogadores do sub-20 e jogadores experientes, mas que fizeram as categorias de base no clube. Mesmo assim, a vitória veio: 2-1 em cima do Cheltenham Town

Todo o time titular do Crewe foi formado na base do clube

PLANEJAMENTO DANDO RESULTADO

Pela primeira vez na história do futebol inglês, nenhum clube promovido na temporada 2016-17 nas cinco primeiras divisões foi rebaixado logo na temporada seguinte. Na Premier League, Newcastle, Brighton e Huddersfield garantiram a permanência. Na Championship, Sheffield United, Millwall e Bolton. Na League One, Portsmouth, Plymouth, Doncaster e Blackpool. Na League Two, Lincoln City e Forest Green Rovers. E na National League, AFC Fylde, Ebbsfleet, Maidenhead e Halifax.

O Lincoln subiu de divisão em 2016-17 e na temporada seguinte foi para os playoffs na League Two

NOVA REALIDADE

O Chesterfield, que caiu para a 5ª divisão pela primeira vez em 97 anos, parece que ainda não se acostumou com a nova realidade. O clube divulgou na última quarta feira os seus novos uniformes para a próxima temporada, o primeiro azul e o segundo preto. Acontece que uniformes pretos não são permitidos no futebol non-league (abaixo da 4ª divisão), pois os árbitros usam uniformes pretos em todas as partida, sem exceção.

DO CÉU AO INFERNO

Na National League, a 5ª divisão inglesa, os playoffs tiveram uma mudança nas regras para essa temporada. Ao invés de apenas 4 times se qualificarem, agora são 6. Os times classificados do 4º ao 7º lugar jogam as quartas de finais, enquanto o 2º e 3º colocados esperam nas semifinais.

A primeira das quartas de finais foi disputada entre Aldershot Town e Ebbsfleet United. Essa partida teve um personagem e tanto: o goleiro Lewis Ward do Aldershot. No tempo normal, Ward defendeu um pênalti aos 10 minutos do segundo tempo, que garantiu o empate em 0-0. Na prorrogação, as duas equipes marcaram, levando a partida para os pênaltis. Aí que a coisa começou a ficar séria: Ward defendeu mais dois pênaltis, dando dois ”match points” pra sua equipes, que não foram aproveitados. Quando foi a sua vez de bater o pênalti, Ward acertou a trave! Na cobrança seguinte, o atacante do Ebbsfleet converteu, classificando sua equipe para a próxima fase. Ou seja, mesmo pegando três pênaltis na partida, Ward não conseguiu classificar a sua equipe pois desperdiçou a sua cobrança.

FALHAS DOS GOLEIROS

Avançando para as semifinais, o Ebbsfleet visitou o Tranmere Rovers, que tinha terminado na 2º colocação do campeonato. Mesmo jogando fora de casa, foi o Ebbsfleet que saiu na frente do placar logo aos 16 minutos do primeiro tempo com um gol de Luke Coulson. Aos 33 minutos, o atacante James Norwood empatou para o Tranmere. Norwood foi um dos melhores jogadores dessa National League, marcando 20 gols e dando 10 assistências. No segundo tempo, o Ebbsfleet voltou a ficar na frente do placar aos 6 minutos quando Myles Weston aproveitou essa falha do sistema defensivo do Tranmere (a primeira do vídeo). Cinco minutos depois, Josh Ginnelly empatou para o Tranmere, resultado que levou a partida para a prorrogação.

Aos 12 minutos do primeiro tempo da prorrogação, Norwood marcou novamente, dessa vez com um belo gol de falta. Já no segundo tempo da prorrogação, Larnell Cole chutou forte de fora da área, o goleiro Nathan Ashomore do Ebbsfleet aceitou e o Tranmere acabou vencendo por 4-2, indo para a final em Wembley.

MAIS FALHAS

A outra semifinal foi disputada entre Sutton United e Boreham Wood. O Sutton foi o 3º colocado e já estava esperando na semifinal, enquanto o Boreham Wood teve que eliminar o AFC Fylde nas quartas. Mesmo jogando fora de casa, o Boreham Wood venceu por 3-2 e carimbou a sua ida ao Wembley. O 3º gol do time foi esse marcado Michael Folivi, com uma baita ajuda da zaga do Sutton United

O FIM DE UMA ERA

Na última semana falamos sobre como o Dartford perdeu o título da 6ª divisão e o acesso para a 5ª divisão aos 44 do segundo tempo. Pois bem, o time então teve que disputar os playoffs, mas foi eliminado logo nas quartas de final pelo Braintree Town em casa ao perder por 1-0. Foi a primeira derrota após 9 vitórias seguidas. A eliminação nos playoffs culminou com o pedido de demissão de Tony Burman, que era técnico do Dartford faziam 14 anos. Burman também fez mais de 500 jogos pelo clube como jogador, entre 1979 e 1987

Tony Burman pediu demissão após 14 anos no comando do Dartford

POUCA PRESSÃO

A temporada do Dulwich Hambley, clube de Londres que disputa a 7ª divisão inglesa, foi extremamente difícil. Primeiro, foram expulsos de seu estádio onde jogavam desde 1912 pelo seus próprios donos, que queriam construir no lugar um complexo residencial. Depois, tiveram o seu nome ”Dulwich Hamlet” e a inicial ”DHFC” registrada pelos mesmos empresários. Tiveram que conseguir um acordo com os rivais Tooting & Mitcham para dividir o estádio e mesmo assim conseguiram chegar nos playoffs.

Na última segunda feira (dia 7) foi a final contra o Hendon FC. A partida foi para os pênaltis, e no vídeo você pode conferir a cobrança decisiva, que garantiu o acesso do Dulwich Hamlet para a National League South (6ª divisão). O time sempre foi um dos maiores clubes amadores do país, já venceu 4 FA Amateur Cups, competição já extinta para clubes amadores). Foram 111 anos seguidos disputando a Isthmian League, seja na 7ª ou na 8ª divisão, até finalmente conseguir o acesso nessa temporada. O clube teve a maior média de público da sua liga, 1,381 pagantes por jogo. A partida do acesso teve um grande público de 3,321 torcedores.

A BUNCH OF CRAZIES

Parecia que não ia dar pro Coringão de Londres, mas deu. O Corinthian-Casuals chegou na final dos playoffs da Isthmian South Division, uma da sligas da 8ª divisão inglesa, mas acabou perdendo nos pênaltis para o Walton Casuals, que acabou promovido. Na imagem você pode ver o exato momento em que o jogador do Corinthian-Casuals perde o último pênalti, com uma bandeira do Corinthians Paulista ao fundo.

Acontece que na divisão acima o Thurrock FC resolveu fechar as portas, como já havíamos informado na semana passada. Isso fez com que o clube com a melhor campanha na temporada regular que chegasse na final dos playoffs e perdesse também seria promovido. Esse clube foi o Corinthian-Casuals.

Pra quem não sabe, o Corinthian FC foi um dos maiores clubes amadores ingleses do início do século XX. Em uma excursão ao Brasil em 1910, ele inspirou a fundação do Corinthians Paulista. Alguns anos depois o Corinthian FC se juntou ao Casuals FC para formar o Corinthian-Casuals, que se mantém amador até os dias de hoje. O Corinthian-Casuals voltou mais algumas vezes para o Brasil, mas as visitas mais famosas foram em 1988 e em 2015, quando disputaram amistosos contra o Corinthians Paulista.

SÓ VALE GOLAÇO

Pela semifinal dos playoffs da Southern Premier Division, uma das ligas da 7ª divisão inglesa, o King’s Lynn Town recebeu o Weymouth e venceu por 3-0, com três belos gols (veja abaixo). Na final, porém, o time perdeu para o Slough Town por 2-1 e não conseguiu o acesso.

33 ANOS DEPOIS

Na última semana se completaram 33 anos do incêndio no Valley Parade, estádio do Braford City. Foi numa partida entre o time de Bradford e o Lincoln City, que garantia o acesso do Bradford City para a segunda divisão inglesa pela primeira vez em mais de 50 anos. Pouco antes do intervalo um foco de incêndio começou na arquibancada principal do estádio. O fogo começou por causa de uma bituca de cigarro que acendeu uma pilha de lixo que estava na parte de baixo da arquibancada de madeira. Menos de 4 minutos depois a arquibancada inteira estava em chamas. No total, 56 pessoas morreram e 265 ficaram feridos. Mais de 50 pessoas receberam títulos de honra por terem salvado vidas. Caso queira ver o vídeo da transmissão da partida, clique aqui

POLÊMICA COM O HINO

Cliftonville e Coleraine se enfrentaram no Windsor Park em Belfast na final da Copa da Irlanda do Norte. O Cliftonville é o único time assumidamente católico e republicano na liga da Irlanda do Norte, todos os outros clubes são protestantes e unionistas (como é o caso do Coleraine) ou são neutros. Oficialmente, o hino da Irlanda do Norte é o God Save the Queen, o mesmo hino do Reino Unido, que a Irlanda do Norte faz parte. Mas como é um hino originalmente inglês e que exalta a monarquia inglesa, esse hino não é aceito pelos católicos republicanos irlandeses, como é o caso do Cliftonville. O clube fez um pedido para a federação de futebol local não tocar o hino antes da final, porém esse pedido não foi aceito. Em 2013, quando o Cliftonville também chegou na final, o pedido foi aceito.

Os jogadores do Cliftonville então abaixaram a cabeça durante a execução do God Save the Queen em um sinal de não aceitação do hino. Também foram relatadas vaias e cânticos da torcida do Cliftonville por cima do hino, como você pode ver no vídeo. Dentro de campo, vitória do Coleraine por 3-1.

TORCIDA DA SEMANA

Cerca de 4,500 torcedores do Luton Town o empate em 0-0 fora de casa contra o Notts County na última rodada da League Two.

GOLAÇO DA SEMANA

O gol mais bonito da semana foi esse belo gol de falta marcado por James Norwood na vitória do Tranmere Rovers sobre o Ebbsfleet United na semifinal dos playoffs da National League.

TIME DA SEMANA

Time dos melhores jogadores da rodada da EFL (2ª, 3ª e 4ª divisões).

(Rodada dos dias 5 e 6 de Maio)

JOGADOR DA SEMANA

Tom Eaves, do Gillingham, e Atdhe Nuhiu, do Sheffield Wednesday, marcaram hat-tricks na última rodada de suas ligas, mas o prêmio de melhor jogador da semana não poderia ir pra outro jogador a não ser Joe Thompson. Foram duas vitórias sobre o câncer e um gol no segundo tempo que garantiu a permanência de seu time e o rebaixamento do rival. É o melhor jogador da semana!

Postado por Eduardo Werner De São José dos Pinhais - PR, tem 17 anos e estuda Relações Internacionais. Fã do futebol inglês e escocês, torce para Atlético Paranaense e Manchester United