Os jovens que prometiam no meio campo rubro negro
20 de junho de 2012
Categoria: Futebol e Nacional

Alanzinho

 

Talvez poucos se lembrem do meia, que surgiu em 2002, mas Alanzinho desde cedo era uma das esperanças do clube rubro negro para o futuro. Porém, com um time cheio de problemas e muito bagunçado estruturalmente, a joia da Gávea acabou indo jogar no América -RJ e posteriormente no Gama, quando foi para a Europa e teve um certo brilho. Na Noruega, foi eleito o melhor jogador do nacional atuando pelo Stabæk, acabou sendo contratado por 4 milhões de euros pelo Trabzonspor da Turquia. Jogando por lá, chegou as oitavas da Champions League em uma campanha histórica do clube. Atualmente, com 34 anos, atua pelo Gaziantep B.B, também da Turquia.

Erick Flores

 

Talvez um dos jogadores mais promissores da história recente na base rubro negra, Erick surgia com um furor enorme de toda a torcida. Ainda com 19 anos, já entrava constantemente nos jogos e a expectativa era que, com o tempo, alcançasse a titularidade. O que não aconteceu. Sem se firmar, acabou sendo emprestado para diversos clubes, são eles: Ceará, Náutico, Boavista (2x), Duque de Caxias, Itumbiara, Avaí e ABC, quando acabou seu contrato com o Flamengo. De lá seguiu para o São Bernardo, passou também pelo Fortaleza, Boavista (mais 2x), FK Kukesi-ALB e hoje, no auge de seus 28 anos, atua na segunda divisão pelo Criciúma.

Vitor Saba

 

“Roubado” do Vasco já no sub-17, Vitor foi mais uma daquelas promessas de “10 clássico” que surge de tempos em tempos. Havia potencial, mas faltou oportunidade e sequência, o jogador chegou até a atuar na lateral esquerda, longe de sua função primária. Foi emprestado para o Macaé, Vitória, e Boavista até ser vendido ao Bréscia da Itália. Lá esperava-se que enfim tivesse a chance de trilhar um caminho de sucesso em direção a times maiores, porém, mesmo com certo destaque, acabou por ir jogar na Austrália pelo WS Wanderers. Após esta escolha, rodou por clubes como Crotone-ITA, Kalloni-GRE, Robur Siena-ITA, Al Muharraq-BAN e hoje, com 26 anos, atua no Fortuna Sittard, da Holanda.

Lenon

 

Fazia o perfil do famoso volante moderno, o segundo homem de meio-campo. Lançado por Cuca, teve uma certa sequência participando dos jogos, mas não convenceu tanto quem o assistia. Perdeu espaço no elenco e foi emprestado para: Goiás, Duque de Caxias, Náutico, Sport e Macaé. Após esse período passou também pela Cabofriense e hoje, com 26 anos, atua na série B pelo Guarani.

Rômulo

 

Não, não é o atual Rômulo do Flamengo. Este é o volante que foi o capitão do elenco tricampeão carioca pelos juniores (05/06/07), também teve passagens pela seleção brasileira sub-20. Muito promissor, o meio campista se destacava pela sua segurança e logo tomou a titularidade do Flamengo em 2007, mas como seu xará do atual elenco, Rômulo também sofria com contusões. Sofreu uma grave lesão em outubro daquele ano e quando voltou em 2008, já não havia mais espaço. O jogador foi emprestado para o Paraná, Figueirense, Atlético Goianiense e, por último, ABC. Após o fim do contrato com o Flamengo, passou por Boavista e Brasiliense. Atualmente com 29 anos, anunciou sua aposentadoria por conta das recorrentes lesões que o impediam de jogar seu melhor futebol.

Muralha

 

Com altos e baixos e alguns picos de uma violência desmedida, Muralha alternava fases boas e ruins em curtos períodos de tempo, dividindo a opinião do torcedor. Ficou taxado por querer bater na bola de trivela em todas as ocasiões. Sem espaço, foi emprestado a Portuguesa, Bragantino e Luverdense. Após o fim do contrato com o Flamengo, fechou com o Pohang Steelers da Coréia do Sul. Muralha tem 24 anos.

Júnior

 

Volante de saída boa, bom porte físico e relativamente rápido, porém, cheio de problemas com treinadores. Após ser campeão da Copa do Brasil de 2006, o jogador se desentendeu com Ney Franco e acabou dispensado. Contratado pelo Grêmio, sofreu uma lesão e depois de voltar e jogar apenas uma partida por completo. Depois disso, foi dispensado pelo técnico Celso Roth. Ficou um ano parado até assinar com o Atlético Mineiro para jogar a temporada de 2009. Ele só não contava com a contratação do Celso Roth para treinar o time do galo, acabou rescindindo novamente. Passou também por Náutico e Duque de Caxias, o último registro do jogador foi no Tombense em 2011. Junior já tem 32 anos.

Michel Lorran

 

Vindo do Mato Grosso do Sul, chegou ao Flamengo aos 14 anos. Volante que joga de cabeça erguida, tinha uma boa expectativa e fez parte de uma geração de base bastante vencedora do rubro negro carioca. No time principal teve pouquíssimas chances, tendo jogado menos de cinco partidas profissionalmente pelo clube. Foi emprestado para o Osasco Audax e logo em seguida adquirido pelo Madureira, passou também por: Grêmio Anápolis, Tupi, Brasília, Rio Branco e hoje se encontra no Bangu, tem apenas 24 anos.

Rocha

 

Dos 14 anos de idade ao tricampeonato estadual histórico de 1999-2001, Rocha teve um crescimento meteórico dentro do Flamengo. Era volante mas fazia a lateral também, por conta da polivalência, tinha espaço no time rubro negro. Fez muitos jogos pelo Flamengo mas acabou saindo para a Portuguesa e sua carreira começou a cair. Passou também por: Brasiliense, Vila Nova, Paysandu, Resende, Santacruzense, Platinense, Atlético Tubarão, Jacarezinho, Independente de Limeira, São José e encerrou sua carreira no Independente de Limeira. Impressionantes sua descendente ao sair da Portuguesa.

Camacho

 

Há também alguns jogadores que possuem uma chance um pouco maior de brilhar. Camacho, por exemplo, ano passado chegou a ser titular do Corinthians e segundo alguns torcedores, só não continuou como titular por problemas familiares e pela evolução de Maycon. Mesmo no banco, costuma entrar bem.

Adryan

 

Adryan adquiriu três anos de experiência na Europa, jogou pelo Cagliari-ITA, pelo Leeds-ING e pelo Nantes-FRA onde teve boa passagem, aliás. Está de volta ao Flamengo e vira e mexe tem chances no time principal, para quem seria world class, não correspondeu, mas sem dúvidas ainda pode se tornar um bom jogador.

 

Postado por Renan Castro 23 anos, administrador, torcedor do Flamengo, natural de Nova Iguaçu - RJ, fã de aviação e dono de três quadros: Vestindo o Futebol, Ícones Alternativos e Memória FC.