O desafio da continuidade
19 de março de 2019
Categoria: Futebol e Nacional

Foto: Vítor Silva

José Ricardo Mannarino, mais conhecido como Zé Ricardo. O carioca, com recém completados 48 anos, se tornou nos últimos anos uma figura icônica do folclórico futebol do Rio de Janeiro. Três anos depois de ser considerado um nome promissor por seu extenso trabalho na base do Flamengo, o treinador obteve bastante rodagem ao optar por assumir outros grandes clubes cariocas: o Vasco e o Botafogo, seu atual clube.

O início da caminhada

Hoje no clube de General Severiano, o técnico tenta, aos poucos, reviver o melhor momento de sua carreira, quando aceitou o convite da diretoria do Flamengo para substituir Muricy Ramalho e treinar o rubro-negro carioca no campeonato nacional. Comandou o time na grande campanha realizada no Brasileirão de 2016, onde disputou o título com Palmeiras e Santos até a penúltima rodada do torneio.

O roteiro escrito por Zé após esse período é bastante conhecido pelos torcedores que acompanham o futebol do Rio, passando pela eliminação precoce na Libertadores de 2017, a demissão no clube da Gávea, e em pouco tempo depois, assumindo o comando do maior rival do rubro-negro, o Vasco da Gama. Em São Januário, mais um bom momento: levou a equipe cruz-maltina à uma inesperada vaga na Libertadores.

No Vasco, teve enorme influência inicial e empolgou a torcida.

Contudo, o ano de 2018 pode ser considerado como um ano de grandes experiências para a carreira do treinador, passando por mais um momento de descrédito de seu trabalho. Mesmo com a prometida e tão sonhada continuidade no emprego, Zé Ricardo pediu demissão do Vasco, logo após uma derrota para o Botafogo na nona rodada do Brasileirão.

O técnico adquiriu a desconfiança da torcida vascaína ao acumular uma eliminação na fase de grupos da Libertadores, a perda do título estadual, em um jogo épico, para o mesmo Botafogo, além de não ter começado bem o Campeonato Brasileiro. Após um período de quase dois meses, Zé resolveu assumir novamente o desafio de treinar um clube da Cidade Maravilhosa, desta vez o alvinegro carioca, justamente o time que tinha sido o responsável pela sua saída do cruz-maltino.

Chegada ao Botafogo

Logo ao chegar, foi atribuído a Zé Ricardo a missão de retirar o alvinegro da zona de rebaixamento do Brasileirão e dar máxima prioridade à Copa Sul-Americana, torneio que o treinador não tinha muita experiência e acabou logo depois sendo eliminado. Sete meses após assumir o clube e ter êxito na fuga de mais um rebaixamento, Zé tem a dura missão de confiar novamente na promessa de continuidade do seu trabalho. Hoje, ele enfrenta a descrença de parte da torcida do Botafogo devido aos péssimos resultados do time no Campeonato Carioca, com direito a pior campanha na Taça Guanabara em toda história do clube.

Em contrapartida, nas competições de mata-mata que o clube disputa, o técnico obteve resultados positivos, como a grande classificação contra o Defensa y Justicia, então co-líder do Campeonato Argentino, dentro do estádio do clube argentino. Além da Sul-Americana, que só volta a ser disputada no segundo semestre, Zé Ricardo precisa encarar mais dois jogos da Copa do Brasil, depois de despachar Campinense e Cuiabá pelas fases preliminares da competição.

Botafogo conseguiu grande classificação na Argentina. Pontos para Zé.

Uma possível eliminação no Campeonato Carioca, então, pode ser utilizada pelo treinador como uma forma de descanso, priorizando assim a disputa dos jogos pela Copa do Brasil – título nunca conquistado pelo time. O adversário da vez é justamente o Juventude, clube que, há 20 anos, derrotou o Botafogo na final da competição. em um Maracanã lotado, 110 mil botafoguenses tiveram que segurar o grito de “É campeão!”, sendo obrigados a ver os jogadores do time de Caxias do Sul comemorarem com o caneco.

No cenário atual do time carioca, a classificação na copa nacional tem maior importância ao clube, devido aos valores das premiações, do que o campeonato estadual, que além de possuir um regulamento esdrúxulo, contém jogos que não são mais atrativos para sua torcida e que apenas a federação estadual lucra com a bilheteria dessas partidas.

É o momento ideal para Zé Ricardo conseguir virar a chave das competições, e além de visar sua tão sonhada continuidade, poder mirar a conquista de novos títulos para sua carreira, na qual obteve apenas o Campeonato Carioca do ano de 2017 pelo Flamengo. Assim, o técnico pode, finalmente, se tornar um treinador marcado na história do futebol nacional.

Postado por Emanuel Leite Estudante de jornalismo, 18 anos e botafoguense. Apaixonado pelo Glorioso e seus inúmeros ídolos. Prefiro deixar o pessimismo de lado e acreditar que tudo pode ser possível quando se fala de futebol.