Noite de goleadas esquenta clima antes de final do Campeonato Mineiro
11 de abril de 2019
Categoria: Futebol e Nacional

 
A quarta-feira foi muito movimentada para os torcedores de Minas Gerais. Em jogos válidos pela Copa Libertadores da América, Atlético-MG e Cruzeiro tiveram uma noite completamente distinta.

No Mineirão, a Raposa venceu o lanterna do grupo B, Huracán, por um placar elástico de 4 a 0, com direito a três gols do centroavante Fred, e se garantiu na próxima fase da competição.

Fora de casa, o Galo teve um bom início de partida, saindo na frente com gol de Ricardo Oliveira. Contudo, uma atuação vergonhosa da zaga atleticana, fez a torcida ver seu time levar quatro gols em apenas 15 minutos, se complicando cada vez mais dentro do grupo E.

O novo (velho) artilheiro do Brasil

Ao vencer o Huracán nesta quarta-feira (10), o Cruzeiro teve Fred como o maior responsável pelo avanço da equipe celeste na competição. O centroavante praticamente liquidou a partida já no primeiro tempo. Com boa atuação de Marquinhos Gabriel e Dodô, a Raposa fez seus três primeiros gols em menos de 15 minutos.

Aos 18′, Fred recebeu um passe certeiro de Marquinhos Gabriel e abriu o placar. Cinco minutos depois, novamente em mais uma jogada liderada pelo meia, o Cruzeiro ampliou com outro gol do seu centroavante. Para terminar o primeiro tempo, aos 30 minutos, Dodô acertou um belo cruzamento para Fred cabecear para o fundo do gol de Antony Silva.

Liderados por Mano Menezes, a Raposa voltou do vestiário com a vaga praticamente garantida e controlou a partida até o fim do segundo tempo. Entretanto, o lateral Dodô fechou o placar cruzeirense ao acertar um belo chute aos 37 minutos, sem nenhuma chance para o goleiro do clube argentino.

A vitória do Cruzeiro classificou o time para a próxima fase da Libertadores, além de aumentar a invencibilidade da equipe, agora são 18 partidas sem perder em 2019 e nenhum gol sofrido na Libertadores. Sendo assim, o técnico Mano Menezes continua a dar segurança para a torcida e segue com moral para a disputa da final do Campeonato Mineiro, nos próximos domingos, 14 e 21 de abril.

Hora do adeus

 

Após os 3 primeiros jogos caóticos pelo grupo E, o Atlético-MG confiava na remontada da equipe nas últimas três partidas da fase de grupos. Em contrapartida, o primeiro desafio de Levir Culpi, em total descrédito com a massa atleticana, seria contra o líder e sensação da competição, o paraguaio Cerro Porteño.

O Galo até que começou bem. Aos 18 minutos, em ataque comandado por Cazares, Luan achou Ricardo Oliveira que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes do goleiro Munoz. Os poucos torcedores atleticanos presentes no estádio Nueva Olla começaram a festejar o resultado e acreditarem na possibilidade de mais uma história classificação da equipe.

Em compensação, uma pane defensiva, durante o último terço do primeiro tempo, determinou o resultado da partida. Aos 30 minutos, em um lance de falta, o lateral Acosta chutou baixo e contou com desvio da barreira para enganar o goleiro Victor e empatar a partida. Três minutos depois, Carrizo tabelou com Villasanti e chutou no canto das redes do Galo, 2×1.

A zaga se mostrou atordoado, ainda mais o experiente lateral Fábio Santos, que dois minutos após o segundo gol paraguaio, entregou a bola nos pés do volante do Cerro, Cáceres, que só teve o trabalho de encher o pé e ampliar o placar. Para tornar tudo pior, Victor e Igor Rabello não se entenderam em uma disputa de bola e deixaram o gol totalmente aberto para o atacante Larrivey fechar o jogo e marcar o quarto tento dos paraguaios em apenas 15 minutos.

Levir cometeu algumas substituições durante o segundo tempo, mas não foram eficazes para recolocar o Galo na partida. A equipe se complica no grupo E e após vitória do Nacional-URU (9 pontos) contra o Zamora (0 pontos), respira por aparelhos na competição.

O próximo jogo do Atlético na Libertadores será contra o gigante uruguaio dentro do Mineirão no dia 23 de abril. Levir Culpi não será o comandante do alvinegro na partida, pois, um dia após a derrota contra o Cerro, o técnico foi demitido pelo Galo.

Uma promessa de grande final

Os próximos dois domingos serão emocionantes para os torcedores de Belo Horizonte. De um lado, uma equipe invicta e guiada pelo maior artilheiro do ano no país. No outro, um clube em um período de turbulências e de incertezas sobre seu futuro nas competições disputadas. A fase final do Campeonato Mineiro promete ser marcante para os dois times da capital e decisivos para o restante da temporada, porém, apenas um será o grande campeão estadual.

Postado por Emanuel Leite Estudante de jornalismo, 18 anos e botafoguense. Apaixonado pelo Glorioso e seus inúmeros ídolos. Prefiro deixar o pessimismo de lado e acreditar que tudo pode ser possível quando se fala de futebol.