MODÃO CAIPIRA #61 – Suspeita de manipulação na Série A3
4 de abril de 2018
Categoria: Modão Caipira

 

O tradicional União Agrícola Barbarense, clube de mais de 100 anos e que acumula muitas campanhas de destaque em sua história, como por exemplo um título da Série C do Brasileirão em 2004, foi rebaixado para a última divisão do Campeonato Paulista. Mas, o rebaixamento acabou até ficando em segundo plano, e o que fez o Leão da Treze ser notícia na imprensa nos últimos dias foi um suposto esquema de manipulação de resultados em que seu ex-treinador e alguns jogadores do elenco estariam envolvidos durante a competição.

Até aqui, não há nada provado: nem que houve, nem que não houve o esquema. Mas existem várias especulações sobre o que pode ter ocorrido em Santa Bárbara d’Oeste. O presidente do clube, Jairo Araujo, fez um boletim de ocorrência onde afirma que dois jogadores do elenco, Magno e Alex, antes da última partida da competição, fizeram uma confissão de que o treinador Claudemir Peixoto estava oferecendo vantagens financeiras para alguns jogadores, para que ajudassem a manipular o resultado de alguns jogos da equipe no campeonato. Afirmaram ainda que esse suposto esquema existia desde a primeira rodada da competição.

Treinador Claudemir Peixoto – à esquerda – é um dos suspeitos de participar do esquema (Foto: Sanderson Barbarini/Foco no Esporte)

No B.O., o presidente cita um jogo específico. Segundo ele, Claudemir Peixoto teria recebido uma compensação de R$ 40 mil proveniente de um site de apostas, para manipular o placar da partida contra a Matonense, que foi disputada em Matão pela primeira rodada, e terminou com o placar de 2 a 0 para o time mandante.

Além de Claudemir e dos dois “delatores” do esquema, ainda estariam envolvidos os seguintes atletas: Waldson, Thiago Luís, Wilker, Rafael Magalhães, Lincoln e Souza. Poucos dias antes da última partida da competição, a que decretou o rebaixamento, todos esses jogadores rescindiram o contrato com o clube. Segundo o que foi divulgado, foram os jogadores que pediram dispensa.

O caso já foi reportado à FPF, que tem um Comitê de Integridade para analisar casos desse tipo. O órgão fará as análises e encaminhará para a esfera que julgar necessária, seja ela o TJD, a Polícia ou até o MP. O gerente de futebol do clube, Edvaldo Souza, cogita fazer uma representação à Federação Paulista de Futebol, para que se for comprovado que houve fraude, a organizadora da competição possa rever o rebaixamento do clube. Segundo entrevista que ele deu para o UOL, “um time que sofreu com um esquema de manipulação de resultados, não pode ser rebaixado”.

Enquanto não há nenhuma prova, aparecem vários tipos de especulações, umas que defendem que realmente houve o caso, outras que acreditam o contrário. Alguns dizem que a diretoria está fazendo esse alarde para tirar o foco do lamentável rebaixamento do clube para a quarta divisão. Independentemente de haver ou não o esquema, isso realmente aconteceu e o assunto da semana é a suposta fraude, com o rebaixamento, que já era iminente a um tempo, ficando em segundo plano.

Por outro lado, pessoas que acompanham o dia a dia do Leão afirmam que durante a competição ocorreram algumas coisas “estranhas” em Santa Bárbara. A repórter Natália Furlan, da Rádio Luzes da Ribalta, de Santa Bárbara d’Oeste, comenta que em certo jogo, um atacante marcou um gol e não comemorou, em outra partida houve substituição de goleiro, e o reserva sofreu dois gols “relâmpago”, entre outras coisas, como por exemplo a única vitória do Mogi Mirim em todo o campeonato, conquistada na 15ª rodada em Itapira, quando o Sapão já estava praticamente rebaixado. Como dito, são coisas que fogem do comum, e que permitem que as pessoas tenham alguma suspeita sobre o caso.

A partida contra o Mogi Mirim é uma das que mais levanta suspeitas, já que foi a única vitória do lanterna em todo o campeonato (Foto: Marcelo Gotti/Mogi Mirim EC)

Para sair um pouco do assunto, vamos falar do que teria de ser o assunto principal quando fala-se sobre um time de futebol: o futebol! A campanha que resultou na queda do Leão foi de quatro vitórias, cinco empates e quatorze derrotas, apenas 17 pontos em 19 jogos. A única vitória em casa foi conquistada na segunda rodada, contra o Manthiqueira, que aliás foi mais um dos rebaixados. O jogo derradeiro foi disputado contra o Marília, na Toca do Leão, e terminou empatado em 0x0. O MAC também brigava contra o rebaixamento, e assim como a equipe de Santa Bárbara, acabou caindo para a Segunda Divisão. Os outros rebaixados, além de União Barbarense, Marília e Manthiqueira foram os tradicionais Rio Branco e Mogi Mirim, além da Matonense. Na próxima temporada a A3 vai ter apenas 16 clubes, ficando com a mesma quantidade que as duas divisões acima.

O triste episódio ainda não teve sua conclusão, mas seja lá qual for, suja um pouco a imagem do tradicional clube, e até do campeonato e dos clubes do interior. Dependendo do fechamento do caso, pode ter grandes consequências tanto para os profissionais envolvidos, quanto para a própria agremiação, com multas e sanções da justiça. E, como infelizmente estamos ficando acostumados nos últimos anos, vários times que caem para o último nível do futebol estadual, acabam se licenciando e ficando um tempo afastado das atividades profissionais. Nos resta torcer para que essas suspeitas não se concretizem, e para que essas consequências não aconteçam.

Postado por Leonardo Tudela Del Mastre Natural de Sorocaba-SP, amante do futebol do interior paulista e torcedor de São Bento e Corinthians. Além do amor pelo interior, viciado no futebol como um todo. Formado em Processos Gerenciais pelo IFRS.