MODÃO CAIPIRA #60 – Entrevista com Bruno Moraes
9 de março de 2018

 

Bruno Moraes, o General, é um dos grandes destaques da edição de 2018 do Paulistão. O centroavante, que hoje veste as cores do Botafogo de Ribeirão Preto, é o vice-artilheiro da competição e conversou com o Blog 4-3-3 para a edição de número 60 do Modão Caipira.

O Tricolor de Ribeirão vem fazendo um bom papel no equilibrado estadual, e no segundo semestre disputará a Série C. Bruno mostra otimismo para o restante da competição, mas mantem a humildade:

“Temos que ir conquistando objetivos curtos, primeiro pensando em classificar, depois buscar passar pelas eliminatórias. Temos que acreditar no título”.

Quando perguntado sobre a possibilidade de ser artilheiro do campeonato, Bruno diz que considera, sim, como um objetivo, mas também diz que “se for para acontecer, vai ser de forma natural”.

O “General” já passou por vários clubes do interior paulista, quando ainda nem tinha esse apelido: Santo André, Bragantino, Rio Claro, Taubaté, Red Bull Brasil e Ferroviária foram as camisas que ele já vestiu no estado, antes de chegar ao Botafogo. Na Locomotiva, em 2015, participou do título da Série A2, que fez a AFE voltar à elite estadual depois de muito tempo. Ali, obteve certo destaque, e sua carreira começou a deslanchar. Ele comenta a sua passagem por Araraquara: “Sempre importante entrar para a história dos clubes conquistando títulos, isso é eterno!

Logo depois, viveu o que considera o seu melhor momento na carreira. Com a camisa do Santa Cruz, participou do acesso para a Série A do Brasileirão em 2015, e do título da Copa do Nordeste em 2016. Fez muitos gols, virou ídolo da torcida tricolor, e ganhou o apelido de General, por sua maneira de comemorar os gols, como se batesse continência para a torcida sempre que balança as redes. “Adoro o apelido, é muito forte e positivo”, diz Bruno.

No Santa Cruz, Bruno viveu o melhor momento da carreira

Em 2017, teve sua primeira experiência no exterior, vestindo as cores do Dibbah Al Fujairah, dos Emirados Árabes Unidos. “Foi muito positivo, uma cultura totalmente diferente da nossa, me fez crescer muito como ser humano essa experiência“.

Agora, voltando para o Brasil, vai tendo um ótimo desempenho com outra camisa tricolor, dessa vez em Ribeirão Preto. Segundo ele, a boa presença da torcida nas partidas ajuda muito, e motiva sempre mais. Além disso, fala bem também do clima entre os jogadores. “É um clima muito bom, um dos melhores grupos que já trabalhei”.

Sobre o atual treinador, o mineiro Léo Condé, Bruno rasga elogios e aposta que em breve alçará voos maiores:

Léo Condé é um excelente treinador , tem ótimo diálogo com os jogadores, trabalhos muitos qualificados, daqui a pouco estará em potências do futebol brasileiro“.

Sobre o início da carreira, ele comenta que, como acontece com a maioria dos jogadores brasileiros, foi muito difícil, com pouco dinheiro, saudades de casa, dos amigos. Os pais foram os maiores incentivadores, no caso de Bruno, que diz que “tem que ter o objetivo bem focado na mente para ir longe”.

A “continência” já virou sua marca registrada

Aos 29 anos, ainda sonha em chegar à Seleção Brasileira, e se continuar nessa evolução grande que vem tendo nas últimas temporadas, esse sonho pode ficar cada vez mais próximo. O próximo passo pode ser um desafio em um clube de elite, algo que pode acontecer após o Paulistão. Para finalizar, o Modão Caipira deseja muita sorte ao ótimo centroavante, e seguirá torcendo para que alcance os objetivos de sua carreira!

Colaboração: Fernando Domingos

Postado por Leonardo Tudela Del Mastre Natural de Sorocaba-SP, amante do futebol do interior paulista e torcedor de São Bento e Corinthians. Além do amor pelo interior, viciado no futebol como um todo. Formado em Processos Gerenciais pelo IFRS.