MODÃO CAIPIRA #58 – Entrevista com Bruno Formigoni
21 de dezembro de 2017
Categoria: Modão Caipira

 

O volante sorocabano Bruno Formigoni, que atualmente defende as cores do XV de Piracicaba, conversou com o Modão Caipira e contou um pouco de sua grande experiência no futebol, mesmo tendo apenas 27 anos.

Bruno fez toda sua base no São Paulo, jogando por todas as categorias inferiores da equipe do Morumbi, onde passou dez anos. Ele diz ser muito grato ao clube que, segundo o próprio, o moldou como atleta e também como homem. Também fez questão de frisar a estrutura fantástica que o Tricolor possui, dando todo o suporte necessário para os jogadores jovens. O grande destaque que ele conseguia na época, sendo inclusive capitão em todas as categorias de base são-paulinas, o fez chegar até a Seleção Brasileira Sub-19.

“Experiência única. Foi aos 18 anos. A Seleção Brasileira é muito respeitada. Jogamos um torneio na Espanha e faríamos um amistoso em Chicago contra a Argentina, mas infelizmente foi cancelado e acabamos fazendo amistosos contra times locais. Tenho ótimas lembranças”.

Com 19 anos, o volante recebeu uma proposta para atuar no futebol japonês, mais precisamente no Cerezo Osaka, onde trabalhou com o técnico Levir Culpi. Apesar das dificuldades de adaptação ao país, o saldo positivo pelo crescimento adquirido no loca.

“Foi uma ótima experiência, costumo dizer que no Japão, cresci mais como homem do que como atleta. Cultura muito diferente da nossa, muito respeito. Senti muita dificuldade, era muito novo”.

Depois de voltar do Japão, Bruno (que ainda tinha contrato com o São Paulo, que perdurou até 2012) rodou por alguns clubes do interior do estado: Paulista, Guaratinguetá, Red Bull, São José, Batatais e XV. Também teve algumas experiências fora de São Paulo, como no Figueirense e no América de Natal.

Ele considera que no Guaratinguetá, em 2012, foi um de seus grandes momentos na carreira até aqui, onde fez uma Série B bastante regular. E também mostra bastante satisfação com seu momento atual:

“Esse ano, pelo XV, estou vivendo um bom momento, titular, fui capitão, confiante, espero dar sequência a essa boa fase”.

Pelo Guaratinguetá, viveu um de seus grandes momentos na carreira até aqui.

Ele rasga elogios aos piracicabanos, apontando-os como torcedores muito apaixonados. É uma cidade que realmente respira o time e isso reflete bastante dentro de campo, na entrega dos jogadores. Além disso, também elogia o ambiente entre os atletas, que afirma ser um lugar sem vaidades, onde todos jogam um pelo outro e têm um grande respeito mútuo. Somando todos esses fatores, o volante considera que o Nhô Quim é um dos favoritos para o acesso na Série A2 de 2018:

“Muito bom manter o treinador e parte do elenco, estamos nos reforçando para entrar forte na competição. Tudo isso, faz parte de um planejamento. O São Caetano é prova disso, manteve o elenco e a comissão técnica por alguns anos e foram os campeões da série A2. Esperamos seguir esse caminho”.

Sobre suas referências, dois grandes jogadores da história do futebol mundial são os principais nomes. O primeiro é o zagueiro Cannavaro, do qual destaca a garra, a valentia e o espírito de liderança. O segundo é o gênio Zidane, que, segundo Bruno, tinha uma frieza incomum, mostrando a todo momento que tinha tudo sob controle. Entre os meias atuais, ele destaca Luka Modric, o croata que atua pelo Real Madrid, como sendo o mais completo meio-campo do futebol mundial, tanto técnica quanto taticamente.

Pensando em seu futuro, ele considera que tem pelo menos dez anos de carreira profissional e acredita que agora se daria melhor se surgisse uma nova oportunidade no exterior:

“Hoje sinto que estou pronto para um novo desafio, em qualquer outro país. Não é tão simples se adaptar, mas tenho uma certa experiência, rodagem, e isso me ajudaria”.

Além disso, ainda contou que almeja voltar a disputar grandes campeonatos no âmbito nacional, e que não pensou exatamente no que fazer depois que pendurar as chuteiras:

“Penso nisso, gostaria de continuar no meio futebolístico depois que parar de jogar. Mas ainda está muito distante, quero focar na minha carreira como jogador. Além disso, também tenho que pensar em me dedicar a minha família”.

Bruno também teve passagem pelo Red Bull Brasil

Como falado acima, Bruno já passou por vários times do interior paulista, e diz que tem um carinho muito grande por todos eles. Sempre foi muito feliz e conquistou o respeito e a admiração dos funcionários e jogadores por onde passou. Mas também atenta para a triste realidade precária que alguns desses times vivem, citando o Batatais como exemplo, onde ele acabou não recebendo parte de seu salário em sua passagem pelo clube no ano de 2016. E, como se fosse um clichê, ele comenta que esses times dependem muito de parcerias, pois futebol só se faz com dinheiro e muito planejamento. Tendo isso, ele acredita que mais clubes interioranos possam chegar às divisões principais do futebol nacional.

Finalizando, ele diz que espera que 2018 seja um ano de muitas alegrias para ele e para o XV de Piracicaba:

“Espero que 2018 seja um ano brilhante para mim e para o XV, com muito trabalho e dedicação vamos conseguir nossos objetivos e dar alegria ao torcedor piracicabano, que merece muito”.

Postado por Leonardo Tudela Del Mastre Natural de Sorocaba-SP, amante do futebol do interior paulista e torcedor de São Bento e Corinthians. Além do amor pelo interior, viciado no futebol como um todo. Formado em Processos Gerenciais pelo IFRS.