MODÃO CAIPIRA #11 – O famoso carrossel
28 de agosto de 2015
Categoria: 4-3-3 e Modão Caipira
Hoje iremos relembrar o time que deu show na parte tática no
interior paulista na década de 90. Até hoje lembrado carinhosamente como
“Carrossel Caipira”, o Mogi Mirim, comandado pelo competente Vadão, dava gosto
de ver jogar.
O ano de 1991 não foi muito bom para o sapão da mogiana,
portanto, o ano de 1992 seria utilizado para reestruturar o time, usando muito
jogadores vindos da base. Aliado a isso, trouxeram três jovens, que haviam
disputado a copa são Paulo daquele ano pelo Santa Cruz.
Os três promissores vindos de Recife eram nada mais nada
menos do que: Leto, Válber e Rivaldo. Aonde, até hoje ninguém sabe precisar ao
certo, quem era realmente o melhor do time. A torcida se divide entre o veloz
Leto, e Válber, que era o artilheiro do time. Rivaldo, apesar de ser o de maior
sucesso entre os três, não entra na discussão, pois para alguns torcedores era
“lento demais”.
No Paulista de 1992, o time que tentava jogar como a Holanda
de Rinus Michels, impressionou o estado, tamanha disposição dos jogadores em
campo. Eles giravam, assim como um carrossel, ganhando o apelido de “Carrossel
Caipira”.
Leto, o velocista, atraía a marcação, deixava os zagueiros
perdidos em campo, assim facilitando para que os demais companheiros
aparecessem livres. Rivaldo, era a força do meio campo, o passe de precisão
saía de seus pés. Valber, o homem gol, com 17 gols marcados no campeonato foi o
artilheiro da competição.
Rivaldo fazia a diferença no carrossel
Na primeira fase do Paulistão de 1992, fez bonito, vencendo
16 dos 26 confrontos. Mas, na segunda fase, foi barrado por Corinthians,
Palmeiras e Guarani. No ano seguinte, uma sétima colocação no paulistão, e a
eliminação precoce do estadual. Ganhou as taças da Copa “90 anos de futebol” e Copa
“Ricardo Teixeira”.
Chegando ao fim de 1993, o Carrossel foi desmanchado. De uma
só vez, o Corinthians tirou o principal trio do Sapão, Rivaldo, Leto e Válber,
fazendo assim, o time do Mogi, perder a sua força.
Válber e Leto ficaram no Corinthians. Rivaldo, que havia ido
por empréstimo, trocou de parque, e foi fazer história no Palmeiras.
Até hoje, este time é lembrado como um dos melhores dos anos
90, tamanha facilidade que estes jogadores tinham de jogar futebol. Uma das
grandes façanhas deste time, com certeza foi à vitória por 2×1 sobre o
Palmeiras, em pleno Parque Antarctica.

O time-base do Carrossel era o seguinte: Mauri, Capone, Ildo e
Luis Carlos Guarnieri; Polaco, Fernando, Chiquinho, Válber e Admílson; Leto e
Rivaldo. Técnico: Vadão.

Postado por Leonardo Tudela Del Mastre Natural de Sorocaba-SP, amante do futebol do interior paulista e torcedor de São Bento e Corinthians. Além do amor pelo interior, viciado no futebol como um todo. Formado em Processos Gerenciais pelo IFRS.