MEMÓRIA FC #22 – As três listras polêmicas
15 de janeiro de 2017
Categoria: 4-3-3 e Memória FC

Como todo mundo sabe, até hoje a FIFA proíbe as seleções de estamparem patrocinadores em suas camisas como fazem os clubes. Porém, atualmente é permitido que as fornecedoras esportivas coloquem sua marca na camisa de jogo dos países, fato que era proibido até a Copa do Mundo de 1982, porém a norma foi burlada algumas vezes, de uma forma curiosamente inteligente.

A Adidas em 1974 já era uma das marcas esportivas mais expressivas do mundo, com inúmeros lançamentos e um desenvolvimento assombroso, a empresa consolidava seu lugar entre as gigantes do ramo, ampliando seus tentáculos a diversos setores. Foi na Copa do Mundo de 1974 que uma criativa ideia burlou uma das normas mais rígidas do torneio.

O saudoso carrossel holandês, de Cruyff, Krol, Rensenbrink e Neeskens, entrou em campo com um estranho detalhe na manga de suas camisas. Três listras brancas, simétricas, que iam da base até a ponta das duas mangas. Propositalmente, marca característica da Adidas, que a criou em 1949 e pela primeira vez, a usava em Copas do mundo. O detalhe é que a “marca” da Adidas naquela época era o Trifólio, logo que remete a um trevo de três folhas. Porém, obviamente, a FIFA vetaria de forma categórica a inclusão do mesmo nas camisas.

Todos iguais, menos um.

A ação causou um mal-estar enorme entre a empresa e a entidade, porém o verdadeiro problema se deu com a maior estrela daquele time holandês, Johan Cruyff. O jogador, que a esta altura era a estrela máxima do futebol mundial, possuía um contrato muito lucrativo com uma das principais concorrentes da Adidas, a Puma.

Cruyff, vendo que vestindo a camisa holandesa estaria fazendo uma propaganda para a principal concorrente da sua patrocinadora, se recusou a entrar vestindo as três listras em campo. Fato que gerou um incomodo no plantel holandês. A empresa mesmo contrariada, tratou de dar a Johan uma camisa especialmente designada a ele, com apenas duas listras nas mangas. Convencendo-o assim, a entrar em campo naquela Copa.

4 anos depois foi a vez do Brasil ser o centro da polêmica. Depois de uma Copa aquém das expectativas em 1974, a então CBD resolveu mudar algumas coisas para a próxima edição. A Athleta (a fornecedora esportiva da época) acabou fechando as portas por diversos motivos, abrindo espaço para a novata no mercado brasileiro, Adidas, que fechou com a CBD para a disputa da Copa do Mundo de 1978, confeccionando além dos uniformes de jogo, agasalhos, bolas e chuteiras para os convocados.

As famosas 3 listras.

E assim que começou a Copa do Mundo, lá estavam elas, as três polêmicas listras da Adidas estampando o uniforme brasileiro na Argentina. O governo brasileiro, que era mais rígido neste sentido, até mais que a FIFA, indagou a CBD sobre o motivo das três faixas simétricas nas mangas das camisas. Acuada, a federação brasileira de desportos soltou a seguinte desculpa:

“As três listras são em homenagem aos três títulos do Brasil em Copas do Mundo”

Aceitaram.

Postado por Renan Castro 23 anos, administrador, torcedor do Flamengo, natural de Nova Iguaçu - RJ, fã de aviação e dono de três quadros: Vestindo o Futebol, Ícones Alternativos e Memória FC.