Jogador é feito de números?
30 de janeiro de 2014
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Nacional

Todos os dias, nos quatro cantos do mundo, pessoas discutem sobre futebol, e
entre as inúmeras discussões sobre o assunto sempre surgem as indagações de qual o melhor camisa 10, o melhor
atacante e etc. As pessoas tem necessidade de comparar os jogadores dos
seus times com os demais, e o maior artifício usado nesses “duelos” são
os números, de gol, passes certos, títulos, porcentagens de
diversas coisas e etc.

Mas a pergunta que devemos nos fazer é: um jogador é feito de números?

Mesmo sem números espetaculares Zidane é ídolo mundial

Talvez não. Muitas vezes jogadores de menos destaque nas tabelas de
artilharia e assistências, podem desempenhar melhor papel do que um
jogador que encabece essas listas. A entrega, o comportamento tático e a
liderança entre outros aspectos, muitas vezes creditam esse jogador a
ser “melhor” que outro que faz mais gols, mas quase não aparece
nas partidas. 

Existem diversos duelos históricos, que geram
debates dia após dia, Pelé e Maradona, Gerrard e Lampard, Bale e Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo, entre outros. Nesses casos, os números são
espetaculares em ambos os jogadores, então  como “desempatar”? Simples. Observando
futebol, assistindo jogos, e notando qual jogador é mais importante. Por
exemplo, uma temporada marcando muitos gols não credenciam Hernane a
ser melhor que Luis Fabiano por exemplo, pois podemos observar qual joga
mais, domínio, chute, posicionamento e etc.

Outros bons exemplos de que os números não são um parâmetro absoluto são:

Se comparamos
Juan Mata, do Manchester United com Iniesta do Barcelona. O jogador dos red devils tem números melhores, mesmo sendo mais novo, Mais gols e assistências, em
menos jogos. Mas se perguntarmos quem é melhor
poucos titubearão antes de dizer Iniesta. Outro caso é Tulio, que tem
mais gols que Ronaldo mas isso não precisamos nem escrever muito a
respeito, já que 99% das pessoas responderão Ronaldo, corretamente. 

Importância proporcional, apesar dos números

Vale lembrar um dos casos que acho muito injusto quando a torcida leva os números como parâmetro principal, a copa do mundo de 2002, onde muitos dizem que foi “A Copa do
Ronaldo” por ele ter sido artilheiro, mas não lembram que Rivaldo teve até mais importância que o fenômeno, tendo inclusive dado algumas assistências para o R9. 
 
Outro dos “critérios”
dos torcedores são títulos, mas acho levemente irrelevante, já que um
elenco venceu o titulo, não o jogador. E nesse caso existem diversos multicampeões que não chegam nem perto de um jogador quase sem títulos.

Porém, mesmo os números não sendo o fator principal para um jogador, eles são
muito importantes, já que quem fica marcado na historia do futebol
geralmente são os de melhores números e não quem foi mais importante
taticamente, por exemplo. 

Concluímos então que sim, numa discussão, com certeza os números servem como comparativo, mas tirar a conclusão de quem é melhor por isso, é muito complicado e extremamente
relativo. As discussões sempre vão existir, diversos métodos para desempatar serão usados, mas uma coisa é certa, no final, você sempre vai achar o
“seu” melhor.

Essa rivalidade nunca acabará, com ou sem números, cada um tem o seu favorito
Postado por Andrew Sousa Formando-se em Jornalismo justamente pela paixão pelo esporte, sente enorme prazer em poder escrever sobre o que ama. Apaixonado por um bom domínio e alguns jogadores ruins, vive o futebol desde o primeiro dos seus vinte anos.