• Jair, Libertadores e a ventura do Botafogo
    11 de agosto de 2017
    Categoria: Futebol e Nacional

    Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo.

    A palavra ventura aparece no dicionário como uma série de acontecimentos favoráveis que transcorrem sem necessariamente depender da vontade daqueles que deles se beneficiam. Esse conceito cai como uma luva na tentativa de explicarmos a ascensão e o momento vivido pelo Botafogo na atual temporada. A palavra ganha ainda mais significado para o torcedor botafoguense quando o assunto é o treinador alvinegro, Jair Ventura, um dos principais responsáveis pela boa fase do clube carioca.

    Desde 2008 no clube, atuando como auxiliar técnico permanente, Jair Ventura assumiu o comando do Botafogo em agosto de 2016, quando Ricardo Gomes, treinador alvinegro à época, acertou sua saída para o São Paulo. Sendo assim, Jair recebeu das mãos do ex-treinador um time que acabara de retornar à primeira divisão, um elenco pra lá de modesto, com um orçamento reduzido e, de quebra, recebeu também a missão de não cair para a segunda divisão novamente, já que o time encontrava-se na zona de rebaixamento. O cenário era o pior possível, tanto para Jair, que colocaria em risco sua primeira oportunidade como treinador, quanto para a torcida do Botafogo, que, obviamente, não confiava no novo treinador para tirar a equipe da situação incômoda na tabela.

    E aqui o conceito do primeiro parágrafo entra em cena. É evidente que a torcida do Botafogo ficou receosa com a escolha do novo treinador e, talvez, tivesse uma dúzia de nomes prontos para assumir as rédeas da equipe, mas o esforço, a humildade para reconhecer seus limites e também o conhecimento da casa, fizeram valer a aposta do clube alvinegro por Jair Ventura. E as coisas tem dado muito certo desde então.

    O primeiro desafio foi o de ajustar a defesa e o modelo de jogo alvinegro. Com Jair, o Botafogo sofreu apenas 10 gols, passou a jogar no contra-ataque, sem propor o jogo e sempre explorando as falhas do adversário. O que deixou claro que o treinador reconheceu as limitações de seus jogadores e acabou extraindo deles o melhor desempenho possível para que alcançassem os resultados esperados. A missão era livrar o Botafogo da zona de rebaixamento, no entanto, Jair foi além. Com uma surpreendente campanha no segundo turno, levou o clube carioca até a Libertadores, fato que o consagrou como treinador revelação do Campeonato Brasileiro de 2016.

    Jair ganhou o título de treinador revelação em 2016.

    Página virada, chegamos em 2017. A Libertadores passou a ser o maior desafio e maior incógnita para o Botafogo da atual temporada e também para Jair Ventura. Por terminar o Campeonato Brasileiro em quinto lugar, os alvinegros tiveram que disputar a Pré-Libertadores. Diferente do que muitos afirmavam, o Botafogo não caiu na fase preliminar e avançou na competição ao eliminar os campeões Colo-Colo e Olimpia. Já na fase de grupos, enfrentou o atual campeão Atlético Nacional de Medellín, o tradicional Estudiantes, da Argentina, e os equatorianos do Barcelona de Guayaquil. Passando por cima de muita desconfiança, avançaram até as oitavas de final da competição, onde enfrentariam o também campeão Nacional, do Uruguai.

    Com muita dedicação e raça, marcas significativas do Botafogo de Jair, o clube carioca bateu o Nacional por 1 a 0 em jogo disputado no Uruguai e, na partida de volta, no Rio de Janeiro, aniquilou o adversário ao marcar dois gols no início da partida. Era o quinto campeão da Libertadores a cair diante do Botafogo, o que, mais uma vez, mostra um trabalho notável de Jair à frente do time alvinegro.

    O próximo desafio é contra o Grêmio e pode ser que a jornada do Botafogo pelo continente acabe nas quartas de final, já que o time gaúcho é um dos melhores do país na atual temporada. Mas também pode ser que não. Dado como azarão e, por vezes, como forte candidato à eliminação, o clube carioca, assim como seu treinador, tem mostrado que pode surpreender até mesmo os mais céticos. Vale lembrar que o alvinegro disputa ainda as semifinais da Copa do Brasil contra o rival Flamengo e está em boa situação no Campeonato Brasileiro, o que mostra que a campanha na Libertadores é bem mais do que pura sorte, ou no caso, bem mais que a simples ventura. É trabalho. E trabalho bem feito.

    O Botafogo vive um sonho na Libertadores 2017.

    Mesmo que acabe a temporada sem nenhum título, temos que reconhecer e destacar o crescimento do Botafogo desde que Jair Ventura assumiu o time. Talvez a aventura na Libertadores seja abreviada, pode ser que o título da Copa do Brasil não chegue e a temporada pode não acabar como a torcida espera, mas todo e qualquer botafoguense tem em seu treinador um dos maiores motivos de comemoração. Acertar um time que parecia fadado ao fracasso e levá-lo a um novo patamar faz de Jair um dos grandes destaques do futebol brasileiro.

    Talvez o Botafogo tenha contado com um pouco de sorte, sim, mas é com trabalho, dedicação e entrega que o clube alvinegro tem dado os maiores passos nos últimos dois anos. E, talvez, o maior responsável por isso seja Jair Ventura. Um treinador que arriscou a própria carreira, que trouxe o orgulho de volta ao torcedor alvinegro e que carrega um sobrenome cheio de significados. O do dicionário nós já aprendemos, mas o significado de Jair Ventura para o Botafogo, apenas os próprios alvinegros podem nos dizer.

     

    Postado por André Oliveira Estudante de História, torcedor são-paulino, clubista e corneteiro.