Fora do Eixo #1: Ilhas Faroe
17 de dezembro de 2018
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Internacional

 

Embora encantadoras, as principais ligas e copas não são as únicas opções para os amantes do futebol. Longe dos grandes centros também existem diversas histórias e curiosidades para serem contadas. Por isso, o Fora do Eixo vai trazer, mensalmente, uma serie de rotas alternativas mostrando o futebol nos quatro cantos do planeta.

Iniciaremos a nossa jornada nas Ilhas Faroe, um território dependente da Dinamarca, localizado entre a Escócia e a Islândia. As 18 ilhas que compõem o arquipélago abrigam um total de 47 mil pessoas. Sua capital é Tórshavn (Porto do Thor), cuja a população é de aproximadamente 16 mil habitantes.

Trazido por imigrantes escoceses ainda no século XIX, o futebol logo ganhou notoriedade dos conterrâneos. A primeira equipe a ser fundada foi o TB Tvøroyri (Tvøroyrar Bóltfelag), em 1892, numa das ilhas mais ao sul do arquipélago.

Uma década depois, em 1904, o esporte bretão finalmente se espalhou pelo país, chegando a capital Tórshavn com a criação do HB (Havnar Bóltfelag) e à cidade de Klaksvik, com a criação do KÍ (Klaksvíkar Ítróttarfelag).

Primeira imagem de um jogo nas Ilhas Faroe, 1909.

Entretanto, apenas quatro décadas mais tarde a ÍSF (Associação de Esportes das Ilhas Faroe) foi criada. A formação da entidade só se concretizou pela ocupação inglesa da ilha durante a Segunda Guerra Mundial. Assim, os ingleses puderam colocar em prática tudo aquilo que viam em seu futebol.

Junto com a ÍSF também foi realizado o primeiro campeonato nacional, conquistado pelo KÍ e disputado apenas por quatro clubes. Vale lembrar que durante os cinquenta anos da chegada do futebol as ilhas até a criação da federação, as equipes disputavam apenas amistosos entre si.

Atualmente, após 74 edições, o torneio conta com dez equipes participantes. Esses clubes se enfrentam em três turnos de pontos corridos, disputados entre março e outubro, meses onde o longo inverno não castiga o país. O campeão fica com um lugar nos playoffs da Champions League, enquanto o segundo e terceiro colocados com a vaga nas qualificações da Europa League. Já os dois últimos são rebaixados para a 1.deild (segunda divisão).

Distribuição das equipes na Liga Faroesa 2018.

Além do campeonato nacional, onde o HB é o maior vencedor com 23 conquistas, são disputadas também a Copa e a Supercopa Faroesa (Løgmanssteypið e Stórsteypadystur respectivamente). Na copa, criada em 1955, a supremacia do HB é maior ainda: 26 títulos, contra apenas seis do segundo maior vencedor. Já na Supercopa, criada apenas em 2007 e disputada pelo vencedor da Liga versus o da Copa, o novato Vikingur Gøta, fundado em 2008 com a fusão de duas equipes, leva vantagem com cinco conquistas (pentacampeonato seguido entre as temporadas de 2014/18).

A seleção faroesa aos poucos vai ganhando espaço no meio futebolístico da Europa. Atualmente ocupa o 98º lugar no ranking da FIFA (novembro 2018), vagarosamente deixa de pertencer ao grupo dos sacos de pancadas. Prova disso é a sua campanha nas eliminatórias para a Copa da Rússia, onde atingiu o quarto lugar de sua chave com dez pontos ganhos. Pela Liga das Nações, preenche a quarta divisão e na atual edição ocupou a terceira colocação no grupo 3, junto com Kosovo, Azerbaijão e Malta.

Em questões de título conquistou duas vezes a medalha de ouro na Island Games Record, torneio disputado entre ilhas de todo o mundo a cada dois anos. As conquistas foram em 1989, como pais anfitrião, e em 1991 nas Ilhas Åland.

Postado por André Galassi Natural de São Carlos, SP. Admirador de futebol alternativo, futebol inglês e principalmente futebol brasileiro. Torce para o Palmeiras e para o São Carlos FC.