• Estrelas que podem não brilhar na Rússia
    9 de outubro de 2017

     

    Em toda Eliminatória da Copa, lamentamos os grandes e/ou importantes jogadores que fracassam no objetivo de levar as suas seleções ao maior torneio de futebol do mundo. E para a Copa de 2018 não será diferente.

    Para mostrar como esses jogadores farão falta no Mundial, montamos uma seleção com os craques que não vão (ou podem não ir) à Copa do Mundo. Vamos lá!

    Buffon

     

    Desde quando o Grupo G da Eliminatória Europeia foi sorteado, imaginou-se que seria um pega entre Espanha e Itália pela vaga direta à Rússia, porém, a seleção ibérica liderou traquilamente o grupo, garantindo sua vaga com uma rodada de antecedência após ao empate da tetracampeã do mundo frente à Macedônia.

    Com isso, a Azzurra terá que disputar a repescagem, liderados pelo seu grande capitão, Gianluigi Buffon. Apresentações são desnecessárias para ele, mas, como são apenas dois jogos, tudo pode acontecer e dos maiores goleiros da história do esporte pode ter uma despedida melancólica de sua seleção.

    Menções honrosas: Petr Cech (Rep. Checa) e Jan Oblak (Eslovênia).

    Valência

     

    Com a derrota para o Chile, em Santiago, o Equador disse adeus às chances de classificar-se para o Mundial. Com ele, o seu capitão, o experiente jogador do Manchester United, Antônio Valência. Ironicamente, a confirmação de sua desqualificação vem meses após fechar uma excelente temporada com a camisa dos Red Devils, o ex-meia, agora lateral direito, inclusive, foi eleito o melhor jogador do ano pelos torcedores do clube inglês.

    Menção Honrosa: Sime Vrsaljko (Croácia).

    Bonucci

     

    Assim como seu capitão e ex-companheiro de clube, o recém contratado pelo Milan corre risco devido à repescagem. Dono de um ótimo um contra um e saída de jogo invejável, Bonnie faria uma falta enorme na Rússia.

    Leia também: Bonucci – Liderança em meio a revolução

    Bailly

     

    Outro jogador do Manchester United está nessa seleção. Agora é a vez do ótimo Eric Bailly. Após duas temporadas muito boas em sequência, pelo Villareal e os Red Devils, o marfinense se tornou uma peça chave na sua seleção.

    Na, considerada por muitos, injusta classificatória africana (onde em quatro grupos de quatro seleções, apenas uma vai à Copa, sem repescagem), a Costa do Marfim divide as atenções com a sensação Marrocos no Grupo C. Eles jogam a vida na última rodada, onde acontece um confronto direto, e como a seleção do norte do continente tem a vantagem do empate, os Elefantes têm chances bem reais de não irem ao Mundial, logo, impedindo Bailly de jogar a competição.

    Menções Honrosas: Davinson Sanchéz (Colômbia) e Javier Mascherano (Argentina).

    Alaba

     

    Depois de decepcionar na Eurocopa do ano passado, ficando ainda na fase de grupos, a Áustria não chegou nem perto de ir à Copa. Após um fraco desempenho, a seleção ficará apenas na quarta posição das Eliminatórias.

    O seu principal astro, lateral do gigante Bayern de Munique (que no time nacional, costuma jogar no meio campo), David Alaba já teve sua ausência sentida na Copa no Brasil e, por ser um dos melhores de sua posição, novamente frusta os fãs do futebol em não conseguir chegar lá em 2018.

    Menção Honrosa: Sead Kolasinac (Bósnia e Herzegovina) e Ricardo Rodríguez (Suíça).

    Vidal

     

    Um dos melhores dessa lista é Arturo Vidal. De qualidade inegável, o chileno é tido como World Class de sua posição desde quando jogava na Juventus. Hoje no Bayern, é peça fundamental no esquema dos Bávaros.

    De campanha irregular nas Eliminatórias, o Chile enfrenta o Brasil fora de casa buscando a terceira classificação seguida. Os atuais bicampeões continentais precisam vencer para não depender de outros resultados, mas enfrentando o líder comandado por Tite, em território verde e amarelo, fica difícil imaginar que este resultado virá. Mas eles ainda possuem chances com um empate.

    Menção Honrosa: Thomas Partey (Gana).

    James Rodríguez

     

    Após ter a classificação nas mãos até o finzinho do jogo contra o Paraguai, a Colômbia cedeu a virada para a Albirroja, se complicando bastante para a última rodada. Agora enfrentam o Peru, em Lima, num confronto direto pela vaga no Mundial.

    O “10 e faixa” de Los Cafeteros é James Rodríguez. Ele que foi o artilheiro da última edição da Copa do Mundo pode ficar sem ir à edição do ano que vem, o que era difícil de imaginar no início de tudo. Será que o jogador do Bayern de Munique conseguirá tirar a sua seleção do buraco?

    Modric

     

    A Croácia chegou para essa Data Fifa como líder do Grupo I, mas após empate contra a Finlândia em casa, enrolou totalmente a chave e deixando aberta a chance de não classificar-se. Agora ela pega a Ucrânia, fora de casa, buscando a vaga na repescagem.

    Assim como James, Luka Modric é o camisa 10 e capitão de sua seleção, peça importantíssima nos três títulos Madridistas de Champions League nos últimos quatro anos, há um risco considerável do craque não entrar em campo na Rússia ano que vem.

    Menções Honrosas: Miralem Pjanic (Bósnia e Hezergovina), Naby Keita (Guiné) e Marco Verratti (Itália).

    Robben

     

    Terceira colocada no Brasil, a Holanda decepciona nessas Eliminatórias. Passando por uma entressafra de jogadores, já deixou de participar do torneio continental diretamente, agora, tem apenas chances matemáticas de ir à repescagem.

    Arjen Robben ainda é o grande craque da Laranja Mecânica. Apesar dos seus 33 anos, o ponta é a esperança de gols e assistências do time. Porém, declarou que nem ele mesmo acredita mais na classificação, cravando que a necessária goleada de 7×0 na Suécia “não vai acontecer” e, convenhamos, é muito provável que ele esteja certo.

    Messi e Cristiano Ronaldo

     

    Agora o mais crítico. Os dois maiores jogadores da última década podem não ir à Copa do Mundo. O português tem a vida mais tranquila, ele e sua seleção enfrentam a Suíça em casa, caso vençam, vão direto para o Mundial, mas qualquer outro resultado obrigaria os Lusos a jogarem a repescagem.

    Já Lionel Messi tem uma situação mais cabeluda. Enfrentam o Equador, fora de casa. Vencendo, pegam, no mínimo, repescagem, onde enfrentariam a Nova Zelândia. Também possuem chances de se classificar empatando, mas precisam de uma combinação improvável de resultados.

    Leia também: Por que logo na sua vez? 

    Já pensou a Copa sem seus dois maiores craque?

    Menções Honrosas: Falcão García e Juan Cuadrado (Colômbia), Alexis Sanchéz (Chile), Pierre-Emerick Aubameyang (Gabão) e Gareth Bale (País de Gales)

    A SELEÇÃO

    Postado por Igor Feitosa Amante do futebol há 21 anos, carioca, corinthiano e estudante de Engenharia de Produção nas horas vagas.