• Dudu tem a cara de qualquer time do Brasil
    7 de Fevereiro de 2018
    Categoria: Futebol e Nacional

     

    Antes de ser eleito presidente do Corinthians, neste sábado, uma entrevista de Andrés Sanchez à Rádio Transamérica tomou conta dos tabloides. Ao ser perguntado sobre uma possível transferência de Paolo Guerrero ao clube alvinegro, ele afirmou que não pagará um valor maior que o teto salario do clube. Porém, no final da frase, uma surpresa: “O único [do Brasil] que valeria pagar esse valor seria o Dudu, do Palmeiras, que tem a cara do Corinthians”.

    Em réplica, o atacante e capitão do time alviverde ressaltou que “sempre teve a cara do Palmeiras”. A torcida gostou, haja vista a sua entrega e amor ao clube. Amor este que já havia sido demonstrado ao recusar uma oferta milionária do futebol chinês, mais especificamente do Changchun Yatai, escolhendo permanecer no clube.

    Dudu é o típico jogador que é amado por sua torcida, mas odiado pelos rivais. Entretanto, mesmo assim, o meia-atacante é desejado pelos adversários. Lembre-se que, antes de chegar ao Palmeiras em 2015, o jogador teve propostas do São Paulo e do próprio Corinthians, que venceria o Campeonato Brasileiro naquele mesmo ano. A imprensa já confirmava que o time alvinegro seria o destino, porém o Palmeiras aplicou o conhecido “chapéu”.

    Formado na base do Atlético Goianiense e no Cruzeiro, Eduardo Pereira Rodrigues, o Dudu, teve uma boa passagem pelo time mineiro. Antes de ser vendido ao Dinamo de Kiev. Após um ano de empréstimo ao Grêmio em 2014, Dudu foi contratado pelo Palmeiras.

    Mas por que Dudu tem a cara de qualquer time do Brasil, como ressaltado no título deste texto? Malandragem, habilidade, raça e muito amor à camisa: essas são as principais características que o fazem ser o encaixe perfeito em qualquer elenco.

    Capitão e ídolo da torcida do Palmeiras, Dudu é o tipo de jogador que chama a arquibancada para si.

    Ademais, Dudu é especialista nos principais jogos da temporada para um torcedor: os clássicos. Pelo Palmeiras, o goianiense tem números que chamam a atenção. Em 28 jogos contra o Santos e os dois times que entraram na batalha pelo jogador em 2015, o meia-atacante marcou sete gols e deu cinco assistências. Na partida contra o time praiano, válida pelo segundo jogo da final da Copa do Brasil de 2015, Dudu foi primordial, marcando os dois gols que levaram o jogo para a disputa de pênaltis vencida pelo Palmeiras.

    Outra característica marcante de Dudu é a liderança. Cuca foi o primeiro a dar a faixa de capitão ao atleta – o camisa 7 era uma bomba de temperamentos, e explodia facilmente durante os jogos. E isso aconteceu logo com a chegada do treinador, quando o jogador foi expulso durante a final do Campeonato Paulista contra o Santos, e agrediu o árbitro, ficando fora em seis jogos da equipe. A sacada de dar a faixa de capitão a Dudu foi triunfante. Ele conseguia extravasar dentro de campo, liderando seu time. Como capitão, o jogador levantou o troféu do Brasileirão de 2016, sendo um dos melhores jogadores da equipe ao lado de Gabriel Jesus.

    Qual torcedor não gostaria de ter um jogador como este em seu clube? Dudu é um jogador que está cada vez mais raro. Ele é antônimo de jogadores como Alexandre Pato ou Paulo Henrique Ganso. O palmeirense honra a camisa que veste, joga tudo o que pode para ver seu time vencer, reclama quando é substituído, briga por todas as bolas, usa e abusa da malandragem, é habilidoso, driblador, e é isso que faz dele um atleta com cara de todos os times brasileiros – fez grande parte disso no Grêmio, inclusive.

    Dudu é o artilheiro do Allianz Parque e do elenco atual, o titular com mais jogos, o segundo jogador com mais gols com a camisa do Palmeiras no século XXI, atrás apenas de Vágner Love, e, por tudo isso, quem mais vende camisa no elenco palestrino. Provas não faltam para seu tamanho no cenário nacional.

    Postado por Rafael Brayan Torcedor do Corinthians e adepto do jogo inglês, sou apaixonado pelo futebol bem jogado. A única coisa que pode ser comparado a assistir um bom jogo é uma conversa sobre este esporte com bola.