Controverso, polêmico e questionável. Mas, sem dúvidas, vascaíno
12 de março de 2019
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Nacional
Resultado de imagem para eurico miranda troféu libertadores

 

Chegou o dia que todos já sabiam que estava próximo (pelo estado precário da sua saúde), mas mesmo assim a grande maioria vem recebendo a notícia com certa surpresa. Eurico Miranda, talvez a maior personalidade da história dos bastidores do Vasco, falece hoje, 12/03/2019.

E é difícil equilibrar reações e sensações diante da morte de um dos maiores ícones do futebol carioca. Por conta da sua forte personalidade, seu jeito caricato e diversos casos polêmicos que se envolveu, Eurico colecionou desafetos e inimigos durante sua vida como dirigente. Ao Vasco, sempre tudo, mas nem sempre o bastante. Traído por suas próprias convicções, o ex presidente deixa um legado complexo e denso, mas rico, muito rico.

Parte da época mais vencedora do Vasco da Gama e pivô de anos nebulosos no gigante da colina, os dois polos que norteiam o que foi Eurico para a história são distintos e homogêneos na síntese da palavra. Cada torcedor cruzmaltino escolhe a página que adotará como discurso, a verdade neste caso pode ser seletivista, o personagem permite, Eurico é plural. Ainda que a última impressão seja nojenta e petulante, se permite ao protagonista a vantagem histórica e emocional de um torcedor de arquibancada, selado no berço da barreira e criado para honrar a cruz de malta, sempre, em qualquer ocasião.

Imagem relacionada

O protagonista leva consigo uma parte de cada taça conquistada, de cada grito de alegria, mas também todas as lagrímas das quedas, toda a decepção da inércia e as desilusões do amor inocente de um torcedor esperançoso. Queira você ou não, ele sai das páginas de jornal, dos memes da internet, das articulações políticas, para viver em museus, artigos históricos, vídeos antigos e memórias boas e ruins. E sim, ele vive.

Um vilão com síndrome de estocolmo “invertida” ou um herói que defendia sua bandeira com unhas e dentes? Na dúvida, um anti-herói que em sua complicada cabeça, acreditava estar fazendo o bem ao seu amado, ainda que fora da sua vista cansada, o estivesse fazendo sangrar.

Ao Vasco sempre tudo, mas nem sempre o bastante. Acima de tudo, Eurico Miranda morre como um vascaíno, e isso ninguém tirará dele.

Desejamos forças à família e aos amigos.

Postado por Renan Castro 23 anos, administrador, torcedor do Flamengo, natural de Nova Iguaçu - RJ, fã de aviação e dono de três quadros: Vestindo o Futebol, Ícones Alternativos e Memória FC.