• Conheça André Silva, mais um bom reforço do Milan
    12 de junho de 2017
    Categoria: Futebol e Internacional

    Foto: REUTERS/Miguel Vidal

    André Miguel Valente da Silva, mais conhecido por André Silva, se juntou ao Porto em 2011/2012, para defender o Sub-17 da equipe. Aos seus 16 anos, jogava como um meia atacante com boa técnica e chute eficiente, o que foi fundamental na sua chegada ao clube. Apesar disso, o técnico Nuno Capucho foi além e rapidamente percebeu que suas características ofensivas seriam muito mais aproveitáveis se o jovem se adaptasse a uma posição mais avançada no campo, ou seja, nao havia muito espaço pro jovem nas posições de armação.

    Sendo adaptado contra a sua vontade, mas sempre respeitando a opinião do “Mister”, André começou a se destacar no setor ofensivo, onde entrava e sempre deixava o dele. Apesar disso, foi no seu segundo ano nos dragões que ele conseguiu maior notoriedade. Jogando pelo Sub-19 azul e branco, o jogador fez 28 gols em 33 partidas, com um media extremamente alta de 0.85gol/jogo, mostrando seu faro para ir às redes.

    A temporada seguinte seria de adaptação para o garoto. Ele vivia se revezando entre os Sub-19 e o Porto “B” a pedido do técnico Luis Castro, que via isso como um meio de adaptação mais rápida ao futebol profissional. No sub-19, André balançou as redes 19 vezes em 26 partidas (sendo quatro gols em seis jogos na UEFA Youth League). Já no Porto “B”, onde vinha jogando como reserva, marcou somente três vezes em 21 jogos.

    Na temporada seguinte, já consolidado no Porto “B”, se via revezando com Gonçalo Paciência e Frederic Maciel, que eram considerados atacantes mais completos. O atacante fechou a temporada com nove gols em 41 partidas (sendo dois em seis partidas na U23 Premier League International Cup). Mas tudo vinha a melhorar para André na temporada 2015/2016. Com o empréstimo de Gonçalo e a venda do Frederic, o atacante tinha finalmente sua chance de brilhar, e assim o fez.

    Começou brilhando e marcando gols, sendo o artilheiro da Segunda Liga durante grande parte da época. No meio da temporada os torcedores já pediam a sua promoção a equipe principal já que, no panorama atual seu setor estava carente no time profissional do Porto. Assim foi feito.

    André subiu ao profissional, mas atuando pouco tempo, sempre entrando no período final. Por conta disso, só fez seu primeiro gol como profissional na última rodada do Campeonato, contra o Rio Ave. Na ocasião, fazia seu segundo jogo como titular do Porto.

    Na sua terceira oportunidade entre os 11, o jogador fez a partida que, para muitos, cravou o seu lugar na equipe principal. Final da Taça de Portugal, onde o Porto começou perdendo por 2-0. Foi aí que ele brilhou, marcando dois gols, sendo o segundo (e terceiro da partida) um gesto de absoluta técnica, oportunismo e posicionamento (imagem abaixo. O time, no entanto, perdeu a partida nos pênaltis.

    O golaço de André Silva na final da Taça da Liga.

    Enfim chegamos a 2016/2017. Considerado a revelação do ano em 2016, o jogador chegou com a moral em alta para a época que pode ser considerada de glória para ele. André era a principal peça do ataque do Porto. Centroavante fixo e único lá na frente, teve como companhia dois pontas que vinham sendo poucos regulares por conta de lesões ou atuações abaixo do esperado. Mesmo com isso, ele se destacava, recuava e buscava o jogo, chegando até a armar as jogadas, relembrando um pouco a sua época de sub-15.

    Sendo destaque na fase de grupos da Champions League, onde detinha uma média de gols por jogo abaixo apenas de jogadores como Lionel Messi, Edison Cavani, Lewandowski, Mertens e Ozil, o jogador já atraía interesse de vários times europeus. Sua segunda metade de temporada foi menos goleadora, o atacante teve que se acustumar a companhia da nova aquisição do clube, Tiquinho Soares, que chegou com moral após estreia com dois gols contra um dos principais rivais do Porto, o Sporting.

    Com o pé mais calibrado, Tiquinho assumiu a posição de André como Centroavante fixo. Já André, foi recuado para a posição que antes era ocupada por Diogo Jota. No começo foi bem árduo para o atacante ver seu protagonismo sendo dividido, mas juntos, ambos protagonizaram a arrancada do Porto a última tentativa de conquista do título​ chegando a retirar uma diferença de 11 pontos do líder Benfica, mas que foi insuficiente por conta de vários tropeços no final, desperdiçando pontos considerados fáceis.

    Desde seus 16 anos, André sempre participou das categorias de base da seleção, mas finalmente depois de uma temporada em alto nível, conseguiu conquistar a sua vaga no time principal, comandado por Fernando Santos. Com seis jogos oficiais (cinco de titular) e seis gols, André, juntamente com Cristiano Ronaldo, é um dos artilheiros da seleção nessas Eliminatórias. O atacante vem novamente entrando num esquema de 4-3-3 que se torna um 4-4-2 ao decorrer do jogo, com ele e Cristiano assumindo o ataque da seleção de quinas, fazendo uma dupla perfeita, dando-o liberdade de flutuar no campo, coisa que ele mais gosta de fazer.

    (Foto: Getty Images)

    Oficializado no Milan, que procurava um nome para o setor ofensivo, o português deve assumir o comando do ataque rossonero. Apesar disso, talvez fosse melhor o aproveitar mais solto, com liberdade para criar e chutar a gol, como tanto gosta.

    Se escalado a frente de um bom meio de campo, ao lado de um parceiro que complemente suas habilidades e, claro, contando com as jogadas ofensivas de Ricardo Rodriguez, não há porque duvidar que esse rapaz tenha novamente uma temporada de alto nível pelos italianos, podendo até brigar pela artilharia da Serie A.

    Postado por Vitor Freire Vitor Freire 18 anos, estudante do 3° ano do ensino médio e estagiário do Banco do Nordeste. Morei em Portugal e lá obtive toda essa paixão pelo FC Porto, clube pelo qual sou apaixonado.