Atestados de grandeza
9 de março de 2019
Categoria: 4-3-3

 

Juntos, somam sete títulos de Champions League. Nenhum dos dois era favorito quando o sorteio das oitavas foi realizado. Ambos foram derrotados dentro de seus domínios na partida de ida. Mas Ajax e Manchester United mostraram mais uma vez nessa semana que são muito grandes, fizeram história e conseguiram a classificação para as quartas de final da UCL 2018/19.

Os holandeses golearam o atual tricampeão da competição com uma atuação de gala, dentro do Santiago Bernabeu, por 4×1 e voltarão a disputar as quartas depois de mais de 15 anos – a última aparição dos godenzonen entre os oito melhores do continente foi em 2002/03. Já os Red Devils bateram o PSG em Paris de forma heróica, com incríveis nove desfalques e com o gol da classificação saindo nos acréscimos da segunda etapa, após pênalti assinalado com auxílio do VAR. O Manchester United consegue voltar às quartas de final depois de cinco temporadas. A última foi em 2013/14, sendo eliminado pelo Bayern de Munique.

O jovem time do Ajax, que na terça-feira teve média de idade abaixo dos 25 anos se considerarmos o onze inicial – apenas Tadic e Schone tinham 30 anos ou mais – apresentou um futebol de primeira classe, se aproveitou da crise que já estava instalada em Madri, e goleou o Real. Na temporada passada, a equipe acabou com o vice campeonato na Eredivisie, e teve que jogar os playoffs iniciais da UCL nessa temporada. Passou de forma invicta por Sturm Graz, Standard Liege e Dinamo de Kiev para chegar ao Grupo E. Na fase de grupos, já mostrou sua força e conseguiu a classificação com 3 vitórias e 3 empates, incluindo duas igualdades com o Bayern de Munique, que se classificou como líder da chave.

No sorteio para as oitavas, acabou caindo “apenas” contra o atual tricampeão do torneio, o todo poderoso Real Madrid. No jogo de ida, dentro de Amsterdam, saiu derrotado por 2×1 e para muitos, a vaga do time merengue já estava garantida, e o jogo de volta seria apenas para consumar o fato. Dentre esses muitos, pode-se incluir até o capitão Sergio Ramos, que admitiu após a partida que forçou o terceiro amarelo para cumprir suspensão na segunda partida e ficar livre das quartas em diante. Mas o Ajax contrariou todos os prognósticos, deu uma aula de futebol e aplicou a maior derrota do Real Madrid em jogos de Champions League jogando em sua casa.

Tadic e David Neres brilharam no Santiago Bernabeu (Foto: Reuters)

Dusan Tadic, autor de duas assistências e um gol foi o destaque da noite. O sérvio recebeu uma raríssima nota 10 na avaliação do jornal francês L’Équipe. Ziyech também fez seu nome, marcando um gol em cada partida. E o brasileiro David Neres novamente encheu os olhos, e voltou a ter seu nome ventilado a uma possível convocação – principalmente porque Vinícius Júnior acabou se lesionando e certamente será cortado.

O Manchester United, um dia depois, também faria história. Jamais uma equipe que perdeu por 2×0 em casa na primeira partida, havia conseguido avançar de fase na Champions League. Com 10 desfalques, vários deles titulares e importantes peças de reposição, dificilmente alguém apostaria que os Red Devils pudessem aprontar em Paris. Com o vice-campeonato da Premier League na última temporada, classificou-se novamente para a Champions buscando apagar a má impressão que deixou na eliminação para o Sevilla em 2017/18, perdendo dentro de Old Trafford e dando adeus nas oitavas. Essa temporada começou aos trancos e barrancos, e apesar de apresentar péssimo futebol sob o comando de José Mourinho, conseguiu o segundo lugar no Grupo H.

O comandante português foi demitido em dezembro, após uma série de maus resultados, e o norueguês Ole Gunnar Solskjaer, ídolo da torcida como jogador, assumiu interinamente até o final da temporada. Com atuações muito boas e conseguindo resultados ótimos na Premier League – assumiu com o time em sexto, nove pontos atrás do quarto colocado, e hoje está na quarta posição, classificando a equipe para a UCL da próxima temporada. Quando o sorteio colocou o United frente ao estrelado PSG, os torcedores do lado vermelho de Manchester não ficaram nada contentes. E no jogo de ida, em fevereiro, a equipe francesa foi até o Teatro dos Sonhos e conseguiu uma imponente vitória por 2×0, com grande atuação de Mbappe e com Pogba sendo expulso no fim da partida.

Rashford consola Mbappe ao fim da partida em Paris (Foto: Reuters)

No intervalo de quase um mês entre as duas partidas, os Red Devils sofreram com muitas lesões e foram perdendo jogadores importantes. Matic, Herrera, Lingard e Martial foram alguns dos que ficaram de fora do jogo da volta por lesão. Com um time remendado e um banco de reservas mais ainda, contando inclusive com vários jogadores recém promovidos da base, coube a Romelu Lukaku assumir a responsabilidade e marcar duas vezes para manter vivo o sonho inglês. Bernat havia empatado para o PSG entre os dois tentos. No final da partida, já com o relógio batendo 45 minutos, após chute de Dalot, a bola bateu na mão de Kimpembe e o árbitro marcou a penalidade com o auxílio do VAR. Rashford, com muita personalidade, bateu e classificou o Manchester.

O narrador Jorge Iggor, do Esporte Interativo, narrou de maneira maravilhosa o terceiro gol do Manchester United. E utilizarei de uma frase dita por ele para encerrar este texto:

“O futebol tem camisa, SIM! Tem tradição, SIM!”.

Postado por Leonardo Tudela Del Mastre Natural de Sorocaba-SP, amante do futebol do interior paulista e torcedor de São Bento e Corinthians. Além do amor pelo interior, viciado no futebol como um todo. Formado em Processos Gerenciais pelo IFRS.