As águias querem continuar voando alto
31 de outubro de 2018
Categoria: 4-3-3 e Futebol e Internacional

 

O Eintracht Frankfurt terminou a temporada passada de maneira excelente. O time treinado por Niko Kovac venceu o Bayern de Munique por 3 a 1 na final da DFB Pokal, a Copa da Alemanha, e de quebra ganhou uma vaga na Europa League. Esse foi o primeiro título da equipe desde a conquista da 2.Bundesliga, a segunda divisão alemã, em 1997/1998. No entanto, todo esse bom momento atraiu os olhares do Bayern sobre o técnico das águias e, com isso, Kovac rumou para Munique. Para o seu lugar a diretoria do Frankfurt trouxe Adi Hütter, que estava no Young Boys da Suíça.

Hütter costuma rotacionar o time, fazendo isso inclusive com jogadores importantes como Haller e Rebic, mas existem alguns destaque, que costumam atuar com mais frequência. A equipe é escalada com três zagueiros, que atuam em linha alta para manter o time compacto quando estiver atacando e fornecer opções de passe, com Hasebe no centro da zaga. O japonês é um meia de origem e isso ajuda na construção das jogadas do time desde a defesa, com ele distribuindo o jogo, majoritariamente, com passes curtos.

O camisa 20 é um dos jogadores que mais realiza passes e tem uma média muito boa de 84.7% de precisão. No meio de campo o time costuma contar com dois meias centrais, com destaque para Jonathan de Guzmán, o maestro da equipe. Após anos para se esquecer na Itália, onde atuou por Napoli e Chievo Verona sem sucesso, o holandês se encontrou na Alemanha e é responsável por organizar e armar o jogo do Frankfurt com calma, inteligência e visão de jogo. Além disso é também o responsável pelas bolas paradas da equipe.

Após anos ruins, de Guzmán se reencontra com o bom futebol em Frankfurt

Para completar o trio junto com os dois meias centrais, Hütter costuma utilizar duas variações. Em determinadas partidas a equipe atua com um jogador mais defensivo, que pode ser Lucas Torró ou Gelson Fernandes. Enquanto em outros jogos o time entra com um meia armador à frente dos dois centrais, com Mijat Gacinovic sendo o responsável por desempenhar essa função. Nas alas atuam Danny da Costa, pela direita e Filip Kostic, pela esquerda.

Kostic é ponta de origem isso torna o lado esquerdo do Frankfurt bem ofensivo, com ele apoiando constantemente o ataque e pisando com frequência na área, muitas vezes chegando pelo meio. Porém, da Costa também não deixa a desejar e apoia bem o time nos momentos ofensivos sendo bastante acionado. No momento defensivo os dois juntam-se aos zagueiros formando uma linha de cinco, com a linha de três meias à sua frente.

Com Kostic, as águias contam com excelente qualidade na ala esquerda para apoiar o ataque

No ataque eu diria que estão os principais destaques da equipe e jogadores de maior qualidade. Rebic é, provavelmente, o mais conhecido. Vice-campeão da Copa do Mundo com a Croácia, era cotado em grandes clubes no início da temporada, porém, renovou seu contrato e permaneceu em Frankfurt. O atacante é muito bom no drible, tendo média de 2.4 por jogo, e na finalização, além claro de se destacar numa característica costumeira de atacantes croatas, que é o físico. É um dos expoentes técnicos do Frankfurt. Porém, pela característica do técnico Hütter de rotacionar a equipe não é um titular absoluto e costuma revezar principalmente com Jovic, que começa a se tornar um destaque das Águias.

O jovem sérvio de 20 anos vem se mostrando um finalizador nato e de boa técnica. Tendo se destacado em partida contra o Fortuna Düsseldorf, onde marcou incríveis cinco gols, o atacante está emprestado pelo Benfica e a diretoria do Frankfurt quer exercer a opção de compra o mais rápido possível para não perder a joia, como declarou o diretor Bruno Hubner à revista Kicker:

“Temos uma cláusula de compra e ele deverá vir a ser nosso jogador em definitivo. É um negócio muito bom para o Eintracht Frankfurt”

O jogador que tem sido mais frequentemente titular do ataque é Sébastien Haller. O francês é o centroavante da equipe e mesmo com seus 1,90 de altura tem desenvoltura para trabalhar com a bola e costuma sair com frequência da área para ajudar a construção das jogadas da equipe, fazendo pivô, ganhando bolas pelo alto ou tabelando com os companheiros que se aproximam. E sua influência tem sido intensa e bastante eficiente nesse início de temporada: já são 14 participações diretas em gols, somando Bundesliga e Europa League, em 12 jogos. Chama a atenção como são números divididos de maneira equilibrada, são sete gols e sete assistências, o que evidencia a capacidade de Haller de contribuir nas jogadas.

Haller e Jovic vem fazendo estrago nas defesas adversárias neste início de temporada, já são 24 participações diretas em gol da dupla.

Na Bundesliga, o Frankfurt está próximo das primeiras colocações, está vivo na DFB Pokal e faz uma boa campanha na Europa League. Fazendo parte de um grupo com Olympique de Marseille, atual vice campeão da competição, e Lazio, que por pouco não se classificou para a Champions League, o time de Adi Hütter era cotado como o com menos chances de passar de fase, dentre as três equipes. Passado metade da fase de grupo as águias estão numa situação bastante confortável: aparecem na liderança com 100% de aproveitamento, tendo vencido o Marseille na França com um a menos e goleado a Lazio em casa, além de bater  o Apollon.

Mesmo estando dentre os melhores ataque da Bundesliga e gostar de trabalhar mais a bola com passes curtos, o Eintracht é um time que não costuma ter uma média alta de posse de bola e finalizações, isso só demonstra a eficiência do time no ataque. E é liderado por um ataque eficiente e uma defesa consistente que as águias vão tentar ir o mais longe possível na Europa League e ficar na melhor colocação possível na Bundesliga, para conseguir uma classificação para alguma competição europeia.

Postado por Wallas Vieira Técnico em Edificações, cursando Administração. Torcedor de Flamengo e Liverpool. Fã da intensa Premier League e do tático campeonato italiano. Gosta de táticas, crônicas e número sobre o futebol.